NEW NEWCASTLE

  • por Doentes por Futebol
  • 8 Anos atrás

Elaborado por Lucas Cavalcante

O Newcastle não faz uma Premier League dos sonhos, longe disso, mas o que chama a atenção para o tradicional clube inglês são os excelentes negócios concretizados desde o rebaixamento à nPower Championship na temporada 2008/09.

A temporada é 2005/2006. O Newcastle, em grande momento financeiro, faz grandes contratações. Entre elas a maior da história do clube: Michael Owen deixou o Real Madrid para jogar nos Magpies por aproximadamente 17 milhões de libras. Valor recorde que não foi correspondido dentro de campo e desencadeou o declínio do Newcastle. O time terminou apenas na 7ª colocação e se despediu de seu maior ídolo, Alan Shearer, que se aposentou. Na temporada seguinte nova decepção, com a 12ª colocação. Mas o pior ainda estava por vir.

Michael Owen marca contra o Barnsley. Foto: whoateallthepies.tv

Michael Owen marca contra o Barnsley. Foto: whoateallthepies.tv

No começo de 2008 o Newcastle foi colocado à venda, sendo retirado da condição ao término do ano pela falta de compradores. Pouco depois disso o então presidente Mike Ashley foi hospitalizado e posteriormente submetido a uma cirurgia. E não era só fora dos campos que as coisas iam mal para o Newcastle. Dentro dele o time brigava com unhas e dentes contra o rebaixamento. Alan Shearer até se tornou gerente interino na tentativa de salvar o seu clube de coração do descenso, mas foi em vão. Na última rodada três clubes do nordeste da Inglaterra brigavam para não cair: Newcastle, Middlesbrough e Sunderland. E pela primeira vez em 17 anos o Newcastle United foi rebaixado após perder por 1×0 para o Aston Villa. Depois disso o clube foi novamente colocado à venda, esbarrando outra vez na falta de compradores.

Mesmo sem nenhuma contratação de impacto e com elenco cheio de apostas, a conquista da Championship foi fácil. O Newcastle fez campanha extraordinária, com 30 vitórias, 12 empates, e apenas 4 derrotas, somando 102 pontos. Vale lembrar que Michael Owen fez parte do time campeão da Championship, mas as lesões atrapalharam novamente e o inglês revelado pelo Liverpool não conseguiu fazer grandes atuações.

Em 2010/11 começava a montagem da colônia francesa no Newcastle. Na janela de inverno o clube contratou Hatem Ben Arfa, do Olympique de Marselha, por 6 milhões de euros. Também houve contratações como as de Tioté, vindo do Twente, Sol Campbell, do Arsenal, Dan Gosling, do Everton, James Perch, do Nottingham, entre outras. No último dia da janela os Magpies fizeram a maior venda de sua história: Andy Carroll foi vendido por 41 milhões de euros para o Liverpool. O clube fez uma campanha sólida e, sem sustos, terminou a Premier na 12ª colocação. Seu artilheiro novamente foi Kevin Nolan, com 12 gols.

Andy Carroll em partida válida pela Premier League. Foto: politiken.dk

Andy Carroll em partida válida pela Premier League. Foto: politiken.dk

Estabilizado e com dinheiro, o Newcastle contratava bem para a temporada 2011/2012. Cabaye, do Lille, Demba Ba, do West Ham, Marveaux, do Rennes, Ireland do Aston Villa, Santon, da Inter e Obertan, do United foram as principais contratações. Na janela de inverno Papiss Cissé, do Freiburg, foi contratado por 12 milhões de euros. O atacante não decepcionou e, junto com Demba Ba fez uma dupla de ataque aterrorizante para os adversários, levando o Newcastle à 5ª colocação. A dupla senegalesa fez 29 gols, sendo 16 de Ba e 13 de Cissé. Destaque também para Cabaye, que cumpria função muito importante no meio campo do time inglês e custou apenas 6 milhões de euros.

Na atual temporada o Newcastle não vai tão bem como em 2011/12 mesmo com a base mantida. Sem muitas contratações para o início da temporada, os reforços surgiram na janela de inverno, quando o time comandado por Alan Pardew contratou mais uma legião de franceses. Debuchy, Mbiwa, Gouffran e Sissoko chegaram a preços acessíveis para tentar melhorar a campanha dos Magpies, que tiveram como baixa a saída de Demba Ba para o Chelsea por 8,6 milhões de euros. O grande destaque entre ascontratações vai para Moussa Sissoko, que custou apenas 2,5 milhões de euros. O meio campista ex-Tolouse vem muito bem, inclusive tendo decidido a partida contra o Chelsea.

Hoje, o Newcastle não tem o poder aquisitivo que tinha há alguns anos, mas contrata muito melhor. A competência no mercado leva a boas campanhas na Premier e na Europa League, na qual o clube disputa as quartas de final.

Jogador comemora gol diante do Chelsea. Foto: Globo Esporte.

Sissoko comemora gol diante do Chelsea. Foto: Globo Esporte.

Comentários