É futebol ou sumô? A antítese dos boleiros gordinhos

  • por joao_vitor
  • 8 Anos atrás

Ainda no final de 2012, Ronaldo participou de mais uma edição do “Medida Certa”, do Fantástico. O quadro é feito com pessoas acima do peso e consiste em desafiar o protagonista a criar hábitos saudáveis, promovendo assim o emagrecimento. Apesar de ter sido um atleta de alto rendimento desde a adolescência, o Fenômeno passou por sérios problemas de peso ao longo da carreira. Segundo Ronaldo, um distúrbio na tireoide (estrutura responsável pelos hormônios que regulam a taxa do metabolismo) foi seu calcanhar de Aquiles na luta pela boa forma enquanto jogador. Depois que pendurou as chuteiras, a coisa desandou de vez.

Foto: Reprodução Internet - Ronaldo exibe uma senhora barriga nos tempo de Corinthians.

Foto: Reprodução Internet – Ronaldo exibe uma senhora barriga nos tempos de Corinthians.

Para os mais leigos, fica difícil compreender como que um atleta que treina diariamente, tem todo o acompanhamento de profissionais da área física e nutricional, pode ter tantas dificuldades para entrar em forma. Porém isso é mais comum do que imaginamos.

Assim como o Fenômeno, muitos jogadores vivem às turras com a balança. Adriano, que, por muito tempo, foi considerado o sucessor de Ronaldo na seleção, é um que vive exibindo tecido adiposo em abundância. No caso do Imperador, uma vida desregrada o levou a um estado de decadência física assustador. Nos últimos 34 meses, o atacante entrou em campo apenas 16 vezes, passando por três clubes diferentes. Nesse período, mesmo com contrato por Corinthians e, em seguida, Flamengo, Adriano foi visto com freqüência na “night”, usufruindo de tudo o que a vida boêmia disponibiliza. Como conseqüência, perdeu diversos treinos e sessões de fisioterapia. O ganho exagerado de peso foi questão de tempo. Atualmente, Adriano está sem clube e fadado a um melancólico final de carreira.

Foto: Xande Nolasco - Adriano degusta um suculento "podrão". Registro foi feito na madrugada carioca.

Foto: Xande Nolasco – Adriano degusta um suculento “podrão”. Registro foi feito na madrugada carioca.

Muitas são as justificativas que os jogadores dão para a péssima forma física, e algumas são bem polêmicas. Daniel Carvalho, atualmente no Criciúma, alegou que tomou anabolizantes no período em que atuou pelo CSKA, e que, por isso, passou a ter dificuldades para entrar em forma. Mesmo estando longe do futebol russo há mais de três anos, o meia ainda exibe um “shape” fora dos padrões de um atleta profissional. E não para por aí. Em uma de suas últimas entrevistas, logo após ser apresentado no time catarinense, Daniel Carvalho afirmou que já foi viciado em refrigerante, chegando a tomar de seis a oito litros de Coca-Cola por dia. Com um passado repleto de “gordices”, fica difícil acreditar em um Daniel Carvalho mais fininho.

Foto: Fernando Ribeiro - Daniel Carvalho é apresentado no Criciúma. O jogador garante que largou o vício por refrigerante.

Foto: Fernando Ribeiro – Daniel Carvalho é apresentado no Criciúma. O jogador garante que largou o vício por refrigerante.

Quem também começou o ano de 2013 exalando quilos a mais foi o atacante André. O jogador santista voltou das férias bem longe da forma adequada e não conseguiu recuperar o bom condicionamento físico ao longo da pré-temporada. Muricy Ramalho inclusive já reclamou publicamente do jogador. As férias, aliás, costumam ser o grande terror dos boleiros na questão do excesso de peso. Em um período em que eventos, churrascos e festas de fim de ano tomam conta da rotina dos jogadores, as atividades físicas tornam-se cada vez mais remotas. No máximo, as famosas peladas comemorativas, sempre disputadas num ritmo moderado. Muito pouco para compensar o alto consumo calórico que ocorre nessa época do ano. E, em janeiro, os preparadores físicos que se virem.

Nem sempre estar fora dos padrões é sinônimo de desleixo ou significa má fase. Existem jogadores que, desde o começo da carreira, carregam o fardo do sobrepeso. Questão de genética. Cabañas é um exemplo. O paraguaio sempre ostentou uma barriguinha saliente, mas, nem por isso, deixou de atuar em alto nível e com regularidade. Cabañas chegou a ser titular da seleção paraguaia, até ter a carreira interrompida por um tiro na cabeça, em um suposto assalto na Cidade do México. O atacante ganhou fama no Brasil após marcar três gols no Flamengo e eliminar o time brasileiro em pleno Maracanã, atuando pelo América do México, em jogo válido pela Taça Libertadores de 2008. Um momento épico na carreira do consagrado jogador. Dando conta do recado tanto pela seleção quanto pelo seu clube, o rechonchudo atacante mostrou que os gordinhos também têm vez.

A verdade é que Cabañas é uma exceção à regra. Como todo atleta, o jogador de futebol vive do seu corpo. É primordial que exista um mínimo de cuidado com sua ferramenta de trabalho. Alimentação adequada, treinamento intenso e uma boa noite de sono são fundamentais para um corpo estar apto à prática do futebol profissional. A partir do momento que o atleta não cuida do seu corpo, a tendência é que o rendimento caia consideravelmente. Só talento não basta, tem que ter um pouco de entrega, disciplina. O futebol vive mostrando isso, mas nem todo mundo aprende. Enquanto isso, a carreira de muito candidato a craque acaba em pizza, literalmente.

Comentários