Málaga faz história e elimina Porto na Champions

  • por Levy Guimarães
  • 8 Anos atrás

Málaga 2x0 Porto

Noite histórica no estádio La Rosaleda. Em desvantagem no confronto, após perder o jogo de ida por 1×0, o Málaga derrotou o Porto por 2×0, em casa, e garantiu a classificação inédita para as quartas-de-final da UEFA Champions League. Em um jogo com direito a expulsão, erro de arbitragem e muita festa dos espanhóis, o time de Isco, Joaquín e cia. manteve o seu torcedor em lua-de-mel com a Liga dos Campeões. Aos portistas, restou apenas lamentar a inesperada eliminação.

No começo do jogo, o Porto parecia não se importar de jogar em La Rosaleda. Detinha mais posse de bola e ocupava o campo adversário, enquanto os donos da casa exploravam as jogadas pelos lados, com Isco e Joaquín. Porém, nenhuma chance clara de gol foi criada.

A superioridade portista durou pouco. Já na metade do 1º tempo, o Málaga crescia no jogo, anulava os principais jogadores adversários e começava a pressionar. Aos 36 minutos, um chute perigoso de Antunes, com boa defesa de Hélton, já anunciava a superioridade dos espanhóis. Cinco minutos depois, numa falha clamorosa do goleiro brasileiro, Saviola ia marcando o primeiro gol, mas o árbitro italiano Nicola Rizzoli marcou uma falta (inexistente) sobre o arqueiro.

O Porto, entretanto, não suportou a pressão. Aos 43, após boa troca de passes, Isco recebe pelo meio, descai para a direita e chuta forte, atingindo o canto direito e encobrindo Hélton. A superioridade do Málaga era, enfim, traduzida no placar, e a eliminatória ia para o intervalo empatada.

Foto: uefa.com - Isco comemora o gol que abriu o placar em La Rosaleda

Foto: uefa.com – Isco comemora o gol que abriu o placar em La Rosaleda

A segunda etapa começou da mesma forma que terminou a primeira: pressão do Málaga e Porto retraído. E já deu resultado logo aos 4 minutos, com a expulsão do belga Defour, do Porto, ao tomar o 2º cartão amarelo, após falta dura em Joaquín. A partir dali, o jogo tomava ares dramáticos para os portugueses, que viram Saviola e Isco chegarem muito perto do segundo gol, enquanto os espanhóis tomavam conta do jogo.

Passados os efeitos imediatos pós-expulsão, os Dragões se reequilibraram na partida e, por hora, esfriaram o ímpeto da equipe de Manuel Pellegrini. Tiveram, inclusive, uma chance de empatar com Jacskon Martínez, que desviou para fora um cruzamento de bola parada. Mas não foi o bastante para impedir o segundo gol do Málaga: após escanteio na direita cobrado por Isco, aos 32 minutos, Roque Santa Cruz cabeceia no canto direito de Hélton, sem chances para o arqueiro. Málaga 2 a 0.

Foto: uefa.com - Jogadores comemoram o gol de Roque Santa Cruz, que garantiu o Málaga nas quartas

Foto: uefa.com – Jogadores comemoram o gol de Roque Santa Cruz, que garantiu o Málaga nas quartas

O restante do jogo foi todo dos donos da casa. O único susto foi em uma cabeçada de Maicon que balançou as redes de Caballero, mas o jogador estava em posição de impedimento. Com muito espaço nos contra-ataques, o Málaga apenas controlou a vantagem até o apito final. Fim de jogo e muita euforia em La Rosaleda.

Após o jogo de hoje, Manuel Pellegrini se tornou o primeiro treinador a chegar às quartas-de-final da Champions League com dois times estreantes. Repetiu o feito com outra equipe espanhola, o Villareal, em 2005-2006, quando alcançou as semifinais.

Foto: uefa.com - Maicon lamenta gol anulado. Jogador estava impedido no lance

Foto: uefa.com – Maicon lamenta gol anulado. Jogador estava impedido no lance

Agora, o Málaga aguarda o sorteio das quartas-de-final, na sexta-feira. Evidentemente, os espanhóis torcem por um adversário teoricamente mais fraco, como o Galatasaray ou até o PSG. Mas para um time que vem surpreendendo desde o começo da temporada, nada é impossível. O Málaga segue na Champions pronto para incomodar os grandes.

Comentários

Estudante de Jornalismo e redator no Placar UOL Esporte, belo-horizontino, apaixonado por esportes e Doente por Futebol. Chega ao ponto de assistir a jogos dos campeonatos mais diversos e até de partidas bem antigas, de décadas atrás.