Real Madrid x Manchester United

  • por Gregor Vasconcelos
  • 8 Anos atrás

Matéria escrita em colaboração com Raniery Medeiros

Real United

Real Madrid e Manchester United duelam pelas Oitavas-de-final da Liga dos Campeões da Europa. Em campo estará a tradição e ,atrelados a isso, doze títulos do torneio. Sendo nove dos merengues e três dos diabos vermelhos.

A primeira partida entre as duas equipes será realizada dia 13 de fevereiro às 17h45 (horário de Brasília). O palco da partida será o estádio Santiago Bernabéu, em Madrid.

Este vai ser o nono confronto entre as duas equipes. Os espanhóis levam ligeira vantagem em 3 a 2, além de quatro empates.

Agora vamos as informações sobre as equipes:

 

Real Madrid:

 

A equipe comandada pelo Português José Mourinho entrou na competição como uma das favoritas para levantar a “orelhuda” (apelido da taça). Ainda com as reminiscências da derrota para o Bayern de Munique na edição passada, ‘Los Blancos’ fizeram contratações pontuais para o elenco já repleto de estrelas. A grande obsessão, não escondida, é a conquista do que eles chamam de “a décima”. Alusão à possível décima conquista em Liga dos Campeões da Europa.

Com todos os ingredientes à mesa, o Madrid começou o torneio vencendo Manchester City e Ajax. Mesmo com a grande crise nos vestiários, os merengues injetaram ânimo na hora de jogar o torneio mais importante de clubes. Aí vieram os confrontos contra o surpreendente Borussia Dortmund. A equipe alemã venceu no Signal Iduna Park (2×1) e empatou em pleno Santiago Bernabéu (2×2). Detalhe: jogou melhor que o Real nas duas partidas.

Mourinho precisou remodelar alguns aspectos táticos no 4-2-3-1 que não deram certo nos dois confrontos diante do Dortmund. Perante o Manchester City, fora de casa, empate que encaminhou a classificação. O 1×1 ficou com o sabor amargo por ter feito um jogo espetacular e não ter aproveitado as várias chances criadas.

A vitória da classificação, diante do Ajax, veio através de show. O Bernabéu ficou em êxtase após os 4×1 e o Madrid ganhou mais forças para a fase seguinte. De forma decepcionante o time conseguiu a vaga como 2º colocado do grupo. Ficar atrás do bom time do Dortmund não foi demérito algum, mas Mourinho sabe que é preciso algo a mais para alcançar o título.

Foto: Reuters - Artilheiro da Champions, Cristiano Ronaldo volta a enfrentar seu velho clube

Foto: Reuters – Artilheiro da Champions, Cristiano Ronaldo volta a enfrentar seu velho clube


O Real Madrid atravessa uma séria crise na administração dos vestiários. José Mourinho, como muitos sabem, gosta de chegar ao clube mandando e desmandando. Entretanto, pelos lados do time da capital as coisas não são assim. O Real Madrid é uma entidade comandada por sócios e não somente por um mandatário exclusivo. O “special one”, como é chamado, teve no Chelsea e na Inter de Milão total controle em função de só dever satisfação ao dono. No Real ele deve justificativas aos milhares de sócios.

O vestiário virou uma bagunça com a “guerra fria” entre espanhóis/agregados e portugueses. O capitão e ídolo Casillas chegou a ser barrado, Sérgio ramos saiu em defesa de Özil e, para completar, a jornalista Sara Carbonero, namorada de Iker, contou aos quatro ventos o que se passa dentro do vestiário da equipe. Não é preciso dizer que isso gerou ainda maior confusão.

No campeonato espanhol o Real Madrid já vê o Barcelona bem à frente e as possibilidades de título são remotíssimas. O começo ruim na temporada, os tropeços contra equipes fracas e o mal futebol apresentado fizeram a crise aumentar ainda mais. A Copa do Rei pode ser outra solução. No entanto, a equipe empatou o jogo de ida, em casa, contra o Barcelona em 1×1 na partida válida pelas semifinais. A grande obsessão é realmente a Liga dos Campeões.

Foto: AP - Vitória sobre o Manchester United pode aliviar a pressão sobre Mourinho, que é questionado pela péssima campanha do Real Madrid na Liga

Foto: AP – Vitória sobre o Manchester United pode aliviar a pressão sobre Mourinho, que é questionado pela péssima campanha do Real Madrid na Liga


As grandes esperanças estão no ataque rápido e letal que conta com Di Maria, Özil, Benzema e Cristiano Ronaldo. O ‘gajo’ vive boa fase e tem feito gols em quase todas as partidas. A defesa continua frágil, principalmente nas laterais já que Arbeloa, Marcelo e Coentrão não transmitem confiança. O goleiro Casillas se machucou, ficando fora do duelo pela Liga dos Campeões. Diego López foi contratado para tapar o buraco. É bom goleiro, mas a equipe perde em liderança e confiança. Pepe e Sérgio Ramos vivem boa fase técnica mesmo com os péssimos resultados no campeonato espanhol.

Vale ressaltar que o Madrid tem bons motivos para acreditar na classificação. No duelo particular entre Mourinho e Ferguson o português leva vantagem em 6×3. E no último encontro válido pelo torneio, na temporada 2002-03, os espanhóis eliminaram os diabos vermelhos em noite de gala do brasileiro Ronaldo. O fenômeno fez um hat-trick em uma das suas melhores partidas em toda a carreira. 

Mesmo com toda a crise instalada pelo lado madrileño, é inegável corroborar com a ideia de que José Mourinho sabe como vencer o torneio. O ‘special one’ vai em busca do seu terceiro título por três times diferentes: já foi campeão com o Porto (2004) e Inter de Milão (2010). 

Time base: Diego López; Arbeloa, Pepe, Sérgio Ramos e Coentrão; Khedira, Xabi Alonso, Di Maria, Özil e Cristiano Ronaldo; Benzema.
Principais opções: Callejón, Modric, Varane e Higuain.

 

Manchester United:

 

Sem perder nenhuma partida desde o dia 5 de dezembro de 2012, quando a equipe reserva foi derrotada pelo Cluj na ultima rodada da fase de grupos da Champions League, o Manchester United chega à partida contra o Real Madrid com 9 vitórias nos 11 últimos jogos e com 8 pontos de vantagem sobre o City, segundo colocado na Premier League.

Na Champions League, o United vem de duas derrotas seguidas, contra o Galatasaray na Turquia e contra o Cluj em Manchester. Nesses jogos, Sir Alex Ferguson escalou equipes reservas, já que as quatro vitórias nos quatro primeiros jogos garantiram o primeiro lugar do grupo com duas rodadas de antecedência. Curiosamente, à exceção da vitória sobre o Galatasaray por 1×0 na estreia, o Manchester United venceu todos os outros jogos de virada, uma tendência da equipa na temporada.

Foto: AP - Com 23 gols na temporada e "mania" de decidir clássicos, van Persie é a grande esperaça do Manchester United

Foto: AP – Com 23 gols na temporada e “mania” de decidir clássicos, van Persie é a grande esperança do Manchester United


O maior destaque da equipe é o holandês Robin van Persie. Artilheiro isolado do campeonato inglês com 19 gols, van Persie também anotou três tentos na Champions League, onde é artilheiro da equipe ao lado de Chicharito Hernandez. Outro fator positivo para os Diabos Vermelhos é Wayne Rooney, que começou a temporada timidamente, mas aos poucos vai voltando a sua melhor forma. A dupla com van Persie vai engrenando e dá mostras, em algumas partidas, que pode alcançar o alto rendimento esperado.

A zaga, apesar de ter tido uma melhora considerável com a volta de Vidic ao time titular, ainda é a área que mais preocupa o United. Tanto Evans quanto Smalling são jogadores limitados, e Evra também faz temporada abaixo da média. Em compensação, Ferdinand foi poupado no domingo após voltar de lesão contra o Southampton há duas semanas e pode jogar. O lateral Rafael, também será peça chave para o Manchester. O brasileiro vem fazendo temporada brilhante tanto ofensiva quanto defensivamente, mas terá pela sua frente ninguém menos que Cristiano Ronaldo, o maior teste de sua carreira até aqui.

 

Foto: Getty Images - Será que Rafael está preparado pra enfentar Cristiano Ronaldo?

Foto: Getty Images – Será que Rafael está preparado pra enfentar Cristiano Ronaldo?



Equipe provável: De Gea; Rafael, Vidic, Ferdinand (Evans), Evra; Carrick, Anderson, Cleverley; Rooney, Kagawa, van Persie
Principais opções: Valencia, Nani, Jones

Comentários

Torcedor fanatico do Arsenal e do Flamengo, Gregor é fã de longa data da Premier League, acompanhando a liga avidamente há 10 temporadas. Formado em linguística inglesa pela universidade King's College em Londres, agora faz mestrado em linguistica e literatura na universidade de Zurich. Colunista da extinta revista "Doentes por Futebol", hoje é o editor de futebol inglês no site.