Brasil nos 4 cantos: Lima

  • por Paulo Santana Neto
  • 8 Anos atrás

Jogador brasileiro marcando gols no futebol português nunca foi novidade para aqueles que acompanham o esporte. Desde Paulinho Cascavel, artilheiro duas vezes na década de 80, passando por Jardel, cinco vezes maior goleador da Liga Sagres, e mais recentemente o atacante Hulk, principal marcador na temporada 2010/11, atuando pelo FC Porto, vemos nossos conterrâneos se destacando por aqueles lados da Europa.

Porém, após a saída de Hulk para o Zenit da Rússia, o Brasil parecia carecer de um atacante de maior nome, atuando por um grande de Portugal, para preencher a lacuna de goleadores tupiniquins no Campeonato Português.

É aí que entra Lima, personagem da vez na coluna Brasil nos 4 Cantos. Rodrigo José Lima dos Santos, mais conhecido como Lima, é natural de Monte Alegre, no Pará. Iniciou sua carreira no Paysandu, para depois rodar por equipes do Paraná. Mas foi em São Paulo, no campeonato paulista de 2008, que Lima, já com 25 anos, começou a ganhar um maior destaque em âmbito nacional. Atuando pelo Juventus, o Moleque Travesso, o atacante atraiu os olhos do time do Santos, sendo assim contratado pela equipe da baixada santista logo após o torneio.

No Santos, Lima estreou marcando gol na Libertadores, contra o Cúcuta, nas oitavas-de-final da competição. Porém, no Brasileirão de 2008, Lima atuou em mais de 20 partidas e não anotou um gol sequer por sua equipe. Com isso, no ano seguinte acaba emprestado ao Avaí, de Santa Catarina.

Depois de uma passagem de apenas seis meses pelo clube catarinense, com um título estadual, Lima despertou o interesse do futebol português, inicialmente do Belenenses, para onde se transferiu em agosto de 2009.

Na equipe portuguesa, Lima conseguiu, enfim, voltar a se destacar. Mesmo com a má campanha de seu time na competição, o atacante marca 7 gols em vinte e sete jogos pelo campeonato nacional, mas não consegue fazer com que o Belenenses escape do descenso. Porém, as atuações do jogador brasileiro são suficientes para que o SC Braga queira contar com o atacante.

Numa equipe mais competitiva e com maiores ambições, o futebol de Lima também evoluiu. Na sua primeira temporada pelo clube não foram tantos gols, mas uma atuação merece o destaque desta coluna. Na fase de qualificação para a Liga dos Campeões da temporada 2010/11, o SC Braga enfrentou a equipe do Sevilla por uma vaga na fase de grupos. No jogo de volta, fora de casa, Lima marca seu primeiro hattrick da carreira, garantindo a classificação de sua equipe. No restante da temporada o atacante alterna bons e maus momentos, terminando a temporada com 14 gols em quase cinquenta jogos por sua equipe, que acaba em 4º lugar na Liga Sagres e vice-campeã da Liga Europa.

Já em 2011/12, totalmente adaptado ao seu clube e se valendo da boa fase da equipe no campeonato nacional, o brasileiro consegue ótimos números no futebol português. Ao final da competição, o atacante termina como artilheiro, marcando 20 gols, dividindo o prêmio com Cardozo, do Benfica, que viria a se tornar seu companheiro de clube na temporada seguinte.

Na atual época, atuando pela equipe dos Encarnados, Lima vem surpreendendo os desconhecedores do seu futebol. Já são 20 os gols marcados pelo atacante jogando por uma das maiores equipes de Portugal, que busca o título nacional e também a conquista da Liga Europa de 2012/13.

Todo esse destaque que Lima vem merecidamente recebendo já acarreta em especulações quanto a possibilidade do mesmo se naturalizar português e defender a seleção lusitana, tal qual os jogadores nascidos no brasil, Pepe, Deco e Liédson já fizeram. Assim como também já fora ventilada uma provável transferência de Lima para o Anzhi da Rússia, time que tem como diretor o ex-lateral da seleção, Roberto Carlos, que andou elogiando o futebol do atacante brasileiro.

A questão é que Lima, já com seus 29 anos, finalmente vem sendo reconhecido como um bom atacante, goleador e forte, tanto fisicamente como tecnicamente. São características que acabam atraindo os olhos da Europa para o seu futebol. O que ainda resta para Lima é um pouco mais de destaque no seu país de origem, o Brasil. Mas isso Lima já vem tratando de conseguir, acumulando gols e buscando grandes conquistas na terra dos nossos descobridores. Afinal, onde quer que haja futebol, terá um brasileiro jogando.

Comentários

Gaúcho de nascimento, catarinense de criação. Um viciado em rock, séries e, obviamente, futebol. Fã desde o atacante caneludo fazedor de gols ao habilidoso irreverente e imprevisível. Curte os detalhes e estatísticas que cercam o melhor esporte do mundo.