BRASIL: CRISE NO VELHO CONTINENTE?

  • por Victor Gandra Quintas
  • 8 Anos atrás

Foto: Agência Reuters –  O zagueiro Thiago Silva é o jogador do Brasil atuando na Europa.

O futebol sul-americano está em alta na Europa. Lionel Messi, argentino, vem se tornando cada vez mais um mito do esporte, enquanto que a sensação colombiana Radamel Falcao vem impressionando críticos e aficionados pelo esporte. O uruguaio Diego Forlán, apesar de não estar bem no Internacional, foi eleito o melhor jogador da última Copa do Mundo. No entanto, enquanto jogadores de nossos vizinhos vêm roubando a cena, vemos os brasileiros tendo cada vez menos destaque nas grandes ligas.

Não é novidade para nenhum Doente por Futebol que o Brasil foi pouco representado nas últimas temporadas nos principais campeonatos europeus. Um bom exemplo disso foi a premiação da Bola de Ouro FIFA de Melhor Jogador do Mundo, que aconteceu na última segunda-feira, dia sete de janeiro. Nenhum jogador brasileiro subiu ao palco para receber prêmio entre os três melhores. Na verdade, o melhor entre todos os nascidos em nosso querido país foi o jovem Neymar, 13º colocado.

E não para por aí, a última vez que um brasuca esteve entre os finalistas foi no ano de 2007, quando o então jogador do Milan, Kaká, ficou em primeiro lugar, depois de uma temporada memorável pelo clube italiano, conquistando a Liga dos Campeões.

Foto: Agência Getty – Kaká foi o último brasileiro a ser eleito pela FIFA como Melhor Jogador do Mundo, em 2007.

De lá pra cá, nos dois anos seguintes, o mesmo Kaká figurou na quarta colocação, e mesmo assim de forma contestável, já que grande parte da imprensa insistia que ele só mantinha esta ordem pelos seus desempenhos anteriores. Indiferente a isso, um país que já teve em Ronaldo (três vezes), Ronaldinho (duas vezes), Rivaldo e Romário (uma vez cada) recebendo prêmios desde a década de 1990, é pouco o que temos conquistado desde então. Isso sem citar que muitas vezes, como o caso do próprio Ronaldo, quando não venciam, estava entre os finalistas.

Destaca-se ainda que, além de Neymar nestes dois últimos anos, com o 13º lugar em 2012 e o 10º em 2011, entre os vinte melhores desde 2007, tivemos Diego em 19º (2009), Maicon em 17º e Júlio Cesar em 19º (2010) e Daniel Alves também em 19º (2011). Poucos brasileiros e em posições muito abaixo do esperado, agravado pelo anos de 2008 e 2012 com nenhum jogador.

Foto: Reprodução – Hernanes marcou mais gols na Europa entre os brasileiros nas grandes ligas.

Outro ponto marcante da baixa participação brasileira nas ligas da Europa é a artilharia. Os melhores marcadores brasileiros, tomando-se base somente os campeonatos nacionais dos maiores campeonatos, são Hernanes, meia da Lazio da Itália, Lima, atacante do Benfica e Jonathan Reis, atacante do Vitesse da Holanda, todos com sete gols marcados. No entanto, os respectivos jogadores ocupam as posições de 10º, 9º e 19º entre os artilheiros de suas competições, muito pouco para quem já teve vencedores da Bota de Ouro da Europa, premio para aquele mais marcou gols em todo o continente na temporada.

Outro exemplo é na Espanha, onde brasileiros sempre marcaram bastantes gols. O melhor é Léo Baptistão, jovem revelação (olho nele!) que atua no pequeno Rayo Vallecano. O jogador ocupa a misera 18º colocação da artilharia, com apenas seis marcados.

Foto: Reprodução – O Jovem Leo Baptistao é o brasileiro que mais fez gol no campeonato espanhol.

Não só de lamentos vive o futebol tupiniquim na Europa, é verdade. Alguns jogadores tem se destacado, entre eles os zagueiros Thiago Silva e David Luiz, os laterais Marcelo e Daniel Alves, e o volante Ramires, que inclusive é o brasileiro que mais fez gols no Campeonato Inglês, com três, ocupando a posição de número 67 na lista. Em comum, nenhum deles joga em posições ofensivas, onde o Brasil dominava até poucos anos atrás.

Preponderantemente, o local onde há mais destaque para jogadores do Brasil é o leste europeu. Na Ucrânia, um dos países emergentes e destino de muitos jogadores não tão famosos, o maior clube, Shakhtar Donetsk, tem em William e Fernandinho dois pilares de sustentação de sua base ofensiva, como já destacado em várias matérias da Doentes por Futebol. Pouco, pra quem um dia reinou nas ligas principais.

Foto: Reprodução – O Brasil ainda brilha no Leste Europeu, com Willian (esquerda), pelo Shakhtar Donetsk.

Verdade é que o Brasil tem perdido espaço no velho continente, o que fragiliza a imagem em comparação ao que um dia foi, tanto que a seleção nacional ocupa a pior posição de sua história no ranking da FIFA, 18º lugar – pode culpar a não participação nas eliminatórias, mas o nível baixo de alguns adversários e por não apresentar vitórias contra as grandes seleções piora a situação. Mas com a Copa do Mundo do Brasil batendo à porta, talvez este cenário volte a mudar.

Não podemos deixar de falar que também muitos atletas têm preferido permanecer aqui, com a qualidade e a condição financeira dos nossos clubes melhorando, o que permite uma carreira interna maior. Tanto que Neymar, o ídolo desta geração, ainda joga aqui, e Lucas, outro expoente deste ciclo, só se transferiu agora (indo para o Paris Saint- Germain).

Foto: Reprodução – Neymar e Lucas são a esperança para o resgate do futebol brasileiro.

Aliás, a “quebra” de ciclo também influencia a atual situação.

A seleção sempre teve grandes jogadores nas mais diversas gerações, estes que ao ficarem mais experientes se mesclavam e aos poucos davam lugar aos novos. No entanto, muitos dos que deveriam fazer parte do grupo que antecede o atual composto por Neymar, Lucas e Oscar, por exemplo, acabou de alguma forma, não contribuindo, casos de Ronaldinho e Kaká (que ainda podem contribuir), além de Adriano, Júlio Cesar e Maicon, que não conseguem mais voltar à velha forma, forçando aos jovens a se tornarem estrelas e tomarem a posição de lideres, mesmo ainda não tendo a experiência efetiva para isso.

Foto: Reprodução – Lúcio, Júlio César e Maicon, antes pilares do Brasil, hoje estão fora dos planos da seleção.

Possivelmente que Haja outros fatores, sem dúvida, mas fica a ideia de que “falta algo” para o futebol brasileiro, tão adorado e admirado no mundo todo.

E fica aqui a pergunta: O Brasil ainda tem potencial para brilhar? O que você, Doente por Futebol, o acha desta situação? Comente conosco!

Comentários

Natural de Belo Horizonte. Torcedor do Cruzeiro e da Juventus. Um Doente por Futebol. Desde pequeno um apreciador do esporte mais popular do mundo, preferindo mais em acompanhar do que jogar (principalmente por não ter talento algum com a bola).