A primeira parte do duelo de Glasgow

  • por Victor Gandra Quintas
  • 8 Anos atrás

CELTIC

Pragmatismo. Este é o melhor termo para descrever a posição da Juventus para superar seu rival hoje. Um jogo truncado, sem muita qualidade técnica, mas o suficiente para os 3×0 colocarem a equipe italiana em boa posição no jogo da volta, no dia 06 de março, em Turim.

O time da casa veio armado em um 4-4-1-1. Contando com a ausência de Samaras, que não se recuperara de lesão, o treinador Neil Lennon optou por utilizar o meia Brown logo atrás de Hooper, chegando ao ataque. Já o treinador italiano, Antonio Conte, manteve a sua formação característica, o 3-5-2, mas preferindo Matri e Vucinic no ataque, com Giovinco no banco de reservas.

No entanto, em uma infelicidade logo no terceiro minuto de jogo, Matri abriu o placar para a Vecchia Signora. Em uma falha de interceptação do zagueiro Ambrose, o atacante da Juventus conseguiu ganhar a bola do goleiro Forster e marcou. Marchisio ainda chutou em rebote, mas a bola já havia entrado no primeiro lance.

A partir daí, vimos um futebol travado e sem criatividade. O Celtic tentava de todas as formas chegar ao empate, mas era barrado na defesa da Juventus. O time de Glasgow só conseguiu finalizar de fora da área ou com cruzamentos frustrados. Praticamente todas as tentativas pararam na defesa; quando passavam, o seguro goleiro Buffon impedia o tento escocês. A única chance na primeira etapa foi com Commons, em uma finalização que raspou a trave direita.

Foto: Reprodução - Marchisio comemora gol contra o Celtic.

Foto: Reprodução – Marchisio comemora gol contra o Celtic.

No segundo tempo, nada mudou. As duas equipes mantiveram a mesma formação e o mesmo futebol. Com um Pirlo sem inspiração, restou à Juventus manter o resultado positivo e segurar o ataque do Celtic. A tática funcionou bem e o jogo de paciência perdurou. Ambas as equipes tiveram poucas chances. O time escocês conseguiu chegar com uma boa cabeçada de Ambrose, mas parou nas mão de Buffon. Ainda no mesmo minuto, Brown chutou na entrada da área e Barzagli rebateu para o meio de campo.

No entanto, o jogo tomou novo rumo aos 34 minutos. Em um contra-ataque bem executado, a Juventus ampliou o placar com Marchisio após boa troca de passes do time italiano.

Três minutos depois, a Vecchia Signora voltou a marcar e se pôs em excelente posição para a classificação. Marchisio aproveitou nova falha de Ambrose, zagueiro que foi campeão da Copa Africa com a Nígéria no último domingo, e tocou para Vucinic aumentar o placar com um belo chute.

A Juventus fez um jogo simples, priorizando a defesa, e contou com a sorte na falha do zagueiro Ambrose. Assim, levou um excelente resultado de 3×0 para a Itália. Marchisio: “É um excelente resultado num estádio difícil. Viemos aqui para marcar pelo menos um gol e acabamos por fazer três, e sem sofrer nenhum, por isso estamos muito felizes”.

FICHA TÉCNICA

Celtic 0 x 3 Juventus

Data: 12/02/2013, 17h45 (horário de Brasília)
Local: Estádio Celtic Park, Escócia.
Árbitro: Alberto Undiano Mallenco – ESP

Cartões Amarelos: Matri, Marchisio e Vucinic (Juventus).

Cartões Vermelhos: –

Gols: Matri, aos 3 do primeiro tempo; Marchisio, aos 34 do segundo tempo; e Vucinic, aos 37 do segundo tempo.

Celtic: Forster; Lustig (Matthews), Wilson, Ambrose e Izaguirre; Wanyama, Commons (Watt), Forrest e Mulgrew; Brown (Kayal) e Hooper.

Técnico: Neil Lennon

Juventus: Buffon; Barzagli, Bonucci e Cáceres; Lichtsteiner, Peluso (Padoin), Pirlo, Vidal e Marchisio; Matri (Pogba) e Vucinic (Anelka).

Técnico: Antônio Conte

Comentários

Natural de Belo Horizonte. Torcedor do Cruzeiro e da Juventus. Um Doente por Futebol. Desde pequeno um apreciador do esporte mais popular do mundo, preferindo mais em acompanhar do que jogar (principalmente por não ter talento algum com a bola).