O Quarteto Fantástico do Benfica

  • por Levy Guimarães
  • 7 Anos atrás

Quarteto Fantástico benfiquista

O torcedor do Benfica, até o momento, não tem muito o que reclamar da temporada 2012/2013. Apesar da eliminação precoce na UEFA Champions League, em que o clube caiu logo na fase de grupos (terminando em 3º em sua chave e sendo “relegado” à Liga Europa), o atual momento das Águias não podia ser melhor. O time é líder do Campeonato Português e acabou de abrir 4 pontos de vantagem para o vice-líder Porto, a maior entre os dois primeiros colocados em toda a competição. Além disso, está nas quartas-de-final da Liga Europa (enfrentará o Newcastle), com boas perspectivas de avançar às fases mais agudas, e é semifinalista da Taça de Portugal, estando bem perto de garantir a vaga na decisão – derrotou o Rio Ave por 2×0 no jogo de ida. São três frentes diferentes, com chances reais de sair vitorioso em todas.

O segredo principal da boa campanha, além da continuidade do bom trabalho do técnico Jorge Jesus, à frente do time há quase quatro anos, está no entrosamento de 4 jogadores em especial: Ola John, Nico Gaitán, Eduardo Salvio e Óscar Cardozo.

O quarteto tem dado ao Benfica o melhor ataque do Campeonato Português e, estatisticamente falando, um dos melhores da Europa: são 60 gols marcados em 23 jogos, média de 2,6 por partida. Juntos, proporcionam um sistema ofensivo de muita movimentação, com Ola John pela esquerda, Salvio pela direita e Gaitán flutuando pelo meio, eventualmente também caindo por um dos flancos. Dessa forma, Cardozo fica bem servido na área, contribuindo com muitos gols.

Foto: jornalacores.pt - Cardozo comemorando um de seus 26 gols na temporada

Foto: jornalacores.pt – Cardozo comemorando um de seus 26 gols na temporada

Cardozo é o que está há mais tempo no clube. Desde sua chegada, na temporada 2007/2008, o paraguaio já foi artilheiro da liga portuguesa por duas vezes e é ídolo da torcida. Na atual temporada, computa 26 gols em trinta e duas partidas, sendo 15 deles no campeonato nacional. É o vice-artilheiro do Português e tem sido decisivo na Liga Europa, competição na qual marcou três gols decisivos contra Bayer Leverkusen e Bordeaux.

Gaitán é outro que já está bem habituado ao ambiente da Luz. É jogador dos Encarnados desde 2010 e, apesar de já ter caído nas graças da torcida, tem sua passagem pelo clube marcada por altos e baixos. Após um período de adaptação, teve ótimo rendimento na reta final da sua temporada de estreia, deixando boas perspectivas para a posterior. Começou 2011/2012 a todo vapor, apresentando um grande futebol tanto nas competições domésticas como na Champions League, mas sofreu uma queda na segunda parte da temporada, assim como o restante do time. Já em 2012/2013, vem ocorrendo o contrário: depois de um primeiro semestre apenas razoável, vem crescendo a cada jogo, sendo peça fundamental na boa fase da equipe. Assumiu, inclusive, a posição que era de Pablo Aimar, hoje no banco de reservas, como armador de jogadas.

Foto: reprodução - Ainda buscando regularidade, Gaitán vive uma de suas melhores fases pelo clube

Foto: reprodução – Ainda buscando regularidade, Gaitán vive uma de suas melhores fases pelo clube

Já Salvio tem uma história curiosa pelo time da Luz. Chegou por empréstimo vindo do Atlético de Madrid, em janeiro de 2011. A curta passagem de seis meses foi o bastante para levá-lo à condição de ídolo dos torcedores e criar uma identificação com o maior campeão português. A pedido dos adeptos e de Jorge Jesus, foi contratado em definitivo, no último mercado europeu de verão, por €13,5 milhões (contratação mais cara da história do Benfica). E o argentino de 22 anos não vem decepcionando. Deu ainda mais qualidade ao meio-campo benfiquista e, com 8 gols marcados, é apontado por muitos como o jogador mais completo do time.

Foto: reprodução. - Salvio dando uma de suas várias arrancadas na temporada

Foto: reprodução. – Salvio dando uma de suas várias arrancadas na temporada

A principal surpresa da equipe vem sendo o holandês Ola John. Contratado para esta temporada junto ao Twente, por €9 milhões, o meia de 20 anos encontrou dificuldades para se adaptar a Portugal em seus primeiros meses e era pouco relacionado para os jogos. Mas desde novembro vem em franca evolução. Mostrou ter boa técnica e velocidade, sendo decisivo principalmente pela Liga Europa, e já é titular na maioria dos jogos. É um dos jogadores do elenco com maior margem de evolução, com previsões de que tome o protagonismo da equipe nas próximas temporadas e podendo até ser negociado por um grande valor para um gigante europeu.

Foto: dnt.pt - John caiu como uma luva no esquema de Jorge Jesus, sendo decisivo em muitos jogos

Foto: dnt.pt – John caiu como uma luva no esquema de Jorge Jesus, sendo decisivo em muitos jogos

Evidentemente, o forte ataque benfiquista também conta com bons coadjuvantes, como o atacante Lima, autor de 12 gols na liga portuguesa, e os meio-campistas Matic e Enzo Pérez, importantes na saída de bola. Mas, com o “quarteto fantástico” em campo, é certeza de gols e de um fim de temporada promissor para o torcedor encarnado.

Comentários

Estudante de Jornalismo e redator no Placar UOL Esporte, belo-horizontino, apaixonado por esportes e Doente por Futebol. Chega ao ponto de assistir a jogos dos campeonatos mais diversos e até de partidas bem antigas, de décadas atrás.