Julian Draxler é destaque no Schalke 04

  • por Raniery Medeiros
  • 8 Anos atrás
Draxler é destaque nos Azuis Reais

Foto: Reprodução – Draxler é destaque nos Azuis Reais

Draxler – a ‘jóia’ de Gelsenkirchen

Após a vexatória campanha na Eurocopa de 2004, quando caiu na primeira fase do torneio, algo precisava ser revisto e modificado no futebol alemão. A reestruturação estava por vir.

O primeiro passo foi a demissão do então técnico Rudi Völler. Sabendo que em dois anos o país seria sede da Copa do Mundo, a cúpula do comitê organizador (leia-se Beckenbauer) resolveu apostar as suas fichas no trabalho de Jürgen Klinsmann.

Com carta branca, Jürgen nomeou seu ex parceiro, Oliver Bierhoff, como diretor e um dos “ajudantes” nas relações públicas. Ainda em sua comissão técnica, chamou Joachim Löw como auxiliar. O grande desafio seria o de rejuvenescer a seleção através da aposta nas categorias de base dos clubes locais. Muita gente nova foi sendo descoberta e, diante do novo cenário, tendo a oportunidade de atuar pelo seu país.

Mesmo batendo de frente com Beckenbauer, deixando Oliver Kahn na reserva e apostando em jovens promessas de talentos discutíveis, o técnico levou a Alemanha ao 3º lugar na Copa do Mundo e saiu ovacionado do Gottieb-Daimler-Stadion, em Stuttgart.

Com a saída de Klinsmann, Löw assumiu o cargo de técnico ainda em 2006. O trabalho e o planejamento deveriam ser mantidos. Descobrir novos talentos e mesclar com a experiência de jogadores graúdos era um ato legítimo para a retomada das grandes conquistas. A seleção sempre convence, mas não vence. Vice na euro de 2008, 3º lugar na copa de 2010 e na euro 2012.

O crescimento da Bundesliga é perceptível aos olhos de quem a acompanha de forma assídua. É fácil concatenar a atual situação dos clubes alemães com a sua seleção. Investimento, fortes parceiros, boas condições econômicas, maior visibilidade, aposta nas categorias de base etc. Dessa maneira, abriu-se espaço para acabar com o rótulo e estereótipo de jogadores trombadores. A atual safra germânica nos permite ver bons valores como Hummels, Gotze, Reus, Schmelzer, Kroos, Gundogan, Holtby, Müller, Schürlle, Khedira, etc.

Todo esse trabalho não surgiu como em um passe de mágica. Desde o longínquo ano de 2004, o planejamento vem sendo colocado em prática. Através de todos os atributos citados, outro jovem vem chamando a atenção pelo seu futebol. O nome da fera? Julian Draxler.

Nascido em Gladbeck, o meio campo de apenas 19 anos já é tratado como um expoente da sua geração. Jogador do Schalke 04, pode atuar como winger (ponta) pela esquerda ou até mesmo de meia armador no 4-2-3-1 do técnico Jens keller.

Ambidestro, com 1,87m, habilidoso, driblador e incisivo. Outro ponto forte da jóia de Gelsenkirchen são os seus bons chutes de fora da área. Como todo “moleque”, ainda precisa firmar alguns fundamentos e amadurecer para o futebol. O jogador em questão fez boa parceria com o seu amigo, Lewis Holtby. Mas, no início de ano, Lewis foi jogar pelo Tottenham e agora é Julian quem assume o cargo de armador e cérebro do time.

A versatilidade de qualquer jogador acaba por ser primordial em sua carreira. É preciso ter visão de mercado e acompanhar, de perto, a ascensão de uma nova estrela. Com o nosso homenageado não é diferente. Mesmo sendo alto e forte, a sua técnica não foi prejudicada e a sua visão de jogo chega a ser surreal. A qualificação no passe é um dos seus cartões de visita.

O site olheiros.net listou, antes do início da temporada, os 10 prodígios que poderiam se destacar na Liga dos Campeões da Europa. Eis os nomes: Oscar (Chelsea), Verratti (PSG), De Sciglio (Milan), Nastasic (Manchester City), Carl Jenkinson (Arsenal), Varane (Real Madrid), Pogba (Juventus), Fernando Canesin (Anderlecht), Christian Atsu (Porto) e Julian Draxler (Schalke 04).

Löw, admirado pelo desempenho do garoto, disse: “Um jogador com estilo atrevido e despreocupado”.

No final de 2012, chegou a ser notificado que o São Paulo Futebol Clube estaria interessado no futebol do atleta. Boato ou não, a visibilidade do camisa 31 é enorme. Imagina-se que clubes poderosos da Europa já estejam de olho no jogador.

Pelos lados Germânicos existe um grande prêmio que é dado para o melhor jovem atleta de cada temporada. Estamos falando do Fritz Walter Medal. Justa homenagem ao capitão da seleção alemã de 1954 que recebeu a taça Jules Rimet. Jogadores do sub 17, 18 e 19 são condecorados todos os anos. Draxler venceu, em 2011, na categoria sub-18. Deixou para trás Sonny Kittel e Markus Mendler.

Com apenas 17 anos, fez a sua estreia diante do Hamburgo, pelo time principal do Vale do Ruhr, no dia 15/01/2011. Tornou-se, assim, o quarto jogador mais jovem a atuar na Bundesliga. Seu primeiro gol como profissional veio no duelo contra o Nuremberg, pela Copa da Alemanha. Entrou no decorrer da prorrogação e fez o gol da classificação dos “Azuis Reais”.



Seu primeiro gol no Campeonato Alemão foi marcado no dia 01/04/2011. Não! Não é mentira, Doentes. O Schalke venceu o St. Pauli por 2×0.



SELEÇÃO

Atuou nas categorias de base do sub-18 e sub-21. Sua primeira convocação para a seleção principal veio em 2012. Na partida diante da Suiça, no dia 26 de Maio, Draxler entrou no lugar de Podolski no minuto 62 do jogo.

Foto: Reprodução - Realizando seu sonho de criança

Foto: Reprodução – Realizando seu sonho de criança

Foi pré selecionado para a Eurocopa de 2012, mas acabou por ser cortado da lista final.

Resta saber se a promessa vai se tornar realidade. Sabemos que é difícil obter regularidade no futebol tão disputado de hoje. Porém, vale a pena ficar de olho nele. Melhor ainda: que o processo de gestão do futebol Alemão sirva de exemplo para outros países. A fornalha é muito boa.

NÚMEROS NA ATUAL TEMPORADA

Jogos: 32 (Sendo 2 pela Alemanha)
Gols: 10
Assistências: 5 (sendo 1 pela Alemanha)
Cartões Amarelos: 4
Homem do jogo: 2 vezes

TÍTULOS:

– Copa da Alemanha 2010/2011
– Supercopa da Alemanha 2011

DRIBLES, GOLS E ASSISTÊNCIAS

Comentários