Resumo da 1ª semana das Oitavas de final da Libertadores

  • por Mauricio Fernando
  • 8 Anos atrás

Assim como fizemos na fase de grupos, seguimos com o resumo semanal com o que de melhor aconteceu na semana da Libertadores, agora nas oitavas de final.

Dois jogos abriram a fase, com um gol cada jogo. Uma vitória de visitante e outra de mandante. Muito estudo, cautela e pouca ofensividade, mas com a promessa de melhores jogos vindo por aí, especialmente na semana que vem, com as estreias dos times brasileiros nos mata-matas decisivos desta edição.

Vamos aos jogos desta 1ª semana.

Newell’s Old Boys 0x1 Velez Sarsfield – 24/04, às 21h15 (Marcelo Bielsa em Rosário-ARG)
Allione 62’

Foto: Globo Esporte

Foto: Globo Esporte


A tática prevaleceu no confronto argentino. Desde o início procurando mais o ataque, o Newell’s esteve muito perto de chegar ao gol adversário, mas faltou pontaria. Em duas oportunidades, os donos da casa chegaram a acertar a trave. A primeira com Pablo Pérez, numa pancada de fora da área; a segunda com o artilheiro Scocco, em bela cobrança de falta. Pérez e principalmente Scocco – apesar da contusão em dedo do pé direito, que o fez jogar “infiltrado” – foram os atletas mais perigosos e efetivos da primeira etapa.

Tímido até então, o Vélez conseguiu conter o ímpeto dos Leprosos no segundo tempo e passou a dominar a partida no meio campo. E foi em uma bela jogada de dois meio campistas que surgiu o gol da vitória. Aos 17 minutos, Insua recebeu na entrada da área, deu belo drible e serviu Allione, que finalizou bonito no alto, na saída de Peratta, que nada pode fazer.

E se antes do gol os visitantes pouco produziram ofensivamente, após o gol fizeram ainda menos. O Newell’s pressionou e conseguiu algumas boas chances no fim com Tonso, em finalização na entrada da área, bem defendida pelo goleiro Sosa, e com Scocco, em uma falta e depois em um chute violentíssimo de fora da área, ambas com muito perigo. Fabian Cubero, capitão do Vélez, ainda foi expulso nos minutos finais, mas sua equipe teve forças para segurar a vitória.

Belo resultado alcançado pela equipe de Ricardo Gareca, especialmente por conta dos vários desfalques importantes (Bella, Gago, Ferreyra, Peruzzi). Em contrapartida, foi uma ducha de água fria para o Newell’s, que jogava em casa e criou ótimas oportunidades, mas não soube aproveitar. A equipe de Rosário se vê na obrigação de vencer o jogo da volta, no José Amalfitani, em Buenos Aires, no dia 14/05.

Real Garcilaso-PER 1×0 Nacional-URU – 25/04 às 22h15 (Inca Garcilaso de La Vega, Cuzco)
Bogado 35’

Foto: Lancenet.  O baixinho Ramos deu trabalho a defesa uruguaia.

Foto: Lancenet.    O baixinho Ramos deu trabalho a defesa uruguaia.



No duelo de Davi contra Golias, venceu aquele que foi mais ousado, o que teve vontade de vencer.

Com alguns desfalques importantes e também por opção do treinador, o Nacional entrou a campo com uma equipe bastante jovem e defensiva, com praticamente quatro volantes no meio campo. O Garcilaso, que jogava em casa e se valia da altitude – que nem acabou sendo fator preponderante – foi a única equipe que procurou o ataque, desde o início, mas com pouca qualidade. Os peruanos tinham nos chutes de longa distância e nas bolas aéreas suas principais armas. E foi com o zagueiro Bogado, com uma cabeçada, que o gol saiu, aos 35 da primeira etapa.

Antes do gol, os donos da casa já haviam desperdiçado boas chances também pelo alto, com Montes duas vezes, sendo uma salva em cima da linha, e com o próprio Bogado, além de ter chegado perigosamente com um chute de longe de Fabio Ramos, defendido por Bava com dificuldade. Na última chance da primeira etapa, Fabio Ramos bateu falta com perigo pra fora.

A partida foi sofrível e sonolenta na segunda etapa, com as duas equipes mostrando-se satisfeitas com o resultado. O Nacional até tentou alguma coisa com a entrada do experiente Vicente Sánchez, que criou a única chance de perigo dos tricolores uruguaios durante toda a partida.

O Nacional pode ter considerado o resultado reversível e razoável dentro das circunstâncias apresentadas. E realmente é, ainda mais tratando-se de um time de tanta tradição em Taça Libertadores da América. É tricampeão da competição. Ainda mais se considerarmos a volta de jogadores importantes e experientes, como Recoba, Scotti, Loco Abreu e Albin. Mas é um resultado perigoso, pois o Garcilaso – clube com três anos de fundação e estreante em Libertadores – não sofreu gols em casa, e qualquer tento marcado no Uruguai obrigará o Nacional a vencer por dois gols de diferença.

O jogo de volta será realizado no dia 09/05, no Nacional de Montevidéu, estádio que certamente estará tomado pela apaixonada torcida tricolor.

Nestas oitavas, a DPF apresenta ainda uma novidade nas análises semanais da Libertadores. Serão escolhidos, a partir de agora, o gol e o craque da semana. E os primeiros eleitos são:

Gol: Allione – Vélez (Newell’s 0x1 Vélez)


Craque: Bogado – Real Garcilaso-PER

Foto: El Comercio

Foto: El Comercio



A Libertadores prossegue com força total. Serão seis partidas, sendo cinco delas com a presença de brasileiros. Imperdível!

Comentários

21 anos, morador de Maringá-PR. Corintiano de coração, aprendi ainda a ser Liverpool, na Europa. Como Doente por Futebol, acompanho diariamente jogos, jogadores e tudo o que acontece acerca deste apaixonante esporte. Minha função por aqui será de analisar e informar tudo o que rola na América do Sul e no México. Responsável ainda pelas colunas "Craque DPF" e "Futebol na Mídia".