A melhor surpresa da Serie A

  • por Tiago Lima Domingos
  • 8 Anos atrás

viola

A vaga na Champions escorreu das mãos da Fiorentina após derrota para o Milan em Siena aos 42 minutos do segundo tempo, mas seus torcedores têm muito do que se orgulhar nessa temporada. O momento é de aplaudir os envolvidos no novo projeto viola, desde Andrea Della Valle (presidente honorário) ao diretor esportivo Daniele Pradè. Se a escolha de Vicenzo Montella como técnico foi acertada, o mesmo pode-se dizer das contratações feitas por Pradè: nada menos que 18 aquisições que mudaram a cara do clube, que brigou para não ser rebaixado à Série B na temporada anterior e agora vem apresentando um futebol vistoso.

Na janela de verão, contratações pontuais e bom olho de mercado

borja

Foto: Reprodução – Borja Valero foi um dos melhores do campeonato e o jogador mais caro contratado pela Fiorentina na janela de verão: € 7 milhões.

Contratações pontuais e até baratas, como a de David Pizarro, que rescindiu com a Roma para ser o regista de Montella (como havia sido Francesco Lodi, no Catania), foram o início de uma temporada promissora. Também chegaram o ótimo espanhol Borja Valero, um dos destaques do campeonato, e o zagueiro Gonzalo Rodriguez, ambos do rebaixado Villarreal, da Espanha. Da Udinese, chegou o colombiano Cuadrado, após boa temporada no Lecce. Aquilani veio do Liverpool com contrato rescindido. Além deles, vieram o argentino Roncaglia (fim de contrato), Tomovic, Mati Fernandez e outros. Da base titular, só restaram o capitão Pasqual, que voltou a se apresentar bem, Jovetic, maior destaque do clube nos últimos anos, e Adem Ljajic, que ainda não havia despontado e corria risco de deixar o clube após brigar com Delio Rossi, ex-treinador da Fiorentina. Ao todo, o clube viola gastou aproximadamente €25 milhões para formar um time competitivo, de bom futebol e que brigou até a última rodada pela Liga dos Campeões.

Vincenzo Montella – O comandante do grande trabalho

montella

Foto: Reprodução – Montella, grata surpresa da carreira e futuro promissor

Se alguém tinha desconfiança de Vincenzo Montella após o ótimo trabalho no Catania, esse alguém terá que dar o braço a torcer. Em sua segunda temporada completa como treinador (ele assumiu a Roma dezesseis partidas após a demissão de Claudio Ranieri), Montella dá provas de que terá um futuro muito promissor. Gerou na Fiorentina um estilo de jogo ofensivo e baseado na posse de bola, fazendo dela, em muitos momentos, o time mais bonito de se ver jogar na Itália, ao lado da Roma de Zeman. Montella montou um meio de campo com três ótimos passadores que ditaram o ritmo das partidas: Aquilani, Pizarro e Borja Valero. Embora tenha começado a competição com um bem sucedido 3-5-2, a equipe enfrentou um período de queda entre janeiro e fevereiro, levando Montella a transformar o esquema num 4-3-3 mais ofensivo que privilegiou e fez crescer o futebol de Cuadrado e Ljajic. O conjunto completamente novo jogava como se estivesse junto há anos.

viola esquema

Foto: Reprodução – O 3-5-2 do início do campeonato deu lugar a um 4-3-3 mais ofensivo. Cuadrado e Ljajic cresceram e fizeram ótima temporada.

Montella já declarou que seguirá na Fiorentina. Bom para os dois: o time deverá permanecer evoluindo e o treinador conseguirá, pela primeira vez na curta carreira, dar sequência a um trabalho. Cabe ao clube reconhecer a oportunidade, manter a base da ótima temporada e, sobretudo, reforçá-la. Os jovens Jovetic e Ljajic já são muito cortejados e mantê-los, mesmo que seja uma tarefa muito difícil, deverá ser a prioridade do presidente Della Valle para, quem sabe, ver novamente o clube na Liga dos Campeões. O bom Giuseppe Rossi, que chegou em janeiro e estreou na última rodada após mais de um ano parado por duas lesões no joelho, é contratação do nível que a Fiorentina precisa daqui pra frente.

Comentários

Carioca e rubro-negro. Do Rio de Janeiro a Milão. Doente por futebol, é claro. E apaixonado pelo Calcio.