Guia do Campeonato Mineiro 2013 – Parte 2

  • por Alexandre Reis
  • 8 Anos atrás

69-171-thickbox

Por Alexandre Reis, Henrique Joncew e Victor Quintas

Não viu a Parte 1? Clique aqui.

 

Completando o Guia do Campeonato Mineiro de 2013, a Doentes por Futebol traz a parte 2. Confira:

 

Caldense

Depois de um razoável estadual no ano passado, terminando na sétima posição, a Caldense entra com novo gás. Com a diretoria toda reformulada, aposta em jogadores com experiência internacional. Foram seis contratações: Cléber, ex-Tratan (Eslováquia), Tuta, ex-Bangkok United (Tailândia), Paulão, ex-Gil Vicente (Portugal), Tiago (ex-Málaga-ESP), Jô (futebol chinês e português) e Luiz Eduardo, ex-Etar Tavorno (Bulgária). Ao todo, o número de reforços é de quase 20 jogadores. O meia Rossini e o atacante André Leonel foram destaques nos jogos da pré-temporada e são esperanças de gols para a Veterana.

No comando técnico, Tarcísio Pugliese, de apenas 33 anos, será o responsável por comandar a equipe de Poços de Caldas nesse estadual. A Caldense manda seus jogos no Ronaldo Junqueira, mais conhecido como Ronaldão, com capacidade para 20 mil pessoas.

 

Cruzeiro

Com novo técnico e um elenco totalmente mudado, o Cruzeiro entra na competição com o objetivo de apagar o fiasco no estadual anterior. Até o momento, foram 13 contratações e 15 saídas. Apesar de uma previsível falta de entrosamento com o novo time no início da competição, a equipe de Marcelo Oliveira não deve ter grandes dificuldades para se classificar e chegar mais à frente. Reformulado com alguns destaques da Série B de 2012 e nomes como Dagoberto e Diego Souza, o time vem um pouco mais forte em relação ao ano passado para tentar buscar o trigésimo sétimo título mineiro. O elenco vem pressionado pela torcida, que espera um futebol mais confiável e vistoso em comparação aos dois últimos anos.

No Mineiro de 2012, o time terminou a primeira fase em segundo lugar, com 28 pontos, 9 vitórias, 1 empate e 1 derrota. Classificou para a semifinal, mas foi eliminado pelo América-MG, perdendo os dois jogos por 3 a 2 e 2 a 1. Neste ano, conta com a volta de sua velha casa, o Mineirão, totalmente reformado.

 

Guarani

O técnico Leston Junior diz que o Bugre buscará estabilidade para, então, correr atrás de uma boa colocação e participar novamente da Série D do Brasileirão. Novatos chegaram e Asprilla (zagueiro, ex-Botafogo) talvez seja o maior nome. Outro reforço foi Carlos Junior, atacante revelado pelo América. Ainda retornaram o meia Joubert, do Nacional, e o volante André, ex-capitão do time, do América-RN.

O Guarani mandará seus jogos no Farião, que pode receber cerca de 4000 pessoas. Terá a capacidade mais que duplicada quando for colocado em prática o projeto de expansão do estádio.

 

Nacional

Sediado em Patos de Minas, o time treinado por Alexandre Grasseli tem em Rodrigo Posso (ex-Cruzeiro) sua maior estrela. Manteve a base que chegou às oitavas de final do Brasileirão Série D de 2012. Entre as contratações, o lateral Luisinho, que já atuou por várias equipes do futebol brasileiro, principalmente no Cruzeiro, é a principal delas.

A expectativa é que o Nacional lute pela quarta vaga, mas se repetir a boa campanha do ano passado, quando ficou em quinto lugar, já será uma alegria para a pequena torcida do interior. Seu estádio é a Arena Kickball (Estádio Bernardo de Queiroz), com capacidade para quase 9 mil espectadores.

 

Tombense

Estreante na competição, o Tombense entra no campeonato com o objetivo de permanecer da elite do futebol mineiro. Para o nível da equipe, o time da cidade de Tombos contratou bons nomes. Dentre eles, o lateral direito e volante Joílson, ex-Cruzeiro, Botafogo e São Paulo; e Adeílson, ex-América-MG e Fluminense. O time é comandado por Marcelo Cabo, ex-auxiliar de Dunga na seleção. Tem imensas chances de se complicar logo no início, uma vez que enfrenta Cruzeiro e Atlético-MG já nos primeiros quatro jogos.

Além de não possuir um elenco competitivo e forte, o time ainda sofre com a falta de estádio para mandar seus jogos, já que o seu se encontra em reforma e não há garantia de tê-lo pronto até o início do campeonato. Ipatinga e Juiz de Fora são nomes cotados.

 

Tupi

Forte em Minas Gerais no passado recente e campeão da Série D do Brasileiro em 2011, o Tupi de 2013 é quase totalmente diferente de últimos anos. Rejuvenescido (média de idade de pouco mais de 22 anos), o alvinegro apostou em muitos jovens para compensar as saídas de Rodrigo (goleiro), Wesley Ladeira (zagueiro) e outros, e mostrar capacidade de reconstrução para manter-se como principal time do interior mineiro.

Cerca de 14000 pessoas poderão prestigiar o Tupi quando este for o mandante, no estádio Radialista Mário Helênio, onde o sol é sempre um adversário a mais para os goleiros (o campo não é orientado segundo a direção norte-sul).

 

Villa Nova

A diretoria do Leão do Bonfim reforçou bastante para o campeonato. Foram 15 contratações. Destaque para o meia-atacante Tchô, ex-Atlético-MG e seleção brasileira sub-20, que retorna ao futebol mineiro após passagens pelo futebol português, Guaratinguetá e Bragantino. A exemplo do Cruzeiro, o time alvirrubro foi completamente alterado, podendo levar algum tempo para o (também novo) técnico do clube definir um padrão de jogo. A tabela ajuda, colocando um adversário de expressão somente na 8ª rodada.

No ano passado, o clube quase foi rebaixado para o Módulo II da competição. Na ocasião, o Villa Nova ficou na 10ª colocação com 10 pontos, 2 vitórias, 4 empates e 5 derrotas. Manda seus jogos no Castor Cifuentes, apelidado de Alçapão do Bonfim, com capacidade para aproximadamente 5 mil pessoas.

Comentários

Estudante de Jornalismo, apaixonado por futebol. Seja a final da Copa do Mundo, as semifinais de uma Copa Rural, um jogo da Liga dos Campeões ou eliminatória da 4° divisão de algum campeonato amador do interior.