Violência, falta de preparo e de educação. Da torcida?

  • por Luis Calheiros
  • 8 Anos atrás

 

Foto: Reprodução | Torcedores corintianos no Aeroporto de Guarulhos

O Desdobramento da festa da torcida corintiana em Guarulhos não foi tão belo quanto o espetáculo que a torcida preparou para se despedir dos jogadores. O balanço da festa no dia seguinte foi o que os veículos de mídia chamaram de ato de vandalismo e “quebra quebra”. Efetivamente o aeroporto teve sua rotina alterada pela manifestação. Apesar de a diretoria do mesmo ter negado que houvesse qualquer tipo de atraso em pousos ou decolagens, sabemos que nossos aeroportos não são projetados para abarcar tal contingente de pessoas sem que se abra mão de um pouco de conforto. Dessa maneira, algum passageiro pode ter tido algum inconveniente dadas as condições de lotação do saguão de Cumbica.

O que ninguém veiculou, o que ninguém teve o interesse de procurar saber é o que desencadeou o quebra-quebra num momento de alegria e comemoração. O que faria com que torcedores que vivem um sonho danificassem deliberadamente o patrimônio público? Tais perguntas não foram nem sequer aventadas pelo fato de que o mais simples é justificar tudo com um injusto estereótipo de que todo torcedor corinthiano é, por natureza, mal educado e vândalo. É importante que seja dita a verdade, há sim torcedores violentos em todas as torcidas, mas é provável que especificamente no caso de congonhas não foi esse o motivo dos carrinhos e cones fora do lugar e da desordem que se instaurou. Segue um vídeo feito por uma pessoa que presenciou o momento do início da operação de dispersão da PM de São Paulo.

Comentários

Natural de Salvador-BA, cresceu disputando campeonatos de futsal e arrepende-se de não ter seguido o rumo do futebol. Goleiro por paixão, amante do Sport Club Corinthians Paulista e estudante de Direito nas horas vagas.