Monstrolivo

  • por Tiago Lima Domingos
  • 8 Anos atrás

monstrolivo

No mundo do futebol, variados são os casos de jogadores que prometiam muito quando garotos e não conseguiram cumprir a expectativa criada. Há também casos de jogadores que só atingiram a maturidade profissional quando se aproximaram da casa dos 30 anos de idade. Nesse segundo caso, enquadra-se o personagem de hoje: Riccardo Montolivo. Visto desde os tempos de Atalanta como um meio campo promissor, nunca se firmou como o jogador que esperavam, mas após as passagens pelo time de Bérgamo e Fiorentina, é em um grande clube que Montolivo começa a se demonstrar o jogador que muitos esperavam.

A passagem ao Milan

monto viola

Foto: Reprodução – Na Fiorentina, foram sete temporadas. Foi capitão do clube e ídolo da torcida

Riccardo Montolivo jogou por sete temporadas na Fiorentina. Lá se tornou capitão e ídolo da torcida. Resolveu deixar o clube no final de seu contrato, em junho de 2012, alegando querer jogar em um clube de maior dimensão e qualidade técnica. Aparecia então o Milan em seu caminho: era a oportunidade que precisava para mostrar dentro de campo as ambições de suas palavras. Em maio de 2012, o Milan anunciava acerto com o jogador. Não tardou para dar o recado aos torcedores rossoneros. Antes mesmo de estrear no novo clube, Montolivo deu seu cartão de visitas na Eurocopa de 2012. Atuando como trequartista, o atleta, que pode jogar em qualquer posição do meio campo, revelou-se um novo jogador. Essa nova versão de Montolivo tem sido vista também na temporada atual pelo Milan.

Temporada 2012-2013 – Afirmação, maturidade e liderança

No Milan, Montolivo deu sequência à boa Eurocopa com a Itália e foi se transformando em um novo jogador: maduro, de personalidade e líder de um clube renovado. Faz temporada excelente, o melhor jogador do clube junto a El Shaarawy. A desconfiança foi deixada pra trás e, guardadas as devidas proporções, fez o torcedor do clube esquecer Pirlo e van Bommel, que dominaram o meio campo do Milan recentemente. Inimaginável escalar o meio campo sem ele. É por Montolivo que o jogo flui, é pelo jogador que nascem a maioria das jogadas, seja como um regista, seja fazendo o lado direito da linha de três meio-campistas do 4-3-3 de Allegri.

Milan - Juventus

Foto: Gazzetta dello Sport – O capitano Montolivo. Líder e maduro, faz a melhor temporada da carreira.

Tal maturidade pode ser vista em grandes jogos do Milan na atual época. Destaco em particular quatro grandes clássicos: a derrota de 1×0 no primeiro derby de Milão do jogador, a vitória sobre a Juventus no Calcio, os 2×0 sobre o Barcelona nas oitavas da Champions, e a mais recente de todas, a que colocou um ponto final sobre quaisquer dúvidas que poderiam pairar sobre o jogador. Montolivo voltava a Florença para enfrentar o ex-clube. Antes da partida, declarou que encarar as vaias da torcida da Fiorentina e fazer um bom jogo eram os últimos desafios para se tornar um grande líder. Vaiado do início ao fim da partida, Montolivo deixou o campo do Artemio Francchi com um gol e uma assistência. Melhor em campo no decisivo teste da sua melhor temporada da carreira. Não há mais dúvidas. Florença viu aquele jogador que não pôde ver com regularidade no clube local. O verdadeiro Riccardo Montolivo, grande promessa de Caravaggio, só madurou aos 27/28 anos de idade. Sorte do Milan, que agora colhe os frutos da aposta bem sucedida: Montolivo já é capitão do novo Milan (quando Ambrosini não está em campo), e o time não perde no Calcio desde 22 de dezembro. Um dos fatores da arrancada rossonera está na presença desse líder que o grupo necessitava. Não falta mais.

Comentários

Carioca e rubro-negro. Do Rio de Janeiro a Milão. Doente por futebol, é claro. E apaixonado pelo Calcio.