Pré-dérbi de Madrid

  • por Victor Mendes Xavier
  • 8 Anos atrás

 

Real Madrid e Atlético de Madrid. Um time está a três pontos do Barcelona, é segundo colocado, vive em paz com a torcida e está com a moral em alta para o clássico de hoje. O outro está 11 pontos atrás dos catalães e a oito do vice-líder, não vive bom momento e viu seu treinador ser vaiado por parte da torcida no último jogo. Antes de a temporada começar, os Doentes certamente diriam que o primeiro refere-se ao Real Madrid e o segundo ao Atlético de Madrid, não? Pois é, mas acontece que em 2012/2013 os papeis se inverteram. Pelo menos momentaneamente.

Os torcedores do Atlético de Madrid nunca estiveram tão empolgados para um derby nos últimos anos. Hoje, no último treino antes do tão esperado duelo, mais de 20 mil aficionados lotaram o Vicente Calderón para dar força aos jogadores. Impulsionados por seu treinador, Diego El Cholo Simeone, os rojiblancos prometem acabar com um tabu bem negativo para seu lado: há 13 anos que a equipe de Manzanares não sabe o que é vencer o Real Madrid em competições oficiais. A última vitória foi em 1999, por 3×1, no Santiago Bernabéu. São oito vitórias consecutivas do Real Madrid, sendo o último empate em 2009, por 1×1. É, também, a primeira vez em 14 anos que o Atléti chega à frente do rival na tabela.

A grande esperança, claro, está depositada em Falcao García. Na prática, atualmente ele é o terceiro melhor jogador do mundo, tendo iniciado a temporada de uma maneira extraterrestre, chegando a ter números semelhantes aos de Messi. Com 11 gols, El Tigre é o terceiro artilheiro da Liga Espanhola, atrás de Cristiano Ronaldo (12) e o argentino (19). Perante uma sensível zaga merengue, que vem falhado à exaustão na atual temporada, sobretudo pelo alto, El Tigre é ameaça real.

As duas equipes têm estilo de jogos bem semelhantes. Além de atuarem no 4-2-3-1, marcam muito na frente, fazem uma pressão física absurda no meio-campo e puxam contra-ataques de maneira fatal e bem rápidos. A vantagem que os colchoneros levam – e que conta muito – é o fato de sua zaga estar num momento bem sólido. No confronto de abril, pela 30ª rodada da Liga BBVA 11/12, o sistema defensivo não foi páreo para Cristiano Ronaldo, que brilhou na goleada por 4×1 com três gols e uma assistência. Hoje, Miranda, o melhor zagueiro do campeonato até o momento, e Godín formam uma retaguarda confiável.

José Mourinho, por sua vez, desmente, mas sabe que está pressionado e uma derrota decretaria, oficialmente, uma crise em Chamartin. Vaiado por parte dos torcedores no confronto do meio da semana, pela Copa do Rei, contra o Alcoyano, ele desafio parte da torcida em sua coletiva: “o jogo é às 22h (horário local), sairei ao gramado 21h20. quem quiser me vaiar, está dado o recado”. A lógica é esperar um Real Madrid ofensivo, pressionando o tempo inteiro. Por outro lado, o gajo não pode deixar o meio-campo colchonero criar. A lógica é imaginar ele entrando de maneira mais conservadora, barrando Modric e utilizando Khedira de titular ao lado de Xabi Alonso. Na frente, Özil não faz boa temporada, mas tem uma vantagem a seu favor: até o momento, apareceu positivamente nos jogos mais pesados do ano (Barcelona e Borussia, duas vezes). Em enquete do Marca, 57% dos eleitores preferem Özil a Modric como titular centralizado na linha de três meias.

E vocês, Doentes, acham que, enfim, o Atlético de Madrid dará fim ao tabu de 13 anos sem vencer o Real Madrid e confirma, de vez, que irá brigar pelo título espanhol? Ou a freguesia irá se manter e o Real Madrid vencerá novamente? O jogo será às 19h (horário de Brasília) e a Sky, canal 28, fará a transmissão.

REAL MADRID: Casillas; Arbeloa, Sergio Ramos, Pepe, Fabio Coentrão; Xabi Alonso, Khedira; Di María, Özil, Cristiano Ronaldo; Benzema.

ATLÉTICO DE MADRID: Courtois; Juanfran, Godín, Miranda, Filipe Luís; Gabi, Mário Suárez; Koke, Arda Turan, Adrián López/Diego Costa; Falcao García.

Comentários

Jornalista, carioca e apaixonado pela Liga Espanhola desde a época em que Rivaldo, Zidane, Figo e Raúl foram seus professores. Colaborou para o programa [email protected] da Rádio Globo São Paulo falando sobre o futebol do país das touradas. Repórter da Super Rádio Tupi.