Por onde anda Lenny, a eterna promessa de Xerém?

  • por Saimon
  • 8 Anos atrás

Alguns anos atrás, em 2005, pra ser mais exato, pintava no Fluminense um atacante baixinho e veloz. Criado em Xerém, onde chegou em 2003, o magrelo Lenny começava uma trajetória que parecia ter sucesso pelo mundo. Oito anos depois, desempregado e com algumas cirurgias pelo corpo, ele busca um novo clube para recomeçar sua carreira.

Início da carreira

Lenny estreou profissionalmente em outubro de 2005, na derrota do Fluminense para o Corinthians, mas foi em 2006 que o atacante começou a estourar. Logo no início do Campeonato Carioca, foram dois gols contra o Nova Iguaçu, na segunda rodada. Esse jogo rendeu muitos elogios do então técnico Ivo Wortman. Foi nesse mesmo ano que Lenny escreveu o momento mais marcante da sua carreira, na Copa do Brasil de 2006, onde marcou cinco gols. Nas quartas de final, em um Mineirão lotado, Cruzeiro x Fluminense faziam o jogo de ida. O tricolor vencia o jogo por 2×1, quando Lenny recebeu de Petkovic perto do meio campo. Pegou a bola, arrancou e passou por três defensores cruzeirenses, até mandar um chutaço no ângulo. O gol ajudou o Fluzão a se classificar, porém acabou eliminado pelo Vasco depois. Após um segundo semestre decepcionante, depois de ter marcado apenas um gol no Brasileirão, Lenny quase acabou rebaixado com o Fluminense, e viu ali sua estrela começar a apagar.

Promessa de Xerém, Lenny começava a carreira no Tricolor.

Promessa de Xerém, Lenny começava a carreira no Tricolor.

Passagem apagada em Portugal

Após amargar a reserva em boa parte do Estadual, Lenny acabou emprestado pelo Fluminense em 2007. O destino foi o Braga, de Portugal. Parecia ser o time ideal para o reencontro com o bom futebol. Cercado de brasileiros e com uma cultura parecida, empolgou durante a pré-temporada, mas decepcionou no Campeonato Português, fazendo apenas uma partida oficial.

Pelo Braga, Lenny fez apenas uma partida oficial.

Pelo Braga, Lenny fez apenas uma partida oficial.

No Palmeiras, muitas lesões e alguns gols

Começava 2008 e Lenny estava de volta ao Fluminense. Mas não jogou. Um pré-contrato entre Thiago Neves e Palmeiras não foi cumprido e o meia, na época no Paraná, acabou se transferindo para as Laranjeiras. Para evitar uma confusão maior, o Palmeiras aceitou receber os direitos federativos do jogador, ainda promessa do Tricolor. Nesse ano, foram 34 jogos pelo clube paulista; foi titular em apenas três jogos e não marcou gols. O principal momento na temporada foi na semifinal do Paulistão, contra o São Paulo. Na volta no Palestra Itália, começou o contra-ataque que decretou a classificação palmeirense à final, sendo depois campeão em cima da Ponte Preta.

Mesmo não marcando gols, Lenny foi mantido por Vanderlei Luxemburgo no elenco para 2009. Deu uma assistência contra o Santo André logo na estreia na temporada para o gol de Cleiton Xavier. Nas primeiras rodadas daquele ano, Luxa estava poupando os titulares para a pré-Libertadores, e em um jogo que ninguém dava nada, contra o Marília, no Palestra Itália, Lenny enfim desencantou e marcou seu primeiro gol com a camisa palmeirense. Era uma terça-feira chuvosa (coincidência?) e teve seu nome gritado por toda a torcida que compareceu ao estádio. Cinco dias depois e muito mais confiante, foi com o Palmeiras reserva ao Moisés Lucarelli enfrentar a Ponte. Em seu melhor jogo pelo clube, foi o autor dos três gols que deram a vitória ao Verdão.

A maré de sorte acabou e, depois de mais alguns gols, Lenny fraturou o pé em um treino. Três meses afastado, perdeu espaço no time e foi afastado do time principal por Muricy Ramalho durante a reta final do Brasileiro. Em 2010, recebeu uma nova chance do novo técnico Antonio Carlos Zago. Mas em um jogo contra o Rio Branco, uma lesão no joelho direito o afastou dos campos pelo resto do ano, voltando apenas na última rodada do Brasileirão. O time agora era comandado por Luiz Felipe Scolari.

Pelo Palmeiras, quase recomeço e muitas lesões.

Pelo Palmeiras, quase recomeço e muitas lesões.

Empréstimo sem sucesso e mais lesões

Sem espaço com Felipão, Lenny foi repassado ao Figueirense, em 2011. Teve mais uma lesão logo na sua chegada e ficou fora de combate por cinco meses. Perdeu todo o Campeonato Catarinense, só estreando na primeira rodada do Brasileiro, contra o Cruzeiro. Foram oito minutos em campo. E encerrou a passagem por ali. Nova lesão e dispensa antes do fim da temporada. Após a polêmica saída, o atacante detonou o clube catarinense, reclamando da aceleração da sua recuperação e da falta de estrutura do clube.

Pelo Figueirense, oito  minutos em campo e muita reclamação.

Pelo Figueirense, oito minutos em campo e muita reclamação.

Recomeço no Rio de Janeiro e volta ao Palmeiras

Mais um recomeço marcou sua carreira, agora em 2012. O jogador foi seduzido pelo projeto do Boavista e aceitou defender a equipe no Campeonato Carioca. Foram apenas alguns jogos, sempre entrando no segundo tempo. O único gol foi em cima do Botafogo, e acabou sendo um dos momentos mais marcantes da carreira, segundo o próprio jogador. Ao fim do estadual e sem calendário para o resto do ano, Lenny passou a temporada treinando na academia de futebol do Palmeiras, mas sem compromisso contratual com o clube.

De volta ao Rio, um gol em cima do Botafogo.

De volta ao Rio, um gol em cima do Botafogo.

Passagem misteriosa pelo Japão

Nos primeiros dias de 2013, após deixar a academia do Verdão, Lenny foi anunciado como novo reforço do Ventforet Kofu, da primeira divisão japonesa. Treinando no clube durante todo o mês de fevereiro, acabou se machucando dois dias antes da estreia contra o Vegalta Sendai. Irritado com o comportamento do atleta, os japoneses encerraram o contrato com apenas um mês de duração.

Lenny apareceu no site oficial do Ventforet, mas não jogou.

Lenny apareceu no site oficial do Ventforet, mas não jogou.

Desde o início do mês, Lenny faz treinamentos diários em busca de um novo clube para alavancar a carreira. Preso ao Desportivo Brasil, propostas da Série B chegaram, mas ele quer primeiro estar 100% para depois pensar em assinar com algum clube. O menino, com a fama de ser “criado pela avó”, brinca e conta que tem o apoio da mesma para retomar a carreira que um dia pareceu ser de muito sucesso.

Ficha técnica:

Nome: Lenny Fernandes Coelho
Data de Nascimento: 23/03/1988
Local de Nascimento: Rio de Janeiro
Clubes: Fluminense, Braga-POR, Palmeiras, Figueirense, Boavista e Ventforet Kofu-JAP

Comentários

Palmeirense, 23 anos. Acompanha futebol em qualquer canto. Fã da ótima geração belga.