Alex Pirulito – Adoçando a vida dos adversários

  • por Fernando Carreteiro
  • 6 Anos atrás

ALEX PIRULITO

Alex Silva é um zagueiro com grife. Graças ao sucesso do time do São Paulo, foi alavancado a um status de grande zagueiro. Mas não existe justificativa para que continuem acreditando nisso. Já se vão mais de quatro anos que o espichado defensor não joga um futebol decente. Mais precisamente, desde sua ida para o Hamburgo, da Alemanha, em 2008. Alex parece ser um daqueles jogadores que funcionam, ou funcionaram, por causa de um esquema específico. No esquema de três zagueiros do São Paulo, saiu-se bem. Nos demais esquemas existentes no futebol, foi horrível. Principalmente no 4-4-2, o mais utilizado em terras tupiniquins.

2011

Os números ajudam a avaliar o péssimo desempenho do jogador nos últimos anos. Alex Silva estreou no Flamengo em agosto de 2011. O time era um dos líderes do campeonato e acabou sendo derrotado em casa pelo Atlético-GO, em acachapante goleada de 4-1. Zebra? Não para um time com Pirulito na zaga. O Flamengo seguiu numa sequência sem vitórias até meados de setembro. No retrospecto geral de Alex Silva no Brasileirão em 2011, foram dezessete jogos e apenas seis vitórias.

2012

Devido ao alto salário, em torno de R$300 mil mensais, e ao baixo desempenho, Alex foi emprestado ao Cruzeiro em 2012. Fez três jogos pelo time mineiro. Perdeu os dois pela Copa do Brasil frente ao Atlético-PR e empatou em casa com o Atlético-GO pelo Brasileirão. Para sorte do Cruzeiro, Alex se contundiu e não jogou mais no ano.

Veja como Alex Silva falha feio nos dois gols do Atlético-PR:

2013

De volta ao Flamengo após ser rejeitado em Minas, Alex chegou em um cenário atípico no clube da Gávea nos últimos anos. A defesa do Flamengo era a parte mais eficiente do time. O chileno Gonzáles ao lado de Renato Santos vinham de excelente desempenho no Brasileirão, ajudados pelo novato Frauches em certas ocasiões. Ainda chegou do Corinthians o zagueiro Wallace, que em teoria também estaria a frente do ex-defensor são paulino em busca de uma vaga na zaga. E realmente estava. Após um bom começo de ano, o Flamengo tomou dois gols no clássico contra o Vasco, além de ter perdido quase todas jogadas aéreas na área rubro-negra. O então técnico rubro-negro resolveu então colocar Wallace no lugar de Renato Santos, reforçando o jogo aéreo da defesa. Até a semifinal da Taça Guanabara, a nova dupla correspondeu, e não tomou nenhum gol na competição. Eis que no segundo clássico contra o Botafogo, uma falha com menos de dois minutos de jogo derruba a invencibilidade do novo miolo de zaga. Ao final do jogo, nos acréscimos, o Botafogo ainda faria um segundo gol, porém nem o goleiro Felipe se encontrava no campo defensivo. Culpa zero da defesa.

Apesar dos pesares, Dorival Júnior viu a necessidade de alterar a dupla de zaga novamente. E quem surge como novo titular do Flamengo? Renato Santos novamente? Frauches que vinha evoluindo a cada oportunidade? Não. O experiente Alex Silva estava de volta. Ele já tinha entrado em um jogo do primeiro turno. Partida dominada pelo Flamengo e o zagueiro cometeu faltas, errou lances fáceis e ainda tomou um cartão amarelo. Mas para o treinador da equipe isso não fazia diferença. A grife falou mais alto e Pirulito pôde comandar mais um show de horrores. Na sua volta à titularidade, falhou nos três gols da virada humilhante sofrida pelo Flamengo frente ao Resende.

Cai o treinador Dorival Júnior e toma posse Jorginho. Tudo indicava que o novo técnico do time não cometeria o erro do anterior em apostar no zagueiro de pior rendimento do elenco. Mais um engano. Depois de uma partida sem nenhum fato registrável contra o Boavista (empate sem gols), Pirulito não só continuou como titular como ainda ganhou a faixa de capitão. Era jogo contra o Bangu. Logo aos dois minutos de jogo, o capitão dá as caras, se posiciona mal e vê o adversário abrir o marcador. Entre uma e outra lambança na defesa, Alex ainda teve tempo de ir ao ataque e protagonizar lances bisonhos como um voleio que a bola seguiu na direção contrária ao gol. Grande zagueiro! Muitas críticas e muitas vaias da torcida, apesar da vitória de virada do Flamengo no jogo.

Vem o quarto jogo na Taça Rio e o treinador Jorginho resolve insistir com o zagueiro. “Alex Silva foi muito macho”, disse o técnico sobre a postura perante vaias no jogo anterior. A conclusão disto tudo não poderia ser outra. Derrota para o minúsculo Audax, falhas recorrentes na defesa e muitas vaias para o zagueiro de quase dois metros de altura.

Em resumo, em 2013, o Flamengo sem Alex Silva tomou cinco gols em nove jogos, média de 0,55 gols por jogo, e ganhou oito das nove partidas disputadas, 88% de aproveitamento. Considerando apenas jogos contra pequenos, o clube da Gávea tomou apenas um gol em seis jogos e teve 100% de aproveitamento. Com Pirulito de titular, o Flamengo tomou seis gols em quatro jogos, média de 1,5 gols por jogo. Somou apenas quatro pontos em doze possíveis, 25% de aproveitamento.

Como pode ser visto, a presença de Alex em campo é um alento aos adversários. A tal grife conquistada há quase cinco anos vai garantindo emprego em bons clubes, boa vontade dos treinadores e desespero nos torcedores.

Alex Silva é sem dúvidas um Welinton com grife!

Comentários