Projeto Swanselona

  • por Gregor Vasconcelos
  • 8 Anos atrás

Na quarta-feira, o Swansea coroou seu posto como a grande sensação das duas útimas temporadas do futebol Inglês com o empate contra o Chelsea, que garantiu a classificação dos Swans para a final da Capital One Cup, a Copa da Liga Inglesa, pela primeira vez em sua história. Final na qual serão favoritos no confronto contra o ainda mais surpreendente Bradford.

Pode parecer que o Swansea virou o queridinho dos neutros da Premier League da noite para o dia, mas o sucesso de hoje em dia vem de um projeto começado em 2007, com a chegada de Roberto Martinez, agora treinador do Wigan, ao clube.

Em 1986, problemas financeiros fizeram o Swansea cair da elite do futebol inglês diretamente para a quarta divisão. Após uma ascensão meteórica, quando o clube subiu todas as divisões em 10 anos, a queda conseguiu ser mais rápida ainda, os levando à estaca zero, após cinco anos na Premier League. Depois disso o Swansea virou um clube ioiô, saltitando entre as divisões inferiores do futebol inglês. Em 2003, o clube inclusive brigou contra o rebaixamento da quarta divisão, o que os levaria a conferencia.

2005 foi o último ano em que os Swans viram a quarta divisão, quando uma vitória sobre o Bury, no ultimo dia da temporada, garantiu o terceiro lugar. A primeira temporada de volta a League One (terceira divisão) foi promissora, com a vaga ao Championship escapando nos pênaltis na final do playoff. Depois disso, campanhas medianas fizeram o então treinador Kenny Jacket pedir demissão. Então sobrou para o espanhol Roberto Martinez, ex-jogador do clube, a missão de tirar o Swansea do ostracismo.

Foto: Getty Images – A chegada de Roberto Martinez marcou a virada na sorte do Swansea



Com sua chegada ao Swansea, Martinez viu como prioridade estabelecer uma visão futebolística que virasse marca registrada do Swansea, se modelando em clubes como Barcelona e Arsenal o seu estilo de futebol arte. Martinez implementou na equipe um estilo de jogo espanhol, o que é refletido até hoje, já que o Swansea conta com 4 espanhóis em seu elenco, todos titulares. Na primeira temporada de Martinez, o Swansea subiu ao Championship (2ª divisão) com impressionantes 92 pontos. Após uma boa primeira temporada, quando terminaram em oitavo lugar, Roberto Martinez deixou o Swansea rumo a Wigan, outro de seus ex-clubes, tendo deixado a fundação para o sucesso de um clube. 

Na temporada seguinte, com o português Paulo Sousa no comando, o Swansea terminou em sétimo, apenas 1 ponto fora da zona dos playoffs. Mais uma troca de treinadores fez Brandon Rodgers chegar a Swansea em em 2010 e logo em sua primeira temporada, levar o Swansea ao terceiro lugar e uma vitória por 4-2 sobre o Reading na final dos playoffs em Wembley. Do mesmo jeito que Martinez fez o Swansea ser conhecido como o Arsenal das divisões inferiores, Rodgers também mudou o estilo do time, priorizando mais a posse de bola do que ataques rapidos e incisivos.

Foto: Getty Images – Dando continuidade ao trabalho de Martinez, Rodgers levou o Swansea de volta a Premier League pela primeira vez em 25 anos


O Swansea subiu à Premier League e aos poucos foi confirmando seu apelido de Swanselona. Muitos acreditavam na queda imediata, mas a temporada terminou em um honroso 11º lugar, sem nenhum risco de rebaixamento. 

O sucesso fez com que Brendan Rodgers saisse do clube rumo a Liverpool. Jogadores importantes como Sigurdsson, Allen e Sinclair enfraqueceram ainda mais o já pequeno elenco dos Swans. A chegada de Michael Laudrup pouco entusiasmou, e mais umA briga contra o rebaixamento era prevista para os Swans.

Foto: Reuters – Mais uma vez apostando no bom futebol, o Swansea foi atras de Michael Laudrup, que levou o clube a sua primeira final da Copa da Liga inglesa


Mas as chegadas de Laudrup e do atacante Michu, injetaram ânimo novo ao Swansea, que no final da temporada se mostrava previsível demais. O estilo de Rodgers fazia o time parecer às vezes muito burocrático, apenas tocando a bola na defesa sem saber o que fazer com ela no ataque. Já com Laudrup, o Swansea voltou ao estilo implementado por Martinez e criou um time mais arisco, incisivo, que pode ser mais vulnerável na defesa, mas em compensação é muito mais letal no ataque, como foi mostrado nas vitórias espetaculares contra Arsenal e Chelsea em Londres.

A classificação a final da Capital One Cup, foi apenas a coroação de um clube que investiu em um projeto: o de identificar o clube não com um treinador, mas com um estilo de jogo que deve ser seguido por qualquer outro que vá um dia treinar o Swansea. O sucesso dos Swans mostrou não apenas como a estabilidade é importante para o sucesso de clubes de menores portes, como também mostrou que é possivel ter sucesso na Inglaterra jogando um futebol vistoso e limpo, de uma maneira muito diferente do que a maioria dos clubes tenta fazer ao subir para a Premier League.

Foto: PA – Michu, sempre ele, comemora o gol que abriu o caminho para a vitória do Swansea sobre o Chelsea em Londres

Comentários

Torcedor fanatico do Arsenal e do Flamengo, Gregor é fã de longa data da Premier League, acompanhando a liga avidamente há 10 temporadas. Formado em linguística inglesa pela universidade King's College em Londres, agora faz mestrado em linguistica e literatura na universidade de Zurich. Colunista da extinta revista "Doentes por Futebol", hoje é o editor de futebol inglês no site.