Lesões mais comuns em goleiros

  • por Edson Vinicius
  • 8 Anos atrás

LESAO-GOLEIRO

Reza a lenda que a posição deles é tão ingrata que nem grama nasce onde eles jogam. Os goleiros são um caso à parte no futebol, pois além de ‘’jogarem com as mãos’’, têm como função evitar justamente o objetivo maior do esporte: o gol. E não podem falhar, pois isso acarreta invariavelmente em um tento para o adversário.

Também no aspecto fisiológico, os arqueiros diferem muito dos jogadores de linha. Participam menos do jogo, mas, quando exigidos, necessitam de movimentos súbitos e bem potentes, geralmente usando as mãos. Normalmente fazem reposições longas de bola com os pés. E estão mais sujeitos a traumas por quedas, espontâneas ou não.

Em que pesem essas diferenças, as lesões nos goleiros, ao contrário do que se poderia pensar, acontecem com maior frequência nos membros inferiores, seguindo o padrão encontrado nos jogadores das outras posições, apesar da proporção menor (aproximadamente 75% nos jogadores de linha e 60% nos goleiros). Os joelhos e os tornozelos são as regiões mais acometidas para todos. Em relação a patologias específicas, a entorse de joelho e a distensão muscular na coxa são as mais prevalentes, nessa ordem.

Somente em terceiro lugar é que aparecem danos característicos dos guarda-metas: as lesões de ombro, mais frequentemente luxações e contraturas, seguidas de tendinite. As principais causas são choques com adversários (e eventualmente companheiros do próprio time) e o uso intenso da musculatura dessa região para socar ou espalmar a bola, e também para fazer reposições com as mãos.

Uma afecção que merece destaque é a fratura de falanges (dedos das mãos), pois apesar de ter incidência pequena – em torno de 2% a 5% das lesões dos goleiros -, ocorre predominantemente em jogadores dessa posição. Merecem menção também as luxações falangeanas e contraturas musculares nas costas.

Por fim, uma citação a um goleiro que teve sua carreira prejudicada e abreviada por lesões: o palmeirense Marcos, que anunciou sua aposentadoria em 2012. ‘’São Marcos’’, como era chamado pelos torcedores alviverdes, sofreu durante sua carreira fraturas no punho esquerdo, braço esquerdo e tornozelo direito; lesões no polegar direito e em quase todos os dedos da mão esquerda; problemas nos músculos adutores das duas coxas; rompimento dos ligamentos do tornozelo direito e dores crônicas no joelho esquerdo – entre outras contusões. Nem um Santo conseguiu vencer tantas lesões.

Comentários

Médico clínico geral e geriatra, apreciador do bom futebol, doente pelo Flamengo e viúva de Zico!