Estatísticas, curiosidades e fatos marcantes dos grupos da Libertadores

  • por Mauricio Fernando
  • 7 Anos atrás

Continuando o balanço de tudo o que aconteceu na fase de grupos da Taça Libertadores da América 2013, a Doentes por Futebol apresenta agora algumas estatísticas, curiosidades e fatos marcantes desta edição da competição mais importante das Américas.

Veja primeiro alguns dados estatísticos interessantes:

Foto: Zero Hora.  Braian Rodríguez foi o artilheiro da fase de grupos.

Foto: Zero Hora.  Braian Rodríguez foi o artilheiro da fase de grupos.

– Tivemos 256 gols em 96 jogos, média de 2,66 gols por jogo;
– O artilheiro foi Braian Rodríguez, do Huachipato, com 5 gols;
– Melhores ataques: Olímpia e Atlético Mineiro, com 16 gols;
– Pior ataque: Millonarios, com 2 gols;
– Melhor defesa: Corinthians, com 2 gols sofridos;
– Pior defesa: Deportivo Lara, com 16 gols sofridos;
– Time com mais jogos sem sofrer gols: Corinthians e Tijuana-MEX: 4 jogos;
– Único invicto: Independente Santa Fé-COL (4 vitórias e 2 empates);
– Único que não venceu: Cerro Porteño (1 empate e 5 derrotas);
– Maior goleada: Real Garcilaso-PER 5×1 Cerro Porteño-PAR;
– Jogo com maior número de gols: Libertad-PAR 3×5 Tigre-ARG

Curiosidades

Foto: Conmebol.   A LaU de Dario Franco é o retrato do mau momento do futebol chileno.

Foto: Conmebol.    A LaU de Dario Franco é o retrato do mau momento do futebol chileno.

– Tivemos 6 brasileiros avançando para as oitavas de final. Recorde absoluto de times de um mesmo país se classificando para essa fase;
– Palmeiras e Emelec não marcaram nenhum gol fora de casa. Os brasileiros perderam as três partidas, enquanto o Emelec empatou sem gols diante do Velez. Ambos venceram os três jogos em casa e se classificaram;
– Pelo grupo 3, o único time que não marcou gol em algum dos jogos foi curiosamente o Atlético Mineiro, na derrota por diante do São Paulo (2×0).
– Peruanos de volta às oitavas. O país não tinha um representante nessa fase desde 2010.
– Sem chilenos nas oitavas, fato que não acontecia desde 2008.

Fatos marcantes

Essa Libertadores ainda ficou marcada por alguns fatos lamentáveis extra-campo. Vejamos os principais.

Quatro torcedores em Corinthians x Millonarios

Foto: UOL Esporte.   Quatro torcedores em Corinthians x Millonarios

Não há como esquecer a Tragédia de Oruro, triste episódio ocorrido durante San José x Corinthians, partida válida pela 1ª rodada do grupo 5. Um sinalizador disparado pela torcida corintiana vitimou o jovem boliviano Kevin Espada, de 14 anos. Em decorrência da morte, 12 corintianos suspeitos foram presos e posteriormente indiciados pelo crime. Um menor assumiu a autoria à justiça brasileiras, mas os torcedores seguem presos na Bolívia no aguardo de resultados das investigações da justiça local.

A Conmebol enfim tomou uma atitude e puniu preventivamente o Corinthians, que teria de jogar sem torcida nos jogos em casa, não podendo também ter torcedores nos jogos fora. A punição, no entanto, acabou valendo apenas para um jogo – e ainda sim, quatro torcedores viram o jogo no estádio, atraves de liminares prolatadas pela justiça comum – pois a entidade máxima do futebol sul-americano amoleceu e na decisão final acabou permitindo novamente que a fiel torcida prestigiasse a equipe nos jogos em casa. Outra trapalhada da Conmebol no caso foi a ausência de punição para o clube mandante, o San José, que não deveria estar isento de responsabilidade no caso.

Na semana seguinte, em jogo válido pela 3ª rodada do grupo 4, torcedores de Velez e Peñarol se degladiaram em Montevidéu e, como punição, o jogo realizado entre as duas equipes pela rodada seguinte em Buenos Aires foi realizado com portões fechados. Além disso, o clube argentino foi punido em US$ 100 mil e o uruguaio em US$ 14 mil.

Tivemos ainda batalhas campais pós-partidas no Independência, em Belo Horizonte, e no CAP, em Talcahuano no Chile. A primeira, mais grave, envolveu jogadores do Arsenal-ARG que, após a derrota por 5×2 para o Atlético Mineiro, foram questionar o juiz, que foi protegido pela polícia. Os policiais acabaram entrando em confronto com os atletas do clube argentino. No fim, quatro jogadores ficaram detidos por algumas horas e, posteriormente, indiciados pelo ocorrido. A segunda confusão ocorreu após o empate entre Huachipato e Grêmio em 1×1, resultado que eliminou os chilenos, donos da casa, e classificou os brasileiros. O que se viu foi a comissão técnica chilena enfurecida e partindo pra cima do treinador gremista Vanderlei Luxemburgo. Na sequência, a briga envolveu também os jogadores e a polícia teve de intervir, sendo que desta vez, a intervenção foi feita de maneira correta, com proteção, especialmente aos jogadores do Grêmio, que tiveram de entrar nos vestiários.

Fecharemos esta análise especial da fase de grupos com os destaques individuais e a seleção da competição. Aguarde!

Comentários

21 anos, morador de Maringá-PR. Corintiano de coração, aprendi ainda a ser Liverpool, na Europa. Como Doente por Futebol, acompanho diariamente jogos, jogadores e tudo o que acontece acerca deste apaixonante esporte. Minha função por aqui será de analisar e informar tudo o que rola na América do Sul e no México. Responsável ainda pelas colunas "Craque DPF" e "Futebol na Mídia".