O Botafogo e a síndrome da Copa do Brasil

  • por Lucas_Imbro
  • 7 Anos atrás

Foto: arte DPF

O que não falta é fracasso para resumir a ligação histórica que o Botafogo possui com a Copa do Brasil. Em 24 anos de torneio, o time carioca jamais foi campeão. Chegou bem perto disso, em 1999. Precisava de um mísero gol contra o Juventude, num Maracanã abarrotado de alvinegros. O jogo acabou empatado sem gols e, segundo os botafoguenses, foi aí que começou o drama do clube na competição.

De fato, desde então, o Botafogo coleciona decepções nas mais diferentes edições da copa. Em 2013, porém, tudo parece mudado. Com a equipe em alta e a torcida confiante, as coisas parecem ser direcionar para outro rumo. Um rumo para apagar as mágoas do passado e exorcizar qualquer tipo de fantasma.

Podendo conquistar o Campeonato Carioca de forma antecipada, o Botafogo de Seedorf e Lodeiro começa a Copa do Brasil deste ano sonhando alto. Mas o primeiro baque veio logo na última quarta-feira. Contra o Sobradinho, do Distrito Federal, a equipe comandada por Oswaldo de Oliveira não saiu do zero a zero. Mais uma decepção do torneio que mais assombra o clube. “É um torneio dificílimo, temos de ter muita atenção”, sintetizou o técnico.

Há três anos que o time não estreia vencendo na competição. Em 2010, 0 a 1 contra o São Raimundo-PA, em 2011, 0 a 1 contra o River Plate-SE, e 1 a 1 com o Treze-PB, em 2012. O adversário diz pouco. Afinal, desde 2004, o time só foi eliminado uma vez por um clube considerado grande no Brasil, no caso, para o Corinthians, em 2008. Nas outras vezes, saiu para Gama, Paulista, Ipatinga, Figueirense, Americano, Santa Cruz.

A torcida tem, de fato, uma relação especial com o torneio. Muitos acreditam haver uma espécie de destino. É o caso do estudante de medicina Kauan Reguengo: “Botafogo e Copa do Brasil e quase uma história de amor platônico. Um dia a gente chega lá.”

Assim como Kauan, o estudante de engenharia William Barboza também estava presente no Maracanã, naquele fatídico 27 de junho de 1999. “Nunca chorei na vida como chorei naquele dia. Nem por mulher”. Dá pra se ter noção do tamanho da perda, do trauma. Nos anos seguintes, ele conta que a cada eliminação, um drama maior.

Neste ano, a atmosfera é diferente, garantem os próprios botafoguenses. O time vem jogando bem, vem vencendo, conta com jogadores super vencedores no elenco, como Seedorf, por exemplo, entre outros diversos fatores que levam a crer que, enfim, chegou a vez do Botafogo perder a virgindade na Copa do Brasil. Quem sabe agora vai…

Comentários