Santos 5×2 Fluminense em 95

  • por Bráulio Silva
  • 7 Anos atrás

cl1 O jogo era válido pelas semifinais do Campeonato Brasileiro de 95. O formato da competição era bem diferente, parecido com o campeonato carioca atual, com dois grupos de doze times. No primeiro turno, os times se enfrentavam dentro do grupo e, no segundo turno, jogavam contra os adversários do outro grupo. Os quatro times campeões de grupo faziam as semi-finais.

Pelo grupo A, classificaram-se Cruzeiro (campeão no 1º turno) e Botafogo (campeão no 2º turno). Pelo grupo B, os times que avançaram foram Fluminense (campeão no 1º turno) e Santos (campeão no 2º turno).

O Botafogo, que se sagrou campeão (veja o relato da final no Jogos Clássicos – http://www.doentesporfutebol.com.br/2012/10/12/classicos-dpf-botafogo-campeao-95/), eliminou o Cruzeiro com dois empates. E o Fluminense colocou o pé na final ao vencer o Santos no Maracanã por 4×1.

Para reverter a vantagem, o Santos precisava vencer por difíceis três gols de diferença. Mas o clima naquele domingo estava diferente, estava no ar a sensação de que o improvável poderia acontecer. O Flu vinha com toda a pompa da conquista do estadual naquele gol inesquecível de Renato em pleno centenário flamenguista. O Santos amargava uma fila que, na época, já durava 11 anos. Pela manhã, Renato Gaúcho foi entrevistado pelo radialista Milton Neves e disse que era impossível o Santos conseguir reverter a vantagem e que, se isso ocorresse, ele desfilaria pelado na Avenida Paulista.


O presidente Samir Abdul Hak havia apostado num time sem estrelas. Com o slogan “Santos pés no chão”, a equipe era formada por jogadores da base ou que estavam encostados em outras equipes. Jamelli e Macedo, que se destacaram na campanha, vieram do São Paulo. Giovanni era do Remo. Esses e outros jogadores chegaram à Vila Belmiro sem badalação.

O Santos do técnico Cabralzinho tinha os desfalques de Robert e Jamelli, que naquele jogo foram substituídos por Marcelo Passos e Macedo, mas, desde o início, partiu pra cima. Com três atacantes e um Giovanni inspirado, o alvinegro levava perigo ao gol de Wellerson. A primeira grande chance foi dos santistas, com Marcelo Passos arriscando de fora da área. Aos 20 do primeiro tempo, o Flu quase abriu o placar. Vampeta lançou Renato que saiu na cara de Edinho. O atacante dos cariocas demorou pra finalizar e foi travado na hora H.


O Santos marcou no lance seguinte. Camanducaia invadiu a área e sofreu pênalti, convertido por Giovanni. O lance incendiou o Pacaembu. Aos 30′, um golaço. Carlinhos avançou e serviu Giovanni, que se livrou do zagueiro Alê, e fuzilou, sem chances para o goleiro do Flu. Naquele momento, o 2×0 era extremamente perigoso para o Fluminense.

O Flu voltou a atacar e criou boa chance com Valdeir, que foi parado pelo goleiro Edinho. O Santos tornou a pressionar. Aos 36′, Giovanni escorou falta cobrada por Carlinhos e a bola explodiu no travessão. Aos 40′, a última chance santista na primeira etapa: Marquinho Capixaba cobrou falta e a bola passou muito perto.

No intervalo de jogo, enquanto os jogadores do Fluminense foram para os vestiários, os santistas ficaram em campo, a pedido do técnico Cabralzinho. O Pacaembu ferveu. A torcida santista cantou durante os 15 minutos e o estádio virou um caldeirão.


Na volta para o jogo, o Santos continuou em cima, precisando de apenas mais um gol para garantir a vaga na final. E esse gol surgiu logo aos 5 minutos. Giovanni, sempre ele, deu um passe para Macedo que dominou e chutou de esquerda para fazer o terceiro. Mal deu tempo para os paulistas comemorarem e, na saída de bola, o Flu teve uma falta a seu favor. Após um bate rebate, com direito a uma bola na trave, Rogerinho cabeceou no canto e devolveu a vantagem ao tricolor carioca.

O Santos sentiu o golpe ao ver que o Flu ainda estava vivo. Apesar disso, aos 17 minutos, Marquinhos Capixaba lançou Giovanni que aproveitou outra falha do zagueiro Alê e tocou para o meio da área, onde Camanducaia apenas empurrou para as redes e marcou o quarto gol santista.


A falha no lance decretou a saída do zagueiro do Flu, substituído pelo atacante Gaúcho, da mesma forma que o Santos se fechava trocando Camanducaia por Batista. O jogo voltou a ficar morno. Os jogadores do Fluminense não acreditavam no que estava acontecendo e os santistas não queriam perder a vantagem novamente. Aos 37, Renato perdeu uma bola e ela parou com Giovanni, que ficou cercado por três marcadores. A saída foi genial: um passe de calcanhar que encontrou Marcelo Passos livre de marcação. O meia santista avançou e, da entrada da área, bateu com enorme categoria para fazer o quinto gol.

Na saída de bola, novamente o Flu chegou ao gol. Otacílio cruzou e a zaga santista afastou mal. A bola sobrou para Rogerinho que, de esquerda, anotou seu segundo gol na partida. Gols que não foram suficientes para segurar o Santos, que com os 5×2, carimbou vaga para a final da competição.

Comentários

Paulistano, casado e com 33 anos. Apaixonado por futebol e pelo São Paulo FC. De memória privilegiada, adora relatar e debater fatos futebolísticos de outrora. Ex-estudante de jornalismo, hoje gerencia uma drogaria no município de Barueri, além de escrever para a Doentes por Futebol.