O Flamengo campeão da Copinha em 90

  • por Bráulio Silva
  • 7 Anos atrás
Em pé: Fábio Augusto, Piá, Edmílson, Júnior Baiano, Mário Carlos e Adriano. Agachados: Rodrigo, Luis Antônio, Djalminha, Fabinho e Nélio. (Créditos: Flamengo Site Oficial)

Em pé: Fábio Augusto, Piá, Edmílson, Júnior Baiano, Mário Carlos e Adriano. Agachados: Rodrigo, Luis Antônio, Djalminha, Fabinho e Nélio. (Créditos: Flamengo Site Oficial)

A Copa São Paulo de Futebol Junior sempre se destacou por ser a competição de base com mais visibilidade no futebol brasileiro. Em edições anteriores, o torneio se vangloria de ter revelado Falcão (72), Toninho Cerezo (75) Casagrande (80), Denner (91), Valdir Bigode (93), entre outros. Revelações que voltaram a surgir aos montes nos últimos anos. Os que mais se destacaram nos últimos anos: Neymar e Ganso (Santos), Guilherme, Dudu e Bernardo (Cruzeiro), Breno, Oscar, Casemiro e Lucas (na época Marcelinho) do São Paulo.

Mas nada se compara ao time do Flamengo de 1990. Geração excelente dos meninos formados na Gávea. Time em que a grande maioria serviu à seleção brasileira, ou pelo menos se firmou na carreira futebolística.

O time base contava com Adriano, Mário Carlos, Tita, Júnior Baiano e Piá; Fabinho, Marquinhos (Fábio Augusto) e Djalminha; Marcelinho Carioca, Nélio e Paulo Nunes.

O jogo inesquecível dessa molecada ocorreu na semi-final, quando no Pacaembu lotado o Flamengo bateu o Corinthians por incríveis 7×1. Com atuação de gala do jovem Djalminha, que comandou a goleada.

Na final – mesmo desfalcados de Marcelinho, Marquinhos e Paulo Nunes, que defendiam a seleção sub-20 – o Flamengo venceu o Juventus por 1×0, golaço de Júnior Baiano em assistência de Djalminha. E o time acabou sendo a base do elenco rubro-negro que venceu o Brasileirão de 92. Afinal, “craque o Flamengo faz em casa”.

Confira o gol do título:

Comentários

Paulistano, casado e com 33 anos. Apaixonado por futebol e pelo São Paulo FC. De memória privilegiada, adora relatar e debater fatos futebolísticos de outrora. Ex-estudante de jornalismo, hoje gerencia uma drogaria no município de Barueri, além de escrever para a Doentes por Futebol.