CAN 2013: África do Sul, caminho do futebol da África!

  • por Lucas Sartorelli
  • 6 Anos atrás
Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Por Rogério Bibiano.

Começa no próximo dia 19/01 a 29ª edição da Copa Africana das Nações, tendo por sede a África do Sul. Inicialmente o torneio era para ser disputado na Líbia; porém, devido a situação política instável pela qual passa a Líbia, a CAF mudou para a África do Sul a sede do torneio.

Além da África do Sul, previamente classificada por ser país-sede, outras 46 nações inscreveram-se e participaram das eliminatórias para a CAN 2013, que definiram os 15 participantes finais que juntam-se ao país-sede. Devido à falta de datas, as eliminatórias tiveram um formato mais curto, com apenas 3 fases eliminatórias.

Após quatro anos, os anfitriões retornam à disputa continental. Nigéria, Togo, República Democrática do Congo e Argélia, ausentes da edição 2012 também retornam à fase final da CAN. A Etiópia reaparece pela primeira vez desde 1982. Cabo Verde faz a sua estreia em fases finais da competição. Egito (maior campeão da história, com sete títulos) e Camarões (segunda maior vencedora, junto com a Nigéria, com quatro títulos), são, pela segunda vez consecutiva, as grandes ausências da Copa Africana das Nações. Além das citadas seleções, Congo e Sudão são outras seleções que já venceram e estão ausentes.

Um dos desafios da África do Sul como sede será, tal qual em 2010, a questão da segurança, em especial para os torcedores que irão visitar o país. Cabe lembrar que a África do Sul estava programada para sediar a CAN em 2015, sendo escolhida para substituir a Líbia devido à infra-estrutura de um país que recém organizou uma Copa do Mundo.

As Sedes

Para a CAN 2013, foram selecionadas pela Associação de Futebol da África do Sul cinco cidades para receber os jogos ao longo do torneio: Johannesburg, Durban, Port Elizabeth, Nelspruit e Rustenburg. Esta é a segunda vez que a África do Sul recebe uma CAN. A primeira foi em 1996, quando os sul-africanos conquistaram seu único troféu.

Johannesburg – FNB Stadium/Soccer City

O First National Bank Stadium, ou FNB Stadium, como é chamado pelos sul-africanos desde sua inauguração, em 1989, é conhecido ao redor do mundo por Soccer City. Isto se deve à “retirada” da FIFA do seu nome ofical por este fazer menção a uma entidade que não patrocinava o evento oficialmente, tampouco à própria FIFA.

A capacidade do estádio é de 94.736 torcedores. É a casa da Seleção da África do Sul, os “Bafana Bafana”, sendo também utilizado pelo Kaizer Chiefs (um dos clubes de futebol da cidade). Foi palco da final da Copa do Mundo 2010 e graças ao Mundial, passou por uma reforma, com custo oficial de US$440 milhões. O estádio recebeu oito jogos ao todo durante o torneio.

O recorde de público do FNB Stadium/Soccer City, é de 94.713 torcedores num jogo de rúgbi entre África do Sul x Nova Zelândia, em agosto de 2010. O estádio também sediou dez jogos na CAN 1996. Para a CAN 2010, o número de jogos será extremamente reduzido; serão apenas três jogos, a rodada de abertura, com dois jogos, no dia 19/01, e a final da competição, agendada para o dia 10/02.

Durban – Moses Mabhida Stadium

Localizado às margens do Oceano Índico, com uma previlegiada vista, o Moses Mabhida Stadium é uma homenagem ao ex-secretário do Partido Comunista Sul-Africano, Moses Mabhida, que foi uma figura política atuante na África do Sul durante o auge do regime de segregação racial, o Apartheid, e falecido em 1986 devido problemas de saúde.

O estádio atualmente tem capacidade para 54.000 torcedores. Foi reinaugurado em 2009 para o Mundial, após reformas que custaram US$450 milhões, deixando o estádio num padrão de arena multiuso. Também foi sede de jogos durante a Copa do Mundo 2010, quando sua capacidade era de 62.760 torcedores. No torneio, o Moses Mabhida Stadium recebeu sete jogos, incluindo o confronto Brasil x Portugal, recebendo 62.712 torcedores, recorde de público do estádio.

Construído dez anos após a CAN 1996, o estádio irá receber seus primeiros jogos pelo tradicional torneio nesta CAN 2013. Serão seis partidas ao todo, sendo quatro na fase de grupos, um nas quartas-de-final e um jogo semifinal.

Port Elizabeth – Nelson Mandela Bay Stadium

Com uma vista privilegiada tal qual a sua arquitetura, o Nelson Mandela Bay Stadium, construído especialmente para a Copa do Mundo na África do Sul, foi inaugurado oficialmente em fevereiro de 2010. Seu nome é uma homengagem ao ex-presidente sul-africano e um dos heróis nacionais na luta contra o apartheid, Nelson Mandela. Por sinal é o único estádio do país em homenagem ao ex-presidente e segundo no continente.A sua capacidade é de 48.459 torcedores, porém, na Copa do Mundo 2010, esta capacidade foi reduzida para 42.486 torcedores.

Historicamente Port Elizabeth não tem tradição no futebol, em razão disto, os clubes que utilizam o estádio, são de rugby: Easter Province Kings e South Africa Sevens. Sua construção teve um custo estimado de US$270 milhões.

Durante a Copa do Mundo 2010, o Nelson Mandela Bay Stadium recebeu oito jogos, incluindo Brasil 1×2 Holanda, recorde de público no futebol, com 40.186 torcedores. Na CAN 2013, sediará seis jogos na fase de grupos, um jogo nas quartas-de-final e a decisão de terceiro lugar, totalizando oito jogos.

Nelspruit – Mbombela Stadium

Este é mais um estádio especialmente construído para a Copa do Mundo 2010, sendo alvo de contestações judiciais devido a uma série de controvérsias em torno de acusações de corrupções.

Seu nome é uma homenagem à cidade de Nelspruit, que oficialmente chama-se Nelspruit Mbombela. A FIFA porém, ao longo do Mundial 2010, optou, sabe-se lá porque, por não colocar o nome completo da cidade. A sua capacidade é de 40.929 torcedores e ele se destaca pelo estilo tribal da sua arquitetura, com suas famosas colunas em forma de girafa.

No Mbombela Stadium atuam o Bidvest Wits, no futebol, e o Pumas, no rugby. A Seleção Sul-Africana de futebol costuma usar o estádio em jogos contra seleções de menor expressão, devido a sua capacidade.

Em 2010, na Copa do Mundo, o Mbombela Stadium recebeu quatro jogos. Para a Copa Africana das Nações deste ano, o estádio irá sediar sete jogos, sendo cinco da fase de grupos, um jogo das quartas-de-final e mais um semifinal.

Rustenburg – Royal Bafokeng Stadium

Inaugurado em 1999 e reformado para a Copa do Mundo 2010, é um dos estádios mais tradicionais da África do Sul. Pertencente à nação Royal Bafokeng, tradicional grupo étnico, que tem a monarquia presente numa espécia de departamento autônomo dentro da África do Sul. O estádio foi reinaugurado em 2009 durante a Copa das Confederações.

A sua capacidade até a reforma era de 38.000 torcedores; após a reforma passou para 42.000 torcedores. É utilizado pelo Platinum Stars, equipe de futebol, e pelo time de rugby do Leopards. Além do futebol e do rugby, o estádio é bastante utilizado para competições de atletismo, pertencendo a uma área que abrange um complexo esportivo, denominado Royal Bafokeng Sports Palace.

Na Copa das Confederações de 2009, recebeu quatro jogos. Um ano depois, na Copa do Mundo, foi sede de seis partidas. Na CAN 2013, irá receber cinco jogos na fase de grupos e um jogo pelas quartas-de-final, totalizando seis jogos.

 

 

Comentários

Paulistano, projeto de jornalista e absolutamente ligado a tudo o que envolve essa arte chamada futebol, desde a elegante final de uma Copa do Mundo às peculiaridades alternativas das divisões mais obscuras de nosso amado esporte bretão. Frequentador assíduo nas melhores (e piores) várzeas e peladas de fim de semana, sempre à disposição para atuar em qualquer posição.