Especial Oscar 2013 – A Hora Mais Escura

  • por Gregor Vasconcelos
  • 8 Anos atrás

17525_10151554624034009_1496143773_n

Eliminado da Champions League em último lugar do grupo, oito pontos atrás do Manchester United na briga pelo título, tudo parece perdido para Roberto Mancini. O técnico vem sendo alvo de uma caçada da imprensa e aos poucos vai perdendo a confiança dos torcedores que, até a última temporada, o viam como herói.

Desde o dia em que foi apontado como treinador do Manchester City, Roberto Mancini sempre sofreu com a desconfiança da mídia especializada que acreditava que o italiano não era o nome ideal para levar o time bilionário ao patamar pretendido por seus donos.

A sua primeira temporada no clube parecia confirmar as projeções de que ele logo estaria desempreado: uma derrota em casa para o Tottenham, no penúltimo jogo da temporada, fez o sonho da Champions League escapar das mãos do City. Mas, mesmo sem cumprir com sua meta para a temporada, Mancini foi mantido no cargo para 2010-11.

Foi nesse período que vieram os louros. Uma vitória por 1×0 sobre o Stoke City no Wembley deu ao City o título da FA Cup, seu primeiro troféu em 35 anos. Na temporada seguinte, foi a vez da Premier League, competição que o clube não ganhava desde 1968. Mas, mesmo com os títulos e boas campanhas, grande parte da imprensa não aprovava o trabalho de Mancini por diversos motivos. 

Foto: Net photo - Apesar das criticas, Mancini conseguiu levar o City a sua primeira Premier League desde os anos 60

Foto: Net photo – Apesar das criticas, Mancini conseguiu levar o City a sua primeira Premier League desde os anos 60


O argumento era que o treinador não conseguia fazer o clube jogar o futebol esperado diante do investimento feito no time. Faltava padrão tático à equipe, que parecia só ganhar graças ao talento individual dos jogadores. 

Na Champions League, não era falta de que qualidade do elenco que fazia do City um time sem condições de competir entre os maiores da Europa, mas sim a desorganização em campo. Aguero, com sobras o melhor atacante da equipe, era preterido por Balotelli. Até Tevez se irritou em um jogo contra o Bayern porque seu técnico optou por apenas colocá-lo em campo com a partida já perdida. Indignado, o argentino se recusar a jogar. 

Mancini também se mostra incapaz de lidar com o elenco de estrelas, brigando com jogadores, criticando indivíduos após derrotas e vendo seus atletas se estranharem com frequência durante os treinamentos.

Apesar das inúmeras falhas, os títulos mantiveram Mancini no cargo. Nessa temporada, a FA Cup é a única esperança que resta ao City e isso provavelmente não será suficiente para segurá-lo por muito tempo à frente do time.

Depois da apática atuação na derrota de 3×1 para o Southampton e mais uma eliminação precoce na Champions League, Roberto Mancini se vê na hora mais escura de seu tempo no City. Caçado por todos e com seus dias no comando dos Sky Blues contados, ele precisa encontrar rapidamente uma solução para salvar seu emprego. Não há mais onde se esconder.

Crítica:
Desordenado e confuso
-Oliver Holt, Jornalista do Daily Mirror 

Defesa:
Eu sou o melhor treinador da Inglaterra dos últimos 15 meses!
-Roberto Mancini se defende das criticas após a derrota para o Southampton

Comentários

Torcedor fanatico do Arsenal e do Flamengo, Gregor é fã de longa data da Premier League, acompanhando a liga avidamente há 10 temporadas. Formado em linguística inglesa pela universidade King's College em Londres, agora faz mestrado em linguistica e literatura na universidade de Zurich. Colunista da extinta revista "Doentes por Futebol", hoje é o editor de futebol inglês no site.