Guia da Libertadores – Grupo 8

  • por Mauricio Fernando
  • 8 Anos atrás
O Grêmio de Luxemburgo e o Fluminense de Abel são os favoritos do grupo. Foto: Fox Sports

O Grêmio de Luxemburgo e o Fluminense de Abel são os favoritos do grupo. Foto: Fox Sports

 

 

Equipes: Fluminense, Huachipato-CHI, Caracas e Grêmio.

Palpite DPF: Fluminense e Grêmio.

 

Fluminense por João Vitor Ferreira

Fred é "o cara" do Fluminense. Foto: Uol Esporte

Fred é “o cara” do Fluminense. Foto: Uol Esporte

 

A fase de grupos da 54ª edição da Taça Libertadores terá início na próxima semana e o Fluminense mais uma vez fará parte dela. O que há 10 anos atrás era uma raridade, hoje passou a ser algo frequente. O clube tem sido figura constante na principal competição do futebol sul-americano. O Tricolor das Laranjeiras estreia na quarta-feira de cinzas (13/02) contra o Caracas, na Venezuela. Huachipato-CHI e Grêmio completam o grupo.

Para a edição de 2013, o Fluminense espera transformar as últimas boas campanhas em título, o que passou muito perto em 2008, quando o clube carioca perdeu a final para a LDU. Pensando nisso, a diretoria manteve a base que faturou o título brasileiro de 2012 e fez algumas contratações para a composição do elenco. Rhayner, Wellington Silva, Felipe e Monzón chegam para dar opções ao treinador Abel Braga, que teve seu contrato renovado por mais um ano.

A base do time atual é praticamente a mesma que foi eliminada na última edição da Libertadores para o Boca Juniors. Na ocasião, o Fluminense sofreu com os desfalques e não conseguiu passar pelo time argentino. Hoje, o Fluminense ideal para o treinador Abel Braga é: Diego Cavalieri, Bruno, Gum, Leandro Euzébio e Carlinhos; Edinho, Jean e Deco; Thiago Neves, Wellington Nem e Fred. Para a partida de estreia, Gum e Deco dificilmente terão condições de jogo, devido a lesões ainda na pré-temporada.

O Fluminense tenta repetir o mesmo feito do Corinthians das últimas duas temporadas, que sagrou-se campeão da Libertadores após o título brasileiro, algo que não ocorria desde 1997-1998, quando o Vasco da Gama faturou em sequência os principais títulos que os clubes brasileiros têm à disposição.

Huachipato por Rogerio Bibiano

O artilheiro Braian Rodríguez é o destaque do campeão chileno. Foto: El Grafico Chile

O artilheiro Braian Rodríguez é o destaque do campeão chileno. Foto: El Grafico Chile

 

O Club Deportivo Huachipato, fundado em 07/06/1947, tem sua sede na cidade de Talcahuano-CHI, que fica na província de Concepción, e irá participar de sua segunda Copa Libertadores da América. A primeira foi em 1975.

A equipe tem dois títulos nacionais, sagrando-se campeã em 1974 e 2012, conquista que lhe valeu o direito de participar da Taça Libertadores da América 2013.

O título de 2012 é emblemático, pois em momento algum a equipe era apontada pela mídia chilena como favorita. Porém, com um futebol de muita marcação e jogadas pelas laterais, o time surpreendeu os favoritos e venceu o Clausura.

O treinador é o ex-meio campista da Seleção Chilena, Jorge Pellicer, que costuma escalar um 3-5-2 bastante compacto, com muita força na marcação e uma rápida transição para o ataque, em geral buscando as jogadas pelas laterais, com o apoio constante dos alas.

Para a Taça Libertadores da América 2013, o Huachipato repatriou junto ao Palermo-ITA, o zagueiro Labrín, prata da casa que não vinha tendo muitas oportunidades na Itália. Com um importante espiríto de liderança, é o principal reforço para o torneio.

As outras contratações são o zagueiro Yonathan Suazo, oriundo do Everton-CHI; o experiente meia Frascisco Arrué, contratado junto ao La Serena-CHI; o atacante argentino Federico Falcone, também vindo do La Serena-CHI; Claudio Muñoz, zagueiro e ala, oriundo do Unión La Calera-CHI; Juan Barca, zagueiro, ex-Cobreloa; Felipe Reyero, atacante, vindo do Rangers-CHI e o goleiro Miguel Jiménez, que atuava no Ñublense-CHI.

Um pacote de reforços, que, na verdade, não fogem da política do clube de apostar em jogadores de clubes menores. A grande baixa da equipe porém, é o atacante César Cortés, que transferiu-se para a Universidade de Chile. Assim, a forçada equipe está no coletivo e no apoio do fanático torcedor, junto ao Estádio CAP (11.400 torcedores), onde a equipe mandará seus jogos na primeira fase.

O destaque da equipe chilena é o atacante uruguaio Braian Rodríguez, considerado o grande destaque da campanha campeã do ano passado. Além dele, o defensor Omar Melo, o meia Gonzáles e o próprio arqueiro Veloso formam a espinha dorsal da equipe.

Caracas por Mauricio Fernando

O lateral brasileiro Amaral faz parte do elenco do Caracas. Foto: Lider en Deportes

O lateral brasileiro Amaral faz parte do elenco do Caracas. Foto: Lider en Deportes

 

Maior campeão do futebol venezuelano, o Caracas inicia sua 13ª participação na Libertadores totalmente desacreditado e com uma equipe modesta, que não empolga nem seu próprio torcedor.

Os principais nomes da equipe treinada por Ceferino Bencomo são os meias Hinestroza, ex-Deportivo Cali, e o capitão Edgar Jimenez. O elenco ainda conta com o lateral brasileiro Amaral, ex- Fortaleza, Corinthians, Palmeiras e que recentemente esteve na Ponte Preta.

A melhor campanha do Caracas na Libertadores aconteceu em 2009, quando o clube chegou até as quartas de final. Foi eliminado pelo Grêmio, time que enfrenta novamente na edição de 2013, além do campeão brasileiro Fluminense e do campeão chileno Huachipato, equipes superiores aos venezuelanos.

Grêmio por Mauricio Fernando

O pirata Barcos é um dos grandes reforços do "imortal" gaucho para esta Libertadores. Foto: Diário do Litoral

O pirata Barcos é um dos grandes reforços do “imortal” gaucho para esta Libertadores. Foto: Diário do Litoral

 

Chegando à sua 14ª participação em Taças Libertadores, o Grêmio é uma das equipes que mais investiu para a competição. Entre os reforços estão o lateral esquerdo André Santos, que veio do Arsenal, o vitorioso goleiro Dida, o zagueiro Cris, convocado do Brasil para a Copa 2006, o volante Adriano, ex-Santos, e os atacantes Welliton, Vargas e Barcos. A chegada do argentino envolveu a saída de (até aqui) quatro jogadores do clube do sul: o volante Leo Gago, o zagueiro Vilson, o meia Rondinelly e o atacante Leandro.

Além dos que saíram para a vinda de Barcos, outras baixas que podem ser sentidas são as do atacante André Lima, negociado com o futebol sul-coreano, do volante/zagueiro Gilberto Silva, que foi para o Atlético-MG, e a do meia Marquinhos, que voltou para o Avaí.

Os bons reforços que chegaram juntam-se ao elenco que fez ótimo brasileirão em 2012, e que tem como principal força o meio campo, formado por Fernando, Souza e os experientes Elano e Zé Roberto. Um esquadrão comandado por Vanderlei Luxemburgo, com o auxílio do ex-volante Emerson. O ex-jogador traz boas lembranças ao torcedor gremista, pois fez parte da campanha do último título do clube na Libertadores, em 1996.

A última participação do tricolor gaúcho na competição continental foi em 2011, quando a equipe foi eliminada nas oitavas de final pelo Universidad Católica. As expectativas para este ano, entretanto, são bem melhores, e os gaúchos prometem brigar forte pelo tri campeonato.

O Grêmio chegou à fase de grupos após passar pela 1a fase (Pré), na qual superou a LDU nos pênaltis após uma vitória por 1×0 para cada lado, a última na fatídica partida que marcou a estreia da Arena em jogos oficiais e a despedida da avalanche, marca registrada da torcida gremista.

Tabela de jogos:

13/02 Caracas  Caracas x Fluminense

14/02 Porto Alegre   GrêmioHuachipato

20/02 Rio de Janeiro Fluminense x Grêmio

20/02 Taicahuano   Huachipato x Caracas

27/02 Taicahuano   Huachipato x Fluminense

05/03 Porto Alegre   Grêmio x Caracas

06/03 Rio de Janeiro   Fluminense x Huachipato

12/03 Caracas   Caracas x Grêmio

04/04 Caracas   Caracas x Huachipato

10/04 Porto Alegre  Grêmio x Fluminense

18/04 Rio de Janeiro   Fluminense x Caracas

18/04 Taicahuano   Huachipato x Grêmio

Comentários

21 anos, morador de Maringá-PR. Corintiano de coração, aprendi ainda a ser Liverpool, na Europa. Como Doente por Futebol, acompanho diariamente jogos, jogadores e tudo o que acontece acerca deste apaixonante esporte. Minha função por aqui será de analisar e informar tudo o que rola na América do Sul e no México. Responsável ainda pelas colunas "Craque DPF" e "Futebol na Mídia".