Tottenham precisa deixar de depender apenas de Bale

  • por Fernando Mattos
  • 9 Anos atrás


Quando Modric deixou o Tottenham para jogar no Real Madrid, ficou nas mãos de Gareth Bale a missão de conduzir o time de Londres na atual temporada. Não que Modric seja um craque de bola, mas dividia com o galês a função de guiar o meio de campo do Spurs.

Luka Modric quando atuava pelos Spurs.

Luka Modric quando atuava pelos Spurs.

Bale não titubeou. Como principal jogador do Tottenham, o meia tem feito a diferença nas últimas partidas a favor de sua equipe. Mas é aí que se encontra a grande questão, pois o time dirigido por André Villas-Boas se tornou extremamente refém de atleta. Quem assistiu à partida entre Tottenham x Lyon na última quinta-feira, dia 14, válido pela segunda fase da Liga Europa, sabe bem do que falamos. Graças ao camisa 11, que marcou dois belos gols em duas cobranças de falta, o time inglês venceu por 2×1 e joga por qualquer empate na partida de volta na França. Vale ressaltar que o meia ainda desperdiçou chance inacreditável, com o gol vazio. Mas… e se não fosse Bale?

Nas duas últimas rodadas da Premier League, contra Newcastle e West Bromwich, o jogador já havia decidido a partida para o Tottenham. São válidos os elogios de André Villas-Boas a Bale, que realmente passa por ótimo momento. Entretanto, o treinador português precisa achar uma maneira de sua equipe atuar quando o meia galês não estiver em campo. Quando Bale está ausente, o Tottenham geralmente encontra muitas dificuldades para vencer seus jogos. Quando ele está em campo, mas às vezes em um dia ruim, depende de um brilho isolado de sua principal estrela, como aconteceu no embate diante do Lyon. São somados a tudo isso a má fase de Adebayor, que ainda não rendeu na atual temporada, a lesão de Defoe, que só tem menos gols na temporada que o próprio Bale, e o “efeito vaga-lume” de Dempsey. Ou seja, tudo fica sobrecarregado em cima do galês, que precisa fazer das tripas coração para levar os Spurs à vitória.

Tudo bem que Villas-Boas não conta com muitas opções no elenco para tentar uma alternativa durante as partidas ou na ausência de Bale. Uma aposta pode ser Lewis Holtby, que veio do Schalke 04 para o Tottenham na última janela de transferências. Porém, o meia alemão precisa de tempo para se adaptar e se entrosar com os demais companheiros, mas tem talento e precisa de chances na equipe para tirar o peso todo de cima do principal astro do Tottenham. Sigurdsson, que seria outra alternativa, não demonstrou ser o jogador que pode mudar uma partida. Já Lennon usa e abusa da correria, mas é só.

O Tottenham tem um bom time, com Bale em ótima fase e se firmando como um dos maiores jogadores do futebol mundial atualmente, e vai brigar até o fim por uma vaga na UEFA Champions Legaue. Entretanto, se quiser algo mais ainda nesta temporada, André Villas-Boas precisa achar a cura para “Bale dependência”, pois pode chegar o dia em que o galês não esteja inspirado ou seja desfalque. E quando isso acontece, as coisas nem sempre vão bem pelos lados do White Hart Lane.

Gareth Bale na temporada  2012/13 | Reprodução: Top 99news

Gareth Bale na temporada 2012/13 | Reprodução: Top 99news

Comentários

Carioca, jornalista e apaixonado pelo velho esporte bretão. Rubro-negro de coração e torcedor do Tottenham por opção, já trabalhou em emissoras como TV Record e Rádio Livre do Rio de Janeiro. Também foi comentarista do programa Plus TV Sports. Virou um Doente Por Futebol em março de 2013.