O futuro de David Luiz

  • por Rafael de Melo Andrade
  • 7 Anos atrás
David Luiz

No Chelsea, ele alterna excelentes e péssimas atuações

Revelado pelo Vitória na Série C de 2006, David Luiz encheu os olhos da torcida rubro-negra. Mesmo numa competição de nível técnico tão baixo, muitos logo viram que havia ali um futuro “World Class”. Com técnica de camisa 10, excelente desarme e tempo de bola e físico invejáveis, estar entre os melhores do mundo parecia apenas questão de tempo. Mais de 6 anos depois e uma passagem pelo Benfica que o fez ídolo dos Águias, hoje é titular do Chelsea e da seleção brasileira, o que mostra que os que viram um futuro brilhante no garoto estavam certos. Porém, ele ainda não é de fato um World Class. As não raras falhas mostram que ainda há uma grande distância entre ele e os melhores do mundo. O que faltaria para esse zagueiro que parece possuir todos os atributos que um defensor precisa?

Parece paradoxal, mas talvez o maior problema de David Luiz seja exatamente o excesso de qualidade. Ciente de que tem muita técnica para contribuir no ataque e com físico de sobra pra subir e voltar várias vezes durante o jogo, ele acaba por vezes fazendo isso mais do que o necessário, deixando sua defesa desguarnecida. Além disso, sua personalidade extrovertida tem um lado também agressivo, que o faz distribuir pontapés em situações adversas. Esse “parafuso a menos” do brasileiro já prejudicou os Blues uma série de vezes, e faz com que parte da torcida já não veja com maus olhos uma possível venda do jogador.

Porém, quando se olha as estatísticas e alguns dos jogos mais importantes do clube desde sua chegada, nota-se como ele pode ser fundamental para a defesa. Em geral, tende a jogar mais tranquilo e sério em jogos de grande importância e/ou quando faz dupla com John Terry. Ao lado de um zagueiro mais experiente e de mais nome para orientá-lo, suas subidas são mais raras e a defesa fica mais segura. Na final da UCL passada, contra o Bayern, foi um dos melhores em campo fazendo dupla com Cahill. Talvez o peso do jogo tenha feito o papel do capitão para mostrá-lo que pode contribuir mais para a equipe ficando apenas na defesa. Esteve presente em todos os 11 clean sheets da equipe na Premier League (9 como zagueiro, 2 como volante) na atual temporada, deixando claro que mesmo que ele falhe algumas vezes, sua saída passa longe de ser a solução para os problemas defensivos do time.

Uma alternativa que Rafa Benítez vem utilizando é David Luiz no meio-campo. Jogando como volante, ele pode usar todas as suas qualidades defensivas e ainda sair mais para o jogo como tanto gosta, e tem potencial pra isso. Em geral, as experiências têm sido excelentes. O jogador participa ativamente do jogo, colaborando na criação e dando mais solidez defensiva do que quando joga, por exemplo, com Lampard e Ramires na frente da zaga. Entretanto, mesmo com mais liberdade, em algumas vezes ainda exagera no ataque. Se como zagueiro às vezes ele quer subir tanto quanto um volante, como volante por vezes ataca tanto quanto um meia, deixando a defesa menos protegida do que quando joga, por exemplo, com Obi Mikel, 1º volante de origem. Também faltou essa experiência ser testada contra times de primeiro escalão.

Costumava falhar menos na seleção que no Chelsea. Talvez seguindo a tese apresentada no 3º parágrafo, Thiago Silva poderia fazer o papel de Terry como zagueiro de mais nome a orientá-lo. Porém, nesses 2 últimos amistosos, teve atuação desastrosa contra a Itália e também foi mal contra a Rússia. Enquanto isso, Dante faz temporada excelente no Bayern e, apesar da falha no gol de Balotelli, correspondeu nas primeiras oportunidades com a amarelinha. Sendo Thiago Silva incontestável e tendo Miranda também em melhor fase, parece justo que David perca espaço na zaga. Enquanto isso, o meio-campo brasileiro sente a falta de um volante mais marcador. Lucas Leiva, Rômulo, Sandro e agora Fernando foram testados na função, mas nenhum agradou. Felipe Melo está queimado desde a eliminação em 2010; Luis Gustavo teve poucas chances, mas não parece ser um jogador muito querido por Felipão. Pode estar aí a oportunidade para David Luiz resolver o problema da zaga e do meio-campo de uma só vez, como um jogador World Class.

david luiz 2

Na seleção, ele parece titular indiscutível para Felipão



O fato é que David Luiz, como zagueiro ou volante, no Chelsea ou na seleção brasileira, tem muita qualidade, tanto física como técnica. Resta saber se vai ter a disciplina necessária para usar esse diferencial em prol das suas equipes ou se vai ser um defensor no meio daquela repleta galeria de meias e atacantes cheios de talento.

Comentários

Paulista, apaixonado pelo Galo, viciado em estatísticas e Doente por futebol. Acredita que Copa do Mundo dá sentido à vida. Marques e Ronaldinho são seus ídolos no futebol.