A enorme decadência de uma equipe de futebol

  • por Igor Leal da Fonseca
  • 7 Anos atrás

Decadência 2

 

 

2 de julho de 2010, África do Sul. A derrota para a Holanda põe fim a um time que resgatou o orgulho do torcedor brasileiro depois do fiasco em 2006. Também marcou o fim do auge de vários jogadores, que nunca mais repetiram o nível de atuação daquele período.

A DpF vai lembrar a situação de cada um dos 23 convocados para aquela Copa, fazendo uma comparação com a condição deles atualmente. A queda de alguns em tão curto espaço de tempo é de espantar.

Júlio César – Titular absoluto da Internazionale, acabara de ser um dos principais jogadores da equipe no título da Champions. Hoje é titular do QPR, rebaixado na Inglaterra. Fez algumas partidas muito boas pela equipe inglesa, mas nada que chegue perto do período na Itália.

Júlio Cesar

Defendendo o modesto Queen Park Rangers, JC já não tem mais o mesmo prestígio com os torcedores e está longe do goleiro Campeão da Champions League 09/10



Maicon – Considerado um dos melhores laterais do mundo, vem em queda livre desde a Copa do Mundo, sofrendo com seguidas lesões. Atualmente está no Manchester City, mas quase nunca joga, seja por lesão, seja por má forma técnica.

Lúcio – Capitão da Seleção Brasileira, depois da Copa Lúcio viu sua carreira degringolar. Saiu da Internazionale para a Juventus, não agradou e foi contratado pelo São Paulo. Desde que chegou ao clube paulista, sofre muitas críticas por não conseguir repetir as grandes atuações da carreira.

Lúcio expulso

Sem o mesmo vigor de antes, o zagueiro chega atrasado demais e comete falhas bizarras


Juan – Sempre às voltas com lesões, saiu da Roma para o Internacional. No clube gaúcho, vem tendo boas atuações e já conta com a confiança da torcida.

Michel Bastos – O mais ”estranho” entre os titulares de Dunga, Michel manteve o nível de atuações pelo Lyon. Atualmente está no Schalke 04, onde tem jogado com regularidade e feito gols.

Felipe Mello – Considerado por alguns o melhor volante do país, Mello encontra restrições por conta da fatídica expulsão contra a Holanda. Após sair da Juventus pela porta dos fundos, se reencontrou no Galatasaray e tem feito bons jogos pelo clube turco. Alguns torcedores defendem que ele receba uma nova chance na seleção.

Elano – Voltou ao Santos no final de 2010. Começou bem, mas atuações ruins e problemas internos o tiraram do clube, que o negociou com o Grêmio. Atualmente é um dos jogadores mais importantes do tricolor gaúcho.

Gilberto Silva – Após a Copa do Mundo, ficou mais uma temporada na Grécia, defendendo o Panathinaikos. Voltou ao Brasil para jogar pelo Grêmio e teve uma passagem regular. Atualmente está no Atlético-MG, na reserva da dupla Leonardo Silva/Réver.

Kaká – Uma das mais assombrosas decadências de um jogador que o mundo já viu. Comprado pelo Real Madrid por 68 milhões de euros, Kaká nunca conseguiu repetir no clube merengue as atuações que teve pelo Milan. Há pelo menos duas temporadas se fala na saída do jogador, que praticamente não tem jogado. Além da má fase, não conta com a simpatia do treinador José Mourinho. Especula-se que Carlo Ancelotti assumirá o time merengue para a próxima temporada e que ele quer contar com o brasileiro. Até o momento, o ex-melhor do mundo é um dos piores negócios da história do futebol.

kaka_realmadrid_efe_95

Kaká no banco do Real Madrid: rotina nas últimas 3 temporadas


Robinho – Após a Copa do Mundo, foi negociado com o Milan. Chegou à Itália com boas perspectivas de jogar com regularidade e ser importante. Nas duas primeiras temporadas conseguiu fazer um bom número de jogos, sendo importante na conquista do Calcio 2010-11. Na atual, está às voltas com problemas físicos e quase não tem jogado.

Luís Fabiano – Foi comprado pelo São Paulo no início de 2011 por uma boa soma em dinheiro. É um jogador com história no clube e que vinha de uma boa passagem com Dunga no comando da Seleção. Chegou lesionado, ficou quase todo o ano de 2011 fora e pouco contribuiu. Quando joga, vai bem, mas passa quase tanto tempo suspenso quanto em campo. Encontra resistência de vários torcedores, insatisfeitos com suas frequentes expulsões.

Luís Fabiano

Expulsões e confusões com arbitragem marcam a segunda passagem de Luís Fabiano pelo São Paulo


Gomes – Reserva de Júlio César, Gomes falhou em diversos jogos do Tottenham. Atualmente está no Hoffenheim, onde praticamente não jogou desde que chegou à equipe, em janeiro desse ano.

Daniel Alves – Titular da Seleção com Felipão, Daniel vive um momento ruim na carreira, com uma temporada mediana no Barcelona e sem corresponder pelo Brasil. Muitos pedem que o jovem Rafael seja testado em seu lugar. Mas tem moral com seu clube e torcedores em geral.

Luisão – Em reta final de carreira, Luisão já não é mais tão importante para o Benfica quanto antes, muito por sofrer com lesões. Dirigentes e torcedores do clube português continuam confiando nele. 

Thiago Silva – Capitão da Seleção Brasileira, ídolo no PSG e referência na posição. Um dos poucos que evoluiu após a Copa.

Gilberto – Aposentado desde o ano passado.

Josué – Um dos homens de confiança de Dunga, nunca mais foi convocado após a Copa de 2010. Atualmente está no Atlético Mineiro, na reserva de Pierre e Leandro Donizete.

Ramires – Depois da Copa do Mundo, deixou o Benfica rumo ao Chelsea. No clube inglês, foi importantíssimo no título da Champions League, sendo o principal jogador dos confrontos contra o Barcelona. Atualmente é titular da equipe que chegou à final da Liga Europa. Outro que aumentou seu prestígio após o fracasso na Copa do Mundo.

Júlio Baptista – Depois da Copa, Júlio deixou a Roma rumo ao Málaga. No clube espanhol tem jogado muito pouco, seja por lesões, seja por opção do treinador. Sempre especulado em clubes do Brasil, recentemente teve seu nome ligado ao Internacional. Deve voltar ao país em breve.

Kléberson – Seguramente o nome mais criticado na convocação, depois da Copa do Mundo Kléberson perambulou por Flamengo, Bahia e Atlético PR, sem fazer nada de relevante. Atualmente está no Philadelphia Union, time que disputa a MLS.

Nilmar – Sonho de consumo de vários times brasileiros, o atacante permaneceu no Villareal depois da Copa do Mundo. Atualmente está no Al Rayyan, do Qatar, clube no qual é ídolo e tem jogado com regularidade. Manteve inabalado seu prestígio com dirigentes brasileiros e deve voltar a ser especulado em vários clubes do país.

Grafite – Depois da Copa do Mundo, Grafite ficou mais uma temporada no Wolfsburg e acabou negociado com o Al Ahli, do Dubai. Sempre especulado em clubes do Brasil, Grafite pode voltar ao país nessa próxima janela, já que seu vínculo com o clube encerra no meio do ano.

Doni – Terceiro goleiro de Dunga, após a Copa do Mundo Doni conseguiu uma inacreditável mudança para o Liverpool. A transferência essa virou piada, sempre envolvendo a capacidade do seu empresário. Atualmente está no Botafogo-SP, clube que o revelou. Mesmo com bagagem internacional e muita experiência, Doni não foi cogitado por nenhum clube grande do país.

Dunga – Ficou sem trabalhar entre o fim da Copa do Mundo e o começo de 2013, mesmo sendo especulado em vários clubes. Voltou ao batente no clube em que é ídolo, o Internacional. Está a um passo de ganhar o Campeonato Gaúcho diretamente, sem precisar de decisão e ainda é olhado com respeito por parte dos torcedores do Brasil.

E para vocês, qual foi a maior decadência entre os convocados de 2010?

Comentários

33 anos, morador do Rio de Janeiro. Rubro Negro de coração, apaixonado pelo Maracanã, tem no Barcelona o exemplo de clube para o que entende como futebol perfeito, dentro e fora do campo. Estudioso da memória do futebol, tem nessa sua área de maior atuação no site, para preservar a memória do esporte. Dedica especial atenção aos times mais alternativos, equipes que tiveram grandes feitos, mas que não são tão lembradas quanto as maiores do mundo. Curte também futebol do centro e do leste da Europa, com uma coluna semanal dedicada ao assunto. Um Doente muito antes de fazer parte desse manicômio, sua primeira memória acadêmica é uma redação sobre o Zico, na qual tirou 10 e a mesma foi para o mural da escola. Nunca trabalhou com futebol dessa forma, mas adora o que faz junto com o restante do pessoal e se pergunta o porquê de não ter começado com isso antes. Espera recuperar o ''tempo perdido''. Acha Lionel Messi o melhor que viu jogar e tem em Zico, Petkovic e Ronaldo Angelim como heróis.