A Europa é logo ali, Neymar

  • por José Eduardo Volpini
  • 8 Anos atrás

Elaborado por Henrique B. Souza

Desde sua chegada aos juniores do Santos, Neymar já era tratado como uma grande promessa, chegando até mesmo a sofrer assédio do Real Madrid. Após sua estreia como profissional, no ano de 2009, quando chamou a atenção nas semifinais do Campeonato Paulista ao marcar um gol contra o Palmeiras, as expectativas sobre ele foram aumentando. Em 2010, juntamente com Paulo Henrique Ganso, André, Robinho e Arouca, fez parte do time que ganhou o Paulistão e a Copa do Brasil encantando os torcedores pelos gols e futebol ofensivo, tanto que os brasileiros pediram sua convocação e a de Ganso para a Copa do Mundo. O técnico Dunga, porém, não cedeu aos apelos e os jovens jogadores ficaram no Brasil.

Neymar agora é certeza na Copa do Mundo. E sendo o principal nome.

Neymar agora é certeza na Copa do Mundo. E sendo o principal nome.

No mesmo ano, com a troca de Dunga por Mano Menezes após a eliminação nas quartas-de-final, o santista foi chamado na primeira convocação do novo técnico e estreou com gol no amistoso contra os Estados Unidos. De lá pra cá, o jovem jogador esteve presente na maioria das convocações, disputando a Copa América e as Olimpíadas, além de amistosos contra Argentina, Alemanha, entre outras seleções. Com o Santos, venceu a taça Libertadores e foi vice-campeão do Mundial Interclubes. 

Aos 21 anos, Neymar é o principal jogador brasileiro do meio pra frente e astro numa seleção que é composta principalmente por jovens promessas. Porém, diferentemente do que ocorre no Santos, os resultados com o Brasil não são satisfatórios. Com o fracasso na Copa América e nas Olimpíadas e as derrotas para países tradicionais como Alemanha, França e Argentina, a seleção brasileira vive um momento de baixa. Nestes jogos mais duros, é nítida a queda de rendimento do atacante, que sofre com a forte marcação.

Neymar lamenta chance perdida.

Neymar lamenta chance perdida.

As más atuações fazem atentar para a necessidade de Neymar deixar o Brasil e ir jogar na Europa. Aqui no continente americano, é disparado o melhor jogador, e desequilibra seja no Campeonato Brasileiro ou na Libertadores. Não há defensor no seu nível e o brasileiro segue marcando gols e mais gols e destruindo uma defesa atrás da outra. 

Na Europa, o atacante poderá continuar sua evolução como jogador. Times como Chelsea, Real Madrid, Barcelona, Manchester City e outros já manifestaram interesse em contratar o atacante. Para um jogador com suas características, o melhor seria ir para a liga espanhola, já que Neymar teria dificuldades com a forte marcação das defesas italianas e com o jogo rápido e físico do Campeonato Inglês. O Barcelona parece estar mais próximo de contratá-lo. Já se fala que os catalães teriam inclusive um acordo firmado com o jogador, que chegaria em 2013. Segundo jornais espanhóis, Messi teria chegado a declarar que gostaria de ser para o brasileiro um mentor, assim como Ronaldinho foi para ele. No Barcelona, além de jogar em uma liga mais competitiva e poder disputar uma grande competição como a Liga dos Campeões da Europa, Neymar não teria a responsabilidade de ser a estrela da equipe, o que ajudaria em sua adaptação.

À equipe espanhola, chegaria com status de titular, já que, logicamente à exceção de Messi, os atletas de ataque do Barcelona não vivem grande fase. Poderia atuar tanto pelos lados num trio Pedro, Messi e Neymar (com Iniesta voltando para o meio-campo e deixando a ponta-esquerda), ou revezando com Messi como “falso nove”, com Iniesta na esquerda e o argentino e o brasileiro invertendo suas posições constantemente, ora na direita, ora no centro do ataque.

Caso optasse pela Premier League, o Manchester City seria o candidato mais provável para assegurar a sua contratação. No City, provavelmente seria escalado na esquerda, formando o tridente de meias com David Silva e Touré. Também especulado no Bayern, especialmente após o anúncio de Guardiola como novo técnico dos bávaros, Neymar teria uma forte concorrência no time alemão. Ribéry e Robben são os donos das pontas do clube alemão, que ainda conta com Muller podendo atuar por ali. O brasileiro chegaria para revezar com o holandês e o francês, além da possibilidade de ser escalado no ataque fazendo o papel que Messi fez para Guardiola no Barcelona. Outra equipe com poderio econômico para contratar o brasileiro é o Paris Saint-Germain. No time francês, poderia jogar pelas pontas ou mesmo formar dupla de ataque com Ibrahimovic.

Independentemente da equipe, Neymar terá o desafio de mostrar todo o potencial visto em terras brasileiras e provar que pode ser o jogador que todos esperam. Não somente ele, mas os jogadores brasileiros precisam buscar maiores desafios. Oscar já atua pelo Chelsea e Lucas defende o PSG desde janeiro. É nítida a necessidade das promessas brasileiras de buscar mais rodagem internacional para defender a seleção na Copa de 2014.

Neymar e Oscar tentarão provar em 2014 que é possível vencer uma Copa do Mundo mesmo tão jovens

Neymar e Oscar atuando pela seleção brasileira.

Comentários