Guia do Campeonato Mineiro 2013 - Parte 1 » DPF

Guia do Campeonato Mineiro 2013 – Parte 1

  • por Alexandre Reis
  • 7 Anos atrás

Por Alexandre Reis, Henrique Joncew e Victor Quintas

 

O Campeonato Mineiro de 2013 está chegando. Para alguns Doentes, é uma perda de tempo, para outros – a maioria – é uma chance de ver tradicionais clubes do interior em ação. Indiferente a isso, trazemos um resumo do torneio e dos clubes participantes. Os favoritos são os mesmos, Atlético e Cruzeiro, mas torcer para alguma zebra sempre fez parte da torcida mineira. Façam suas apostas: barbada ou surpresa? Os times da capital farão boas campanhas? Qual time do interior se destacará? Quem fica na frente, a Raposa ou o Galo? Acompanhem conosco, Doentes.

O formato:

A fórmula é simples: 12 clubes se enfrentarão em turno único. E se os times empatarem em pontos? Aí se aplicarão os seguintes critérios, nesta ordem: número de vitórias, saldo de gols, gols marcados, confronto direto, cartões vermelhos e cartões amarelos.

Essa parte esclarecida, uma vez estabelecida a classificação, isto é o que ocorrerá: os 2 últimos colocados darão adeus à elite do futebol mineiro e cederão lugar para os dois primeiros da divisão inferior. Já os 4 primeiros colocados disputarão a fase final: semifinais (1º x 4º, 2º x 3º) e final com jogos de ida e volta. O melhor classificado na primeira fase joga a segunda partida do confronto em casa e tem a vantagem de jogar por 2 resultados, se não iguais, semelhantes (vitórias por mesma diferença de gols, 2 empates por qualquer placar).

Os times:

América


Terceira força do estado, o América é favorito a uma vaga na semifinal. Em 2012 desbancou o Cruzeiro e foi finalista. O técnico Vinícius Eutrópio se dá por satisfeito na pré-temporada, mas avisa: ainda há muito o que melhorar. Os veteranos Fábio Júnior, no ataque, e Neneca, no gol, e o meia Rodriguinho são os principais nomes em que o Coelho confia para voltar a beliscar um título e entrar motivado para a disputa pelo acesso no Campeonato Brasileiro da Série B. A grande novidade do time é o atacante Felipe, ex-Atlético Goianiense, Náutico e Goiás.

A recentemente reformada Arena Independência, com capacidade para 23 mil pessoas, será, é claro, onde o América mandará seus jogos.

América-TO

O tradicional time do leste do estado, o América de Teófilo Ottoni, tentará repetir a bela campanha de dois anos atrás, quando ficou em quarto lugar, atrás somente dos grandes da capital, sagrando-se o campeão do interior. O técnico Gilmar Stevam terá um elenco de 22 jogadores, pouco para uma boa campanha. Não fez grandes contratações, mas destaca-se o atacante Elivelton, de 30 anos, que defendeu o Náutico como time de maior expressão.

Favorito ao rebaixamento, quase caiu no ano passado, ficando em nono lugar. Seu único trunfo será o Estádio Nassri Mattar, para cinco mil pessoas, onde acaba fazendo jogos duros contra seus adversários. O calor de Teófilo Ottoni funciona para o América de forma semelhante à altitude para times bolivianos.

Araxá


Campeão do Mineiro do Módulo II em 2012, o Araxá, sediado na cidade homônima, pode contar com o atacante Fabrício Carvalho, bastante conhecido no interior paulista, para marcar gols no Estadual. Um elenco desconhecido, mas bastante coeso, é comandado pelo treinador Ney da Matta, tem também o volante Bruno Octávio (ex-Corinthians) como destaque recente. Breitner (ex-Santos) é outra contratação para a disputa do mineiro. O meia-atacante venezuelano é o primeiro estrangeiro da história do clube.

Seu estádio, o Majestoso (Estádio Fausto Alvim) passa por reforma para se adequar às regras da federação mineira. Essa ausência pode atrapalhar um pouco as ambições do Ganso (como também é conhecido) no Estadual. Permanecer na elite mineira é sua principal meta.

Atlético

Buscando o bicampeonato, o Galo chega como favorito ao título. O alvinegro encerrou 2012 em alta, com vaga na Libertadores e respeitado pelos adversários como há muito não se via. Para 2013, manteve seus grandes nomes: Victor, Réver, Bernard e, claro, Ronaldinho Gaúcho, além da comissão técnica chefiada por Cuca. Ainda buscou reforços, com destaque para Gilberto Silva (hoje zagueiro, retornando ao Galo após mais de 10 anos), Rosinei (volante, ex-Corinthians) e Alecsandro (atacante ex-Cruzeiro, Inter e Vasco). A preocupação com o ataque, setor muito criticado na última temporada, foi grande, e ainda há negociações pela vinda de alguém para ser o dono da grande área. Com elenco cheio, o Galo procurará conciliar uma briga forte pelo título estadual com a disputa da tão sonhada Taça Libertadores da América, da qual não participa há mais de uma década.

Por força de contrato, o Galo terá que mandar todos os seus jogos na Arena Independência, assim como o América.

Boa Esporte

O Boa Esporte Clube, sediado em Varginha, hoje é a quarta força do estado. Conta com dois nomes conhecidos, o meia-atacante Marcelinho Paraíba (ex-São Paulo, Hertha Berlim), e o volante Radamés (ex-Fluminense). Os dois jogadores são remanescentes da mudança que o clube fez, que deixou somente mais nove remanescentes para a temporada 2013. Assim, após contratações sem muita expressão, o técnico Sidney Moraes conta com um elenco rejuvenescido, com média de idade de 25 anos.

Teoricamente, é o favorito do interior para ficar com a quarta vaga das semifinais. No entanto, o Boa disputará neste ano Brasileirão da Série B e a Copa do Brasil, o que pode prejudicar as chances de boa campanha no Estadual. Mandará seus jogos no Melão (Estádio Dilzon Melo), em Varginha, com capacidade para pouco mais de 15 mil pessoas.

 

Clique aqui para ver a Parte 2.

Comentários

Estudante de Jornalismo, apaixonado por futebol. Seja a final da Copa do Mundo, as semifinais de uma Copa Rural, um jogo da Liga dos Campeões ou eliminatória da 4° divisão de algum campeonato amador do interior.