O galo e seus 105 anos

  • por Rafael de Melo Andrade
  • 8 Anos atrás

fael-2001

25/03/1908: 22 garotos matam aula para ir ao Parque Municipal realizar um sonho. Margival Mendes Leal é escolhido o primeiro presidente e é fundado o Atlético Mineiro Football Club. Difícil saber se eles imaginavam aonde podia chegar esse clube, que nasceu de um sonho de garotos e se tornou a maior paixão de milhões. O fato é que hoje ele completa 105 anos, e é dia de render homenagens.

Hoje é dia de homenagear primeiramente os 22 fundadores: nosso sincero muito obrigado a Aleixanor Alves Pereira, Antônio Antunes Filho, Augusto Soares, Benjamim Moss Filho, Carlos Maciel, Eurico Catão, Francisco Monteiro, Hugo Fracarolli, Humberto Moreira, Horácio Machado, João Barbosa Sobrinho, Jorge Dias Pena, José Soares Alves, Júlio Menezes Mello, Leônidas Fulgêncio, Margival Mendes Leal, Mário Neves, Mário Lott, Mário Toledo, Mauro Brochado, Raul Fracarolli e Sinval Moreira. Sem vocês, nossa vida teria um vazio.

Hoje é dia de homenagear os primeiros campeões mineiros, o grande Meirelles primeiro artilheiro. Mas é também dia de homenagear todos que nunca desistiram nos difíceis 10 anos seguintes, sem títulos e com a maior glória do nosso mais tradicional rival.

1971-atletico-mg

Foto: Reprodução – Campeão Brasileiro de 1971.

Hoje é dia de homenagear o imenso Mário de Castro e seus 195 gols em 100 jogos. O homem que jamais chutou fora, o homem que recusou a seleção porque seu futebol era só para o Clube Atlético Mineiro. Mas também é dia de lembrar Jairo e Said, seus parceiros do Trio Maldito.

Hoje é dia de homenagear Guará, o Perigo Louro. Mas também é dia de relembrar todos os herois do 1º título nacional, os campeões dos campeões de 1937.

Hoje é dia de homenagear Kafunga, o jogador que, por mais tempo, serviu ao manto, é dia de lembrar Murilo, o zagueiro, que de tão elegante, sequer despenteava o cabelo nos jogos. É dia de Zé do Monte, é dia de recitar de novo o histórico campeão mineiro de 1947: Kafunga; Murilo e Ramos; Mexicano, Monte e Silva; Lucas, Lauro, Carlyle, Lêro e Nívio.

Hoje é dia de homenagear os campeões do gelo, é dia de homenagear Ubaldo Miranda, o artilheiro dos gols espíritas, é dia de celebrar os pentacampeões mineiros, de 52 a 56.

Hoje é dia de relembrar os tempos difíceis da década de 60, quando o rival cresceu, os títulos rarearam, mas a torcida continuou apaixonada, crescendo, e o clube só se agigantou. É dia de relembrar a vitória sobre as feras do Saldanha, talvez o maior time da história do futebol.

Hoje é dia de homenagear Renato; Humberto Monteiro, Grapete, Vantuir e Oldair; Vanderlei e Humberto Ramos; Ronaldo, Dario, Lola (Spencer) e Romeu (Tião). É dia de ver e rever o gol de Oldair contra o São Paulo, é dia de vibrar de novo com a defesa de Renato no chute do Gérson e, principalmente, é dia de assistir 100 vezes a Humberto Ramos cruzar para Dadá parar no ar lá no 3º andar e selar a maior glória desses 105 anos de história. É dia de aplaudir todos os campeões brasileiros de 71, é dia do Mestre Telê Santana, é dia de se encher de esperanças porque conquistas como a de 19/12/71 hão de se repetir.

É dia de celebrar o maior de todos. Muito obrigado, José Reinaldo de Lima. O “baby craque”, o nosso rei, perseguido pelos zagueiros e pela ditadura, tendo como armas seu talento e ativismo político. É dia de fazer gol na pelada e levantar o punho direito, é dia de entrar no Youtube e ver algumas das obras-primas de um dos maiores talentos que o futebol já viu.

2REIS

Foto: galoucura – Reinaldo e Dadá.


É dia de relembrar e chorar de novo o 05/03/78. Aaah, se tivessem deixado o Rei jogar, ele não passaria em branco, ele não passaria em branco. Há quem diga que o Maracanazo era um show de rock perto do silêncio do Mineirão aquele dia. Há quem diga que nenhum velório jamais viu tantas lágrimas quanto o Gigante da Pampulha nesse dia. Mas nenhum dos mais de 100 mil presentes saiu de lá menos atleticano, ninguém desistiu, e o Galo saiu de campo sem título, mas um pouquinho maior do que entrou.

É dia de relembrar o hexa mineiro, o timaço de João Leite, Luizinho, Cerezo, Éder e Reinaldo. Mas é dia também de lamentar mais uma vez tantos quases. Nunes em 80, José de Assis Aragão em 81. Uma pena o melhor time da nossa história não ter se consagrado com um título brasileiro ou da América.

93650-700x0

Foto: Reprodução – Time comandado por Reinaldo foi quase imbatível na década de 80.

Hoje é dia também de celebrar Taffarel, de saudar o xodó da Massa com “Olê Marques”, de entrar no Youtube e vibrar de novo com Guilherme eliminando nosso rival em 99. É dia de assistir de novo à final contra o Corinthians, fazer uma fezinha pra ver se o Dida deixa passar uma. É dia de relembrar e valorizar os apaixonados que, em pleno 23/12, foram de madrugada recepcionar os guerreiros mesmo sem o título.

É dia de olhar para a última década rapidinho, chorar mais uma vez o rebaixamento, cantar mais uma vez o hino e mostrar que, em qualquer divisão, somos os mais apaixonados do Brasil. Vale um sorriso pro 4×0 de 2007, vale cantar “Tardeeeeelli GOL GOL” pra celebrar os bons momentos de 2009.


Hoje é dia de celebrar o jogador mais talentoso da história do futebol. Hoje é dia de Ronaldo de Assis Moreira, que virou mais um de nós. O homem que está nos colocando de volta entre os grandes, o homem que fez aquela obra-prima contra o Cruzeiro, que acabou com o jogo contra o Fluminense e que vai nos trazer essa Libertadores. É dia de acreditar. É dia de ter certeza de que Victor; Marcos Rocha, Réver, Léo Silva e Júnior César; Pierre e Donizete; Bernard, Ronaldinho e Tardelli; Jô vão ser marcados com um título à altura do futebol que apresentam.

Leonardo-Soares-UOL

Foto: reprodução – Ronaldinho, o ídolo maior da atualidade.


Mas, acima de tudo, hoje é dia de celebrar nossa paixão. Porque a maior glória desses 105 anos de história, o maior título, maior ídolo e maior patrimônio do Clube Atlético Mineiro é a torcida. Então parabéns, torcedor. Hoje todos nós fazemos 105 anos de torcida contra o vento. E, como num réveillon, renovam-se as esperanças de novos tempos. Dessa vez, não tão novos. Mas que esse tempo bom seja finalmente marcado com mais títulos. Se não vier, paciência, nosso amor continuará o mesmo.

Parabéns a todos que fizeram e fazem parte dessa história. Vamos, Galo!

charge

Comentários

Paulista, apaixonado pelo Galo, viciado em estatísticas e Doente por futebol. Acredita que Copa do Mundo dá sentido à vida. Marques e Ronaldinho são seus ídolos no futebol.