Parabéns, Rogério Ceni

  • por Bráulio Silva
  • 6 Anos atrás

O goleiro Rogério Ceni completa hoje 42 anos hoje. Nascido em Pato Branco-PR, o jovem iniciou a carreira no modesto SINOP (MT) e transferiu-se para o São Paulo aos 17 anos.

Tornou-se profissional em 1993, após conquistar a Copa São Paulo no começo do ano. Sua estreia no time principal foi em um torneio amistoso na Espanha. A primeira conquista como profissional foi a Copa Conmebol, competição que o São Paulo disputou com os reservas – o famoso Expressinho. A titularidade chegou em 1997. Zetti, que era o dono da posição desde 1991, deixou o Morumbi a caminho do Santos, abrindo espaço para o jovem que buscava um lugar ao sol. O começo foi difícil e ele era visto com desconfiança por imprensa e torcida.

Ceni em seu começo de carreira / UOL

O diferencial do goleiro, que demonstrou saber jogar com os pés, apareceu ainda em 97, quando anotou o seu primeiro gol de falta contra o União São João. O primeiro título como titular veio em 1998, quando conquistou o Paulistão diante do Corinthians. Em 2000, repetiu a dose diante do Santos, com direito a um inesquecível gol de falta na partida decisiva. O terceiro título estadual veio em 2005.

O veterano goleiro viveu seu auge entre 2005 e 2008. No período, conquistou o tri-campeonato brasileiro seguido – feito inédito até então – uma Libertadores e um mundial (sendo eleito o melhor da competição). O pior momento foi em 2009, quando acumulou diversas falhas e machucou o tornozelo, afastando-o dos gramados por 5 meses. Entre seu retorno no fim de 2009 e a temporada de 2012, Ceni sofreu com diversas lesões. A mais grave delas, no ombro direito, o tirou de quase toda a temporada de 2012. No retorno, apesar de alguns jogos inseguros, o goleiro retomou sua boa forma. E foi figura importante na conquista da Copa Sul-Americana e também na fase final do Brasileirão. Agora, após mais um bom Campeonato Brasileiro, ele retorna a Libertadores da América para se despedir do futebol.

Com a tão sonhada taça da Libertadores, em 2005

Como uma forma de homenageá-lo nessa data tão importante, listaremos aqui seis jogos inesquecíveis do aniversariante do dia:

6- Cruzeiro 2×2 São Paulo, jogo válido pelo Brasileirão de 2006. O São Paulo havia acabado de perder a final da Libertadores para o Inter, com uma falha do goleiro. No jogo em questão, o tricolor perdia por 2×0 e tinha um pênalti contra. Ceni defendeu a cobrança. Na sequência, fez 2 gols e empatou o jogo.

5- Universidad Católica 3×4 São Paulo – Sul Americana de 2013 – No pior ano como profissional onde o time não conquistou títulos e ficou o tempo todo ameaçado pelo rebaixamento, O goleiro aos 40 anos realizou uma das maiores atuações da carreira. Foram sete ou oito defesas incríveis e que ajudaram o São Paulo a avançar de fase na competição. Fica como a quinta maior atuação.

4- Portuguesa 0x1 São Paulo, Brasileirão de 2001. Jogo com poucos registros, mas que não sai da memória de quem assistiu. Em uma tarde chuvosa, Ceni pegou até pensamento, levando o atacante Ricardo Oliveira ao desespero.

3- São Paulo 2×1 Corinthians, Paulistão de 2011. O jogo que ficou marcado por ter sido o jogo do 100º gol. Na partida, além do gol histórico, Ceni efetuou 2 lindas defesas, garantindo o resultado.

2- São Paulo 2×1 Rosário Central (5×4 nos pênaltis), Libertadores 2004. O São Paulo perdeu o jogo de ida e perdia o jogo de volta, quando Grafite virou o placar, levando o jogo para os pênaltis. Na decisão, Cicinho perdeu o primeiro. E todos foram convertendo, inclusive Rogério, que bateu o último do tricolor. Se o goleiro do Rosário fizesse, os brasileiros seriam eliminados. Ceni defendeu o de Gaona e também do cobrador seguinte, levando o time para a próxima fase.

1- São Paulo 1×0 Liverpool, Mundial de Clubes em 2005. O gol foi do volante Mineiro, mas todas as glórias foram para o goleiro. Rogério fechou o gol com defesas incríveis. A mais famosa delas na falta cobrada por Gerrard. A mais difícil em uma cabeçada de Luís Garcia. Naquela noite, Ceni conquistava o mundo.

Fica aqui nossa pequena homenagem ao goleiro que completa 42 anos e que dedicou a maior parte da sua vida ao São Paulo FC.

Comentários

Paulistano, casado e com 33 anos. Apaixonado por futebol e pelo São Paulo FC. De memória privilegiada, adora relatar e debater fatos futebolísticos de outrora. Ex-estudante de jornalismo, hoje gerencia uma drogaria no município de Barueri, além de escrever para a Doentes por Futebol.