Um escudo fenomenal

A brilhante charge é do pernambucano Luiz Freire.

A brilhante charge é do pernambucano Luiz Freire.

Fora da televisão, a sociedade civil vem sendo tomada por um sentimento de repulsa às práticas e à trajetória de José Maria Marin, o homem responsável em última instância pelo futebol, nossa paixão nacional e inalienável patrimônio.

Movimentos sociais, sites independentes e blogs vêm expondo críticas e recuperando o passado deste senhor que é um dos grandes expoentes vivos do período mais negro da nossa história.

No entanto, parte considerável da grande mídia insiste em blindar e dar legitimidade a essa gestão que transformou nosso futebol e nossa seleção em produtos, vendidos com ‘z’ pelo exterior. Toda essa proteção não é à toa: serve para dar “tranquilidade” – nas palavras de Marin, em memorável ocasião – aos muitos negócios selados entre ambas as partes.

A partir deste ano, essa parte da imprensa contará com um reforço de peso – com a perdão do trocadilho. Ronaldo será comentarista esportivo de um desses grandes conglomerados durante os eventos que ocorrerão no país.

Digamos que, desde o ano passado, ele já joga nesse time: é membro do Comitê Organizador da Copa. Além disso, já é agente de alguns dos principais talentos da Seleção.

Será que o Fenômeno está mesmo em posição isenta para comentar as partidas?

Quais serão suas palavras após o fracasso que, hoje, parece inevitável?

Enquanto Ronaldo estampa as manchetes, a CBF segue trabalhando nas sombras.

(Pedro Galindo)

Os Doentes estão nessa trincheira, lutando pelo futebol brasileiro.

Se você ainda não teve oportunidade, leia o nosso Dossiê Marin.

Comentários

Jornalista recifense, sócio-diretor do Doentes por Futebol, editor da Revista Febre. Curioso observador de tudo o que cerca o futebol brasileiro e internacional.