E quando a parceria acabar, Fluzão?

  • por Bráulio Silva
  • 8 Anos atrás
Arte: Doentes por Futebol | Presidente do Flu em 97, Álvaro Barcelos e seu gesto eternizado de comemorar a virada de mesa.

Arte: Doentes por Futebol | Presidente do Flu em 97, Álvaro Barcelos e seu gesto eternizado de comemorar a virada de mesa.

Celso Barros é uma das figuras mais queridas pela torcida do Fluminense. Dono da Unimed e tricolor de coração, Celso patrocina o Fluminense desde 1998, época em que o Flu estava na pindaíba, com times que eram chacotas e que em campo foi rebaixado em três oportunidades. Em 1996, o time caiu e virou a mesa, em 97 caiu pra Série B e em 98 caiu para a Série C.


Aliás, após um patrocínio controverso da MTV, a Unimed entrou em ação. Nos moldes da parceria que tinha feito sucesso entre Palmeiras e Parmalat, a empresa do ramo de saúde começou ajudando com salários de grandes nomes do time carioca. No ano de 1999, mesmo na série C, o técnico era Carlos Alberto Parreira, campeão do mundo com a seleção em 94.

O que muitos perguntam: O que será do Fluminense sem a parceira? De uns tempos pra cá, todos os grandes jogadores são bancados pelo patrocinador. Situação que lembra (e muito) a parceria do Palmeiras com a Parmalat.

Palmeiras dos anos 90. Depois da parceria, nada de glórias / Lancenet

Em 92, o Palmeiras revolucionou o futebol brasileiro quando anunciou a co-gestão com a fábrica de laticínios italiana. Mudou a camisa, mudou a identidade e, após 16 anos sem títulos, conquistou quase tudo. Em oito anos o Palmeiras ganhou três estaduais (93, 94 e 96), dois Brasileiros (93 e 94), uma Copa do Brasil (98), uma Copa Mercosul (98), a maior conquista do clube, a Libertadores (em 99), além da Copa dos Campeões (2000).

Depois que a parceria acabou, os grandes jogadores foram embora e o Palmeiras não soube se estruturar. As categorias de base continuaram fracas e o time parece ter voltado ao inferno que tanto os atormentou nos anos 80. Desde a saída da Parmalat, o Palmeiras conquistou um estadual (2008) e uma Copa do Brasil (2012). Mas também coleciona dois rebaixamentos (2002 e 2012).

O Flu ao menos aposta na base. Xerém costuma revelar bons jogadores. Mas o que vem segurando o time são os grandes jogadores, todos bancados pela patrocinadora. Com a Unimed são três estaduais (2002, 2005 e 2012), uma Copa do Brasil (2007) e dois brasileiros (2010 e 2012).

Deco, Celso Barros e Fred comemoram o Brasileirão de 2012 / Globo.com


Um dia a parceria vai acabar. E o que podemos esperar do desempenho do Flu?

Comentários

Paulistano, casado e com 33 anos. Apaixonado por futebol e pelo São Paulo FC. De memória privilegiada, adora relatar e debater fatos futebolísticos de outrora. Ex-estudante de jornalismo, hoje gerencia uma drogaria no município de Barueri, além de escrever para a Doentes por Futebol.