Os vencedores da Bola de Ouro – Parte VII

  • por Igor Leal da Fonseca
  • 8 Anos atrás

Depois do bicampeonato de Kevin Keegan, a Bola de Ouro foi dominada por alemães nos anos de 1980 e 1981, com cinco jogadores entre os seis mais votados nos dois anos somados. Vamos aos vencedores.



1980

1 – Rummenigge – Bayern

Rummenige em ação pela Alemanha.

Rummenige em ação pela Alemanha.


2 – Schuster – Colônia (Barcelona após a Euro)
3 – Platini – Saint-Etiénne

Em ano de Eurocopa vencida pela Alemanha, nada mais natural que o expoente máximo da equipe levasse a premiação, e esse era Rummenigge, artilheiro e campeão da Bundesliga 1979/80 jogando pelo Bayern. A Alemanha venceu a Euro batendo Tchecoeslováquia, Holanda e Bélgica na competição disputada na Itália. 

Em segundo terminou Schuster, que também brilhou na Euro, entrando para a equipe da competição (assim como seu compatriota Rummenigge). O meia fez sua estreia pela Alemanha em 1979, então com apenas 20 anos de idade. Na Euro 1980, foi titular no meio de campo da Alemanha e um dos principais jogadores da equipe.

Em terceiro terminou Michel Platini, então já consolidado no futebol francês como um dos maiores jogadores do campeonato. Na temporada 1979/1980, Platini fez 16 gols e o seu time terminou em terceiro na competição, apenas 2 pontos atrás do campeão. Platini já era almejado por várias equipes de centros maiores da Europa.

1981

1 – Rummenigge – Bayern

Rummenigge pouco após terminar uma partida pelo Bayern.

Rummenigge pouco após terminar uma partida pelo Bayern.

2 – Breitner – Bayern
3 – Schuster – Barcelona

Se em 1980 o domínio alemão já havia sido gigantesco, em 1981 foi total, com três alemães nas três primeiras posições. Rummenigge fez 29 gols na temporada 1980/1981, sendo mais uma vez artilheiro e campeão da Bundesliga pelo Bayern. Foi também o goleador máximo da Liga dos Campeões, competição em que o Bayern foi semifinalista, caindo apenas no critério gol fora de casa diante do Liverpool.

Se Rummenigge era o artilheiro, Breitner era o expoente máximo da técnica. Já aos 30 anos de idade, o ex-lateral havia migrado para o meio-campo, onde se tornou ainda mais letal, como na temporada 1980/81, quando fez 17 gols na Bundesliga (4º na artilharia) e foi eleito para a seleção do campeonato.

Schuster terminou em terceiro após boa temporada pelo Barcelona em um dos campeonatos mais disputados da história da Espanha, quando apenas quatro pontos separaram Real Sociedad (Campeã) do Barcelona (5º colocado e campeão da Copa do Rei).

1982


1 – Rossi – Juventus

Rossi recebe a Bola de Ouro.

Rossi recebe a Bola de Ouro.


2 – Giresse – Bordeaux
3 – Boniek – Juventus

Depois de ficar quase dois anos afastado dos gramados em virtude de participação em esquema de armação de resultados, Rossi voltou aos campos às vésperas da Copa do Mundo da Espanha. Fez poucas partidas e foi convocado para ser titular da Itália na competição. Se na primeira fase da competição Rossi deixou a desejar, nas fases mais agudas arrebentou, fazendo 3 gols contra o Brasil na partida que passou à história das Copas do Mundo como ”A Tragédia do Sarriá”, fez mais 2 contra a Polônia na semi final e um contra a Alemanha na final. Além da artilharia, Rossi levou o prêmio de melhor jogador da Copa do Mundo de 1982.

O meia francês Giresse terminou em 2º, após ser um dos principais jogadores da França na Copa, quando o time terminou em terceiro lugar na competição. Em terceiro ficou o polonês Boniek, autor de 4 gols no Mundial e principal responsável pelo grande campanha da Polônia, que chegou até a semi final, só caindo perante a Itália de Rossi.

1983


1 – Platini – Juventus

Platini manteve a Bola de Ouro com jogadores da Juventus.

Platini manteve a Bola de Ouro com jogadores da Juventus.


2 – Dalglish – Liverpool
3 – Simonsen – Charlton Athletic/Vejle – DIN

Após a Copa do Mundo de 1982, vários grandes jogadores rumaram para a Europa, especialmente para o Calcio. Platini foi um desses jogadores e já na sua temporada de estreia pela Juventus fez 28 gols, sendo 16 no Calcio (artilheiro da temporada 1982/83) e 5 na Champions, competição em que foi vice artilheiro e vice-campeão, após a Juventus perder a final para o Hamburgo. Platini levou a Bola de Ouro com larga vantagem para o segundo colocado Dalglish. O escocês fez brilhante temporada pelo Liverpool, conquistando o título inglês e a Copa da Liga.

Em terceiro ficou o dinamarquês Simonsen, vencedor da premiação em 1977, quando era jogador do Borussia Monchengladbach. Simonsen fez boa temporada pelo clube da Dinamarca e foi um dos principais responsáveis pela vaga da Dinamarca na Euro 84, a primeira competição da seleção desde a Euro 64, quando o time terminou em quarto lugar.

Semana que vem, mais duas conquistas de Platini, a primeira de um jogador da Holanda desde Cruijff em 74 e a maior polêmica da premiação, a Bola de Ouro do soviético Belanov em 1986. Até lá!

Comentários

33 anos, morador do Rio de Janeiro. Rubro Negro de coração, apaixonado pelo Maracanã, tem no Barcelona o exemplo de clube para o que entende como futebol perfeito, dentro e fora do campo. Estudioso da memória do futebol, tem nessa sua área de maior atuação no site, para preservar a memória do esporte. Dedica especial atenção aos times mais alternativos, equipes que tiveram grandes feitos, mas que não são tão lembradas quanto as maiores do mundo. Curte também futebol do centro e do leste da Europa, com uma coluna semanal dedicada ao assunto. Um Doente muito antes de fazer parte desse manicômio, sua primeira memória acadêmica é uma redação sobre o Zico, na qual tirou 10 e a mesma foi para o mural da escola. Nunca trabalhou com futebol dessa forma, mas adora o que faz junto com o restante do pessoal e se pergunta o porquê de não ter começado com isso antes. Espera recuperar o ''tempo perdido''. Acha Lionel Messi o melhor que viu jogar e tem em Zico, Petkovic e Ronaldo Angelim como heróis.