E a moral com o rei, Neymar?

  • por Victor Gandra Quintas
  • 8 Anos atrás

482465_494119637300378_1581940227_n (1)

A vida de Neymar não está mesmo fácil. Depois de ter a vida pessoal exposta nos últimos dias, uma pessoa que sempre o protegeu resolveu criticar sua postura profissional.

Pelé, defensor ferrenho do jovem craque, expôs o que acha das atuais atitudes do jogador. Em entrevista ao jornal ‘O Estado de S. Paulo’, o rei do futebol disse que Neymar precisa se preocupar mais com o futebol do que com a mídia:


“(…) ele já se preocupa mais em aparecer na mídia do que em jogar para o time. O Neymar tem muita responsabilidade. E sua preocupação é mudar o estilo, mudar o corte de cabelo.”


Outra crítica foi em relação às faltas: “O Edinho, meu filho, que está na comissão do Santos, faz os treinos do time. Ele não dá falta nos treinos e o Neymar fica bravo. Ele está viciado nas faltas”, completou.

Pelé ainda salientou que Neymar está devendo muito na seleção, onde mostra um futebol completamente diferente do que apresenta no Santos:


“Não é isso o que esperamos do Neymar (na seleção), principalmente nós do Santos. Mas ele é um jogador comum na seleção. Tudo é visando o Neymar. Ele é um jogador sem experiência internacional. É um excelente jogador, mas sem experiência lá fora. Em todos os jogos fora do País ele não vai bem”.


Sobrou até para o treinador santista, Muricy Ramalho. Para o tricampeão do mundo pela seleção brasileira, o comandante do time não deveria mandar Neymar cobrar as bolas paradas, pois isto o tira do jogo:


“Ele tem de ficar na cabeça da área para pegar a bola, dar um drible, usar a habilidade. Ele cruza, corre lá depois e perde tempo. Quem não está atento, não vê isso. Mas ele fica fora de jogo um monte de vezes.”

Por fim, deixou claro que Neymar deve ir para a Europa, de preferência para o Barcelona, que tem o futebol no estilo do atleta. Entretanto, afirmou que para ser craque não é preciso sair do Brasil.

“Mas sair para quê? Teve um tal de Pelé que nunca saiu do Brasil, a não ser depois de se despedir. Teve um tal de Garrincha que só foi para a Europa veterano. O Tostão nunca saiu do País. O Zico só saiu veterano também. Outras gerações é que saíram com sucesso. Como o Kaká, o Falcão, o Oscar… e o próprio Careca, que arrebentou com o Maradona…. Depois teve ainda Ronaldo, Romário, Ronaldinho. Digo que o Romário, com a estatura dele, foi gênio. O Neymar tem sorte porque chega em um momento sem ter comparação com outros”.

E então, Doentes, concordam com a opinião do Pelé? E com a do Edson?

Comentários

Natural de Belo Horizonte. Torcedor do Cruzeiro e da Juventus. Um Doente por Futebol. Desde pequeno um apreciador do esporte mais popular do mundo, preferindo mais em acompanhar do que jogar (principalmente por não ter talento algum com a bola).