O reencontro entre Ganso e torcida santista

  • por João Rabay
  • 8 Anos atrás

GANSO

 

Diz o ditado que o bom filho a casa torna. A frase não pode ser aplicada para descrever o reencontro de Paulo Henrique Ganso com a Vila Belmiro e a torcida do Santos.

Ney Franco, técnico do São Paulo, confirmou que o meia vai ser titular do clássico SanSão marcado para as 17h deste domingo. Será o primeiro jogo de Ganso contra o Santos desde que ele deixou o clube que o revelou e partiu para o rival São Paulo. A transferência completou a ira dos torcedores santistas, que já haviam passado mais de um ano e meio divididos entre a raiva motivada pela novela que se tornou a negociação entre jogador e clube e algumas poucas alegrias causadas por esporádicos bons lances protagonizados por ele.

Ganso, desde que machucou o joelho em partida contra o Grêmio em agosto 2010, nunca conseguiu se apresentar em alto nível com frequência. Na verdade, o número de partidas medíocres do meia foi muito maior que aquelas em que ele demonstrou seu potencial. Muito por causa da nítida falta de vontade do atleta, que passava longos minutos escondido do jogo.

Talvez seja apenas coincidência, talvez a postura tenha relação com a insatisfação de Ganso em relação à diretoria santista. Tudo começou durante os meses em que Ganso estava afastado por causa da lesão no joelho. Mesmo sem jogar, o meia e seu staff tentavam arrancar da diretoria santista um substancial aumento salarial. Como Ganso tinha contrato com o Santos até 2015, a diretoria ofereceu valores menores que os pedidos por ele.

Entre ameaças de deixar o clube e afirmações de que ele só sairia se alguma equipe pagasse o valor da multa, a novela se estendeu, com períodos de trégua. Quando voltou a jogar, Ganso deixou a história de lado por algum tempo. Depois, mesmo sem chegar perto da qualidade mostrada por ele um ano antes, voltou a negociar, pedindo o mesmo salário que Neymar. No final de 2012, a situação encontrou um fim: o São Paulo aceitou pagar o que o Santos pedia e o jogador mudou para o rival.

Agora, em fevereiro, Ganso vai, mais uma vez, jogar na presença da torcida que o aclamou muitas vezes e o xingou algumas outras. Os torcedores preparam protestos contra o meia, incluindo, provavelmente, uma chuva de moedas. Não será a primeira vez que Ganso ouvirá, da torcida do Santos, a palavra “mercenário”.

Comentários

Jornalista. Doente por futebol bem jogado e inimigo de jogadores que desistem da bola para cavar falta e de atacantes "úteis porque marcam os laterais".