Os Vencedores da Bola de Ouro – Parte VI

  • por Igor Leal da Fonseca
  • 8 Anos atrás

Chegamos à parte seis do nosso especial sobre os vencedores da Bola de Ouro. Neste post, falaremos do período entre 1976-1979, quando tivemos três jogadores diferentes vencendo e uma surpresa. Vamos aos vencedores.

1976


1º Beckenbauer – Bayern

Beckenbauer levanta a taça da Liga dos Campeões 1975/76

Beckenbauer levanta a taça da Liga dos Campeões 1975/76


2º Rensenbrink – Anderlecht
3º Ivo Viktor – Dukla Prague

Em ano de Euro, normalmente a temporada de clubes fica em segundo plano na hora da premiação. E 1976 se manteve no roteiro, com dois dos três primeiros sendo destaques da competição: Beckenbauer e Viktor.

O Kaiser já tinha 31 anos e cumpria sua penúltima temporada no Bayern, mas ainda tinha fôlego para fazer 52 jogos na temporada e liderar o time ao título da Liga dos Campeões e ao tricampeonato da competição. O Bayern ainda conquistou o Mundial Interclubes batendo o Cruzeiro. Pela Alemanha, Beckenbauer liderou a equipe até a final da Euro, mas a seleção perdeu para a R.Tcheca nas penalidades.

Em segundo, ficou o holandês Rensenbrink, que liderou o Anderlecht rumo à vitória na Cup Winner’s Cup, a primeira conquista europeia da equipe. Rensenbrink fez 31 gols na temporada, sendo oito pela competição continental. Em terceiro, o tchecoeslovaco Viktor, goleiro titular da R.Tcheca campeã da Euro 76 e um dos principais responsáveis pelo título da equipe.


1977


1º Alan Simonsen – Borussia Monchengladbach

O dinamarquês do Borussia recebe sua Bola de Ouro.

O dinamarquês do Borussia recebe sua Bola de Ouro.


2º Kevin Keegan – Liverpool/Hamburgo
3º Michel Platini – Nancy

O dinamarquês Simonsen foi a grande surpresa da premiação, em uma das decisões mais apertadas da história da Bola de Ouro. Simonsen obteve 74 pontos, contra 71 de Keegan e 70 de Platini. Na ocasião, era um dos principais jogadores do B. Monchengladbach, tricampeão da Bundesliga nas temporadas 74/75, 75/76 e 76/77. O Borussia chegou à decisão da Liga dos Campeões na temporada 76/77, mas perdeu para o Liverpool.

Em segundo lugar, uma lenda do futebol inglês: Kevin Keegan. Keegan era um dos principais jogadores do Liverpool campeão da Europa e bicampeão da Inglaterra nas temporadas 75/76 e 76/77, mas se transferiu para o Hamburgo no começo da 77/78. A mudança o prejudicou na disputa pelo prêmio, já que o Hamburgo foi mal na Bundesliga e o jogador fez apenas doze gols na temporada.

Em terceiro, uma futura lenda da premiação: Michel Platini. Platini tinha 22 anos e levou o pequeno Nancy ao quarto lugar na França, fazendo 25 gols em 39 jogos na temporada e jogando todos os 38 jogos da Liga da França.



1978


1º Kevin Keegan – Hamburgo

Keegan recebe sua primeira Bola de Ouro.

Keegan recebe sua primeira Bola de Ouro.


2º Hans Krankl – Barcelona
3º Rob Rensenbrink – Anderlecht

Em ano de Copa do Mundo conquistada pela Argentina, Keegan venceu por suas performances no Hamburgo, já que a Inglaterra não disputou a Copa. Keegan obteve 87 pontos, seis a mais que Krankl, que disputou a Copa do Mundo na Argentina pela Áustria e fez monumental temporada pelo Barcelona, anotando 36 gols em 40 jogos pelo clube na 78/79, além de três gols na Copa do Mundo de 78. Rensenbrink terminou em terceiro após sua bela Copa do Mundo, quando liderou a Holanda rumo à final da competição.

1979



1º Kevin Keegan – Hamburgo

Keegan em ação pelo Hamburgo, na temporada 1978/79.

Keegan em ação pelo Hamburgo, na temporada 1978/79.


2º Rummeninge – Bayern
3º Ruud Krol – Ajax

Voando pelo Hamburgo, Keegan garantiu o bi da premiação, após ser o responsável direto pelo título do seu time na 78/79. Foi uma vitória tranquila, com mais que o dobro de pontos que Rummenige, estrela do Bayern após as saídas de Beckenbauer e Müller. Em terceiro, terminou Ruud Krol, líder do Ajax no fim dos anos 70, time que voltou a dominar a Eredivisie com cinco títulos entre 1977-1983.

Semana que vem, o domínio alemão nos anos de 1980 e 1981, a redenção de Rossi e o primeiro título de Platini. Até lá!

Comentários

33 anos, morador do Rio de Janeiro. Rubro Negro de coração, apaixonado pelo Maracanã, tem no Barcelona o exemplo de clube para o que entende como futebol perfeito, dentro e fora do campo. Estudioso da memória do futebol, tem nessa sua área de maior atuação no site, para preservar a memória do esporte. Dedica especial atenção aos times mais alternativos, equipes que tiveram grandes feitos, mas que não são tão lembradas quanto as maiores do mundo. Curte também futebol do centro e do leste da Europa, com uma coluna semanal dedicada ao assunto. Um Doente muito antes de fazer parte desse manicômio, sua primeira memória acadêmica é uma redação sobre o Zico, na qual tirou 10 e a mesma foi para o mural da escola. Nunca trabalhou com futebol dessa forma, mas adora o que faz junto com o restante do pessoal e se pergunta o porquê de não ter começado com isso antes. Espera recuperar o ''tempo perdido''. Acha Lionel Messi o melhor que viu jogar e tem em Zico, Petkovic e Ronaldo Angelim como heróis.