Perebas na seleção

  • por Lucas Sartorelli
  • 8 Anos atrás

O torcedor brasileiro sempre foi muito exigente com sua seleção e Felipão não foi o primeiro, nem será o último treinador a ser criticado e questionado por suas convocações.

Momento na carreira, artilharias, confiança do treinador, tudo isso pesa na hora do “professor” apontar o dedo e escalar quais serão os próximos a terem uma chance em um grupo tão seleto.

Fato é que, nos últimos anos, diversos jogadores já tiveram esse grande privilégio, até mais do que nossas mentes de dados futebolísticos apurados podem se recordar por hora.

Alguns foram chamados diversas vezes, deram imensas contribuições, se consagraram, marcaram seus nomes com a seleção pentacampeã mundial e serão sempre lembrados.

Outros, apesar de terem se destacado por seus clubes em algum momento de suas carreiras, hoje se contentam em poder apreciar uma foto onde aparecem com a camisa amarelinha, provavelmente situada em um quadro emoldurado erguido no centro da parede principal de suas casas, porque notoriamente não são/foram jogadores de reconhecimento técnico indiscutível, limitando-se a uma ou outra boa fase, trunfo que os levou ao apogeu da convocação.

Em 1997, a 1 ano da Copa na França, Zé Carlos, já com seus 28 anos disputava o campeonato paulista pela Matonense depois de rodar muito pelo futebol. Suas boas atuações chamaram a atenção do São Paulo, que ao fim do estadual, o contratou para o segundo semestre daquele mesmo ano. Superando as expectativas, manteve a boa fase e se tornou um grande destaque pela lateral direita tricolor, fator que, aliado à escassez de bons jogadores da posição na época, o levou a ser convocado para a Copa do Mundo, onde acabou jogando uma das partidas mais importantes do torneio como titular. Ele substituiu Cafu, suspenso, no jogo contra a Holanda pelas semifinais. Zé Carlos teve muitas dificuldades e esteve muito longe de se destacar. Após a Copa, retornou ao clube paulista e algum tempo depois, voltava ao interior para defender a Ponte Preta.

Zé Carlos: da Matonense à semifinal de Copa / Foto: Reprodução

Zé Carlos: da Matonense à semifinal de Copa em 1 ano.

Confira a seguir outros nomes tão contestados quanto Zé Carlos que, por sorte, fase ou mazelas de empresários, tiveram pelo menos uma convocação para a seleção brasileira principal e definitivamente, nunca mostraram aptidão para tal.

Em ordem cronológica:

  • Alexandre Favaro, goleiro, convocado por Luxemburgo em 1999
  • João Carlos, zagueiro, convocado por Luxemburgo em 1999
  • Rodrigão, atacante, convocado por Luxemburgo em 1999
  • Warley, atacante, convocado por Luxemburgo em 1997/1999
  • Scheidt, zagueiro, convocado por Luxemburgo em 2000
  • Leomar, volante, convocado por Leão em 2001
Leomar, o cão de guarda de Leão em 2001 / Foto: Reprodução

Leomar, o cão de guarda de Leão em 2001.

  • Irênio, meia, convocado por Leão em 2001
  • Carlos Miguel, meia, convocado por Leão em 2001
Foto: Reprodução

Carlos Miguel parece se deslumbrar com o belo uniforme francês.

  • Gustavo Nery, lateral esquerdo, convocado por Leão em 2001
  • Magno Alves, atacante, convocado por Leão em 2001
  • Robert, meia, convocado por Leão em 2001
  • Deivid, atacante, convocado por Leão em 2001
  • Ewerthon, atacante, convocado por Felipão em 2001
  • Esquerdinha, meia, convocado por Felipão em 2002
  • Daniel, zagueiro, convocado por Felipão em 2002
  • Maurinho, lateral direito, convocado por Parreira em 2003
  • Adriano Gabiru, meia, convocado por Parreira em 2003
  • Ilan, atacante, convocado por Parreira em 2003
  • Gláuber, zagueiro, convocado por Parreira em 2005
Gláuber: ninguém entendeu / Foto: Reprodução

Gláuber: ninguém entendeu.

  • Marcinho, meia, convocado por Parreira em 2005
  • Fabiano Eller, zagueiro, convocado por Parreira em 2005
  • Morais, meia, convocado por Dunga em 2006
  •  Afonso Alves, centroavante, convocado por Dunga em 2007
Afonso Alves lamenta chance perdida. Na Holanda era mais fácil / Foto: Reprodução

Afonso Alves lamenta chance perdida. Na Holanda era mais fácil.

  • Bobô, centroavante, convocado por Dunga em 2008
  • Gladstone, zagueiro, convocado por Dunga em 2008
  • Richarlyson, meia, convocado por Dunga em 2008
  • Fellype Gabriel, atacante, convocado por Mano em 2012

Lembram de mais exemplos, Doentes? Cite-os!

Comentários

Paulistano, projeto de jornalista e absolutamente ligado a tudo o que envolve essa arte chamada futebol, desde a elegante final de uma Copa do Mundo às peculiaridades alternativas das divisões mais obscuras de nosso amado esporte bretão. Frequentador assíduo nas melhores (e piores) várzeas e peladas de fim de semana, sempre à disposição para atuar em qualquer posição.