Resumo da Libertadores – Semana 1 (Fase de Grupos)

  • por Mauricio Fernando
  • 6 Anos atrás

Iniciou-se nesta semana a fase de grupos da Taça Libertadores da América 2013 e, como sempre, apresentando surpresas e bons jogos que empolgaram aqueles que acompanham a competição de clubes mais importante da América Latina. Foram 35 gols em 13 jogos, média de 2,69 gols por jogo. Em mais da metade das partidas (7 vezes), o resultado foi o mesmo, 2×1. E a DPF, como não podia deixar passar, preparou um resumo com o que de melhor aconteceu.

O Barcelona, liderado por Damian Diaz teve momentos do homônimo espanhol. Foto: Conmebol

O Barcelona equatoriano, liderado por Damián Díaz, chegou a lembrar o homônimo espanhol em alguns momentos. Foto: Conmebol



Na terça feira, o jogo de abertura entre Nacional-URU x Barcelona-EQU já apresentou fortes emoções e um belo cartão de visitas do que vem por aí. Apresentando bom futebol, os equatorianos, comandados pelo maestro argentino Damián Díaz, abriram 2×0 em 25 minutos da 1ª etapa, com gols do próprio Díaz e do centroavante Ariel (ex-Coritiba). Gustavo Díaz, treinador da equipe uruguaia, teve então de colocar em ação os experientes Recoba e Loco Abreu, que haviam começado no banco de reservas, para tentar mudar o panorama da partida. E eles foram decisivos. Recoba, com duas assistências, e Loco Abreu, com um gol e cavando uma expulso adversária, foram os principais responsáveis por igualar o placar. Ivan Alonso, outro atacante experiente, foi o autor do gol de empate, aos 47 da etapa final. Momentos antes, no entanto, Díaz havia feito ótima jogada e sido derrubado dentro da área. Pênalti ignorado pelo árbitro chileno Enrique Osses, prejudicando decisivamente os equatorianos. Um pecado para este espetáculo, expressão que define bem o jogo. Ainda assim, o Barcelona tem motivos para comemorar, pois conquista um ótimo resultado fora de seus domínios, preciosidade em um grupo tão equilibrado.


Na outra partida do grupo 1, realizada na quarta-feira, o Boca Júniors acabou derrotado de virada pelo Toluca por 2×1, em plena Bombonera lotada, na reestreia de Bianchi na Libertadores. Ainda sem Riquelme, os argentinos tiveram dificuldades na criação de jogadas, diferentemente da equipe mexicana, que tinha no brasileiro (naturalizado mexicano) Sinha, o maestro do meio campo. Santiago Silva de pênalti abriu o placar para os donos de casa, mas com duas assistências do maestro brasileiro, os diabos vermelhos chegaram à virada. Os gols foram anotados por Carlos Esquivel e Edgar Benítez. Ainda quando a partida estava com placar favorável para os argentinos, Carlos Rodríguez desperdiçou uma penalidade para os mexicanos. No fim, Viatri ainda finalizou na trave a última chance do Boca, que foi derrotado com justiça pelo Toluca, que lidera o “grupo da morte” isoladamente com a vitória.

Outra equipe argentina que decepcionou na estreia, desta vez na terça, foi o Vélez, que foi derrotado pelo Emelec no Equador. Ironicamente, o gol contra foi marcado por Facundo Ferreyra, artilheiro do último campeonato argentino, e que desta vez mostrou seu faro de gol no lado errado. Os equatorianos dominaram amplamente o jogo e poderiam ter ampliado o placar. Isso só não aconteceu graças à incompetência nas finalizações e também pelo goleiro Sosa, que fez grandes defesas evitando o pior para o Vélez, que esteve irreconhecível e pouco ameaçou a meta do goleiro Dreer do Emelec. Ainda pelo grupo 4, na quarta, o Peñarol mostrou sua força diante do Deportes Iquique, superando os adversários que jogavam em casa. Em partida movimentada, os uruguaios tiveram, na maior parte do tempo, o controle do jogo. Estoyanoff abriu o placar para os aurinegros, os donos da casa empataram com Villalobos, reforço recém chegado do Huachipato. Porém, o artilheiro Olivera marcou para os visitantes e deu números finais à partida.

O atacante Ubilla foi eleito o melhor jogador da semana pela Conmebol. Foto: Fox Sports

O atacante Ubilla foi eleito o melhor jogador da semana pela Conmebol. Foto: Fox Sports



Na terça feira, jogaram, ainda pelo grupo 7, Universidad de Chile e Deportivo Lara. Os chilenos venceram com dois belos gols da jovem promessa Sebastián Ubilla, mas poderiam ter feito muito mais, pois perderam inúmeras oportunidades para dilatarem o placar. Na outra partida do grupo, esta na quinta, o Newell´s Old Boys confirmou o favoritismo diante do Olímpia. Vitória por 3×1 com gols do artilheiro Scocco, Orzán e do veterano Maxi Rodriguez, com Bareiro descontando para os paraguaios.

Ronaldinho bebendo água nos instantes que antecederam o primeiro gol da partida. Foto: Globo Esporte

Ronaldinho bebendo água nos instantes que antecederam o primeiro gol da partida. Foto: Globo Esporte



No clássico desta rodada de abertura, o Atlético Mineiro recebeu o São Paulo em um Independência fervilhante, que mais uma vez fez a diferença, assim como Ronaldinho, que deu assistência para os dois gols do Galo, marcados por Jô e Réver – o primeiro em uma desatenção da defesa são-paulina após cobrança de lateral, com o detalhe que o meia bebia a água de Rogério Ceni, instantes antes do lance que originou. O São Paulo, que praticamente inexistiu na 1ª etapa, equilibrou as ações e ainda conseguiu descontar com Aloísio e quase empatou com Ganso, mas não foi o suficiente. Vitória mineira por 2×1. Na outra partida do grupo 3, o Arsenal de Sarandi bem que tentou segurar o The Strongest em La Paz, mas com um a menos durante quase toda a segunda etapa acabou sendo derrotado pelo mesmo placar da outra partida da chave. Chumacero e Melgar marcaram para os bolivianos, enquanto que Benedetto marcou o tento argentino.

Pelo grupo tido como mais fraco desta fase, o 6, o Deportes Tolima assumiu a ponta ao vencer o Cerro Porteño em casa. Luiz Cardozo contra e David Silva, o colombiano, marcaram para os donos da casa, enquanto que Williams Martínez descontou para os paraguaios. Na outra partida do grupo, no Perú, o Real Garcilaso empatou com o Independente Santa Fé. Bogado abriu o placar para os anfritiões, que acabaram sofrendo o empate aos 44 do segundo tempo, através de Borja, que deu um ponto precioso aos colombianos.

O Huachipato de Braian Rodríguez foi a grande surpresa da rodada. Foto: Record

O Huachipato de Braian Rodríguez foi a grande surpresa da rodada. Foto: Record



No grupo 8 os visitantes levaram a melhor e saíram na frente. O Fluminense mais uma vez se valeu do oportunismo de Fred para abrir o placar e depois só controlou o jogo na Venezuela diante do Caracas. Mas ainda melhor se saiu o Huachipato, que não se intimidou com a pressão da Arena do Grêmio e dominou a maior parte do confronto com os gaúchos, mostrando personalidade e bom futebol, aproveitando-se também do nervosismo dos donos da casa. O campeão chileno abriu 2×0 no início do segundo tempo, gols dos atacantes Falcone e Braían Rodriguez. O Grêmio descontou de pênalti com o estreante Barcos, pressionou desordenamente e não conseguiu reverter, proporcionando uma das maiores surpresas desta 1ª semana da fase de grupos de Libertadores.

E para fechar, o Palmeiras, ainda em reformulação, se comportou bem diante do Sporting Cristal e, mesmo com todos os problemas, venceu com justiça o campeão peruano por 2×1, gols de Henrique e Patrick Vieira. Lobatón descontou para os visitantes.

Veja todos os placares desta primeira semana da competição:

12/02 (Terça-feira)
Nacional-URU 2×2 Barcelona-EQU (Grupo 1)
Emelec 1×0 Vélez (Grupo 4)
Universidad de Chile 2×0 Deportivo Lara (Grupo 7)

13/02 (Quarta-feira)
Deportes Iquique 1×2 Peñarol (Grupo 4)
Atlético-MG 2×1 São Paulo (Grupo 3)
Caracas 0x1 Fluminense (Grupo
Boca Juniors 1×2 Toluca (Grupo 1)
Real Garcilaso 1×1 Santa Fé (Grupo 6)

14/02 (Quinta feira)
Newell´s 3×1 Olímpia (Grupo 7)
Grêmio 1×2 Huachipato (Grupo
Deportes Tolima 2×1 Cerro Porteño (Grupo 6)
The Strongest 2×1 Arsenal (Grupo 3)
Palmeiras 2×1 Sporting Cristal (Grupo 2)

Comentários

21 anos, morador de Maringá-PR. Corintiano de coração, aprendi ainda a ser Liverpool, na Europa. Como Doente por Futebol, acompanho diariamente jogos, jogadores e tudo o que acontece acerca deste apaixonante esporte. Minha função por aqui será de analisar e informar tudo o que rola na América do Sul e no México. Responsável ainda pelas colunas "Craque DPF" e "Futebol na Mídia".