Torcedores de Atlético e Cruzeiro movimentam-se contra a homofobia

  • por Alexandre Reis
  • 7 Anos atrás

Por Danilo Moreira

Ideia já chegou até aos torcedores de times paulistas

A questão da homofobia ainda é um tabu no futebol. Como já abordado aqui na DpF, o tema desperta opiniões fortes e divergentes. O fato é que expressões relacionadas à homossexualidade são constantemente ouvidas em estádios, bradadas como ofensas por grande parte das torcidas. Dirigir-se ao torcedor ou jogador do time adversário chamando-o de “veado”, “bicha”, tornou-se algo comum no futebol. Infelizmente.

Em Minas Gerais, tal assunto é facilmente reconhecido nas ruas, nos estádios, em conversas com amigos. Muitos torcedores do Atlético têm o costume de se referir aos cruzeirenses como “Marias”. Do outro lado, diversos torcedores do Cruzeiro referem-se ao Galo como “Gaylo”. E por aí se estende a lista de “apelidos”. Alheio ao julgamento de valor, fica óbvio que esses discursos não são saudáveis. Alimentam uma espécie de ódio, principalmente em torcidas organizadas, e estão entre os principais motivos da violência entre as mesmas.

Diante disso, nessa última semana, surgiram duas páginas no Facebook com uma proposta diferente. Um grupo de torcedores do Atlético fundou, na última terça-feira (09), a página “Galo Queer”. Definida como um “movimento anti-homofobia e antissexismo no futebol”, a página já conta com quase 4 mil “likes”. Mesmo com uma parcela de críticas, já esperadas, muitos elogios e manifestações de apoio foram vistas, seja pelos próprios atleticanos ou por torcedores de outros times.

Página Galo Queer. Foto: Reprodução


Basta ver que a ideia também chegou aos cruzeirenses. A página “Cruzeiro / Anti-Homofobia”, criada anteontem (11), já possui mais de mil “likes”. As reações foram semelhantes às recebidas pelos atleticanos.

Página Cruzeiro / Anti-homofobia. Foto: Reprodução

Ainda assim, a atitude vem ganhando força na internet. O conceito já chegou aos times paulistas. Torcedores de Palmeiras e Corinthians aderiram à ideia, todas com uma proposta muito parecida. A tendência é que as torcidas de todo o Brasil também participem e, quem sabe, consigam mudar algo no atual cenário visto no futebol de nosso país.

E os Doentes, curtiram a proposta?

Comentários

Estudante de Jornalismo, apaixonado por futebol. Seja a final da Copa do Mundo, as semifinais de uma Copa Rural, um jogo da Liga dos Campeões ou eliminatória da 4° divisão de algum campeonato amador do interior.