Brasileiros pela Ucrânia

  • por Saimon
  • 8 Anos atrás

saimon

O futebol ucraniano vem crescendo cada vez mais nos últimos anos. Recentemente tivemos o Shakhtar Donetsk sendo campeão da antiga Copa UEFA e fazendo boas campanhas na Liga dos Campeões. Outra prova disso são os inúmeros brasileiros que jogam por lá, chamando a atenção principalmente de Mano Menezes, na época em que comandava a Seleção. O treinador, inclusive, foi bastante criticado por sempre levar alguém da Ucrânia nas convocações. A resposta aos críticos veio na Liga dos Campeões, quando Fernandinho, Willian e outros brasileiros deram show junto com o Shakhtar, e eliminaram o atual campeão Chelsea. Hoje, todos estão esquecidos com Felipão, mas não seria surpresa nenhuma se fossem chamados.

Foto: Reprodução - Brasileiros brilham no Shakhtar.

Foto: Reprodução – Brasileiros brilham no Shakhtar.

O Doentes preparou um resumo de como foi a temporada 2012/2013 de alguns brasileiros. Mas, antes um breve resumo da temporada, que termina no fim do mês. O Shakhtar conquistou o Campeonato Ucraniano com quatro rodadas de antecipação e uma campanha perto da perfeição. São 23 vitórias em 27 jogos, com apenas uma derrota. A briga pelo vice-campeonato, e também pela segunda vaga na Champions League, está boa. Metalist Kharkiv, com 59 pontos, e Dinamo Kiev, com 56, estão no páreo. Apesar de estar na frente, o Metalist tem uma tabela mais complicada, pois ainda enfrenta o Dnipro, quarto colocado. Já a tabela do Dinamo é mais fácil, porém precisa de um tropeço do rival. O Shakhtar também está na final da Copa da Ucrânia, em que vai enfrentar o Chernomorets Odessa, equipe que está em sexto na Liga.

Agora um pouco sobre os brasileiros na temporada:

Deu show

A premiação da temporada ainda não foi anunciada, mas o Top-3 da Liga deverá ter o armênio Mkhitaryan e mais dois brasileiros. Um deles é Fernandinho, que, se não tivermos surpresas, será eleito o craque do campeonato. O volante, que desperta o interesse do Manchester City e tem multa de 30 milhões de euros, deu show não só no campeonato, mas também na Liga dos Campeões. Jogando como segundo volante, mas sempre chegando ao ataque, Fernandinho é um dos melhores volantes brasileiros da atualidade, mas segue esquecido por Felipão. Ao lado dele na premiação, deverá figurar Cleiton Xavier, ex-Figueirense e Palmeiras. Com 19 gols e 12 assistências na temporada, Cleiton é o principal responsável pela segunda colocação do Metalist no campeonato. O meia também é dono de alguns golaços na temporada, com direito a gol do meio de campo na saída de bola.

Bem também

A temporada também foi boa para outros brasileiros, mas com menos destaque. Alex Teixeira teve um primeiro semestre ótimo, mas depois decaiu e perdeu até a condição de titular. Quem também se salvou pelo primeiro semestre foi Giuliano, que caiu como todo o Dnipro. Mesmo assim, o meia teve boa temporada (a primeira em três anos de clube), marcando dez gols e participando de vários outros. Muito criticado aqui no Brasil, Marlos surpreendeu lá fora. Apesar dos poucos gols, o meia-atacante foi peça importante no Metalist depois da parada de inverno. Titular na vaga de Taison, o jogador correspondeu e foi decisivo na reta final. Também destaque, mas em um time menor, foi Júnior Moraes, ex-atacante do Santos e pouco lembrado por aqui. Conhecido na época como Moraes, ficou marcado por fazer o gol do título Paulista do Santos em 2007. Com 11 gols na Liga e 15 na temporada, ele é o jogador decisivo do Metalurg Donetsk, que estará na próxima Liga Europa. Outra surpresa é Léo Matos, lateral revelado pelo Flamengo e que tem passagens por Paraná e Figueirense. Léo virou meia no Chernomorets Odessa e foi o responsável pelo gol que classificou o seu time para a final da Copa da Ucrânia. De quebra, o Odessa se garantiu na próxima Liga Europa.

Nada demais

Luiz Adriano fez 14 gols na temporada. A marca pode ser considerada boa, mas o centroavante do Shakhtar poderia ter sido muito mais efetivo. Foram diversos gols perdidos, alguns sem goleiro, outros na cara do gol mesmo. É o ponto mais fraco do Shakhtar, que vê com bons olhos a contratação de Vagner Love para a próxima temporada. Ilsinho também ficou devendo, mas conseguiu compensar um pouco sendo decisivo. Foi ele o autor do gol do título, duas semanas atrás, diante do Metalist. Ilsinho saiu do banco e, com um lindo toque na saída do goleiro, sacramentou o título do Shakhtar. Podemos citar também o atacante Matheus, do Dnipro. Revelado pelo Itabaiana, esperava-se muito do ex-atacante do Braga, mas foram apenas nove gols na temporada. Para fechar, falamos sobre Danilo Silva, jogador do Dinamo Kiev e que é titular há quatro temporadas. Danilo, que foi revelado pelo Inter, foi cotado para defender a seleção ucraniana no começo desse ano, fato que animou o jogador.

Ficou devendo
Com uma “pequena” multa de 45 milhões de euros, Douglas Costa era o principal nome do Shakhtar até alguns anos atrás. Essa condição mudou e nessa temporada Douglas foi apenas mais um. Alternando entre o time titular e o banco, Douglas não conseguiu mostrar nada do seu bom futebol e é um dos mais cotados a deixar a equipe na próxima janela. Junto dele, temos Taison, contratação cara do Shakhtar no meio da temporada. Os valores de contratação foram absurdos e a multa de rescisão de contrato do jogador é de 60 milhões de euros. Ainda assim, Taison não mostrou o futebol da temporada passada. Foram apenas dois gols, ambos pelo Metalist, ainda no primeiro semestre. Pelo Shakhtar não se encaixou na ponta, mas segue com status de titular. Jajá Coelho é outro que chegou no meio da temporada, mas foram apenas cinco jogos pelo Metalist. Jajá, que é ídolo da torcida por sua passagem anterior, sequer conseguiu se firmar como titular após a saída de Taison. No mesmo time temos Willian, ex-atacante do Corinthians e do Figueirense. Reserva, mas sempre entrando nos jogos, fez apenas quatro gols nessa temporada, o que gerou muita insatisfação da torcida. É bem cotado para voltar ao Brasil neste ano. Fininho é outro ex-corintiano que ficou devendo. Depois de ser destaque do time até o ano passado, as baixas atuações desse ano o fizeram perder a vaga para Márcio Azevedo.

Não deu pra ver

129 minutos em campo. Essa é a marca da primeira temporada de Alan Patrick na Europa. Após três jogos entrando no segundo tempo, a primeira chance veio no último fim de semana, com um time misto diante do Illychivets. Alan não decepcionou e marcou um gol, ganhando um pouco de moral com o técnico Lucescu, que o levou para o banco de reservas no jogo seguinte, ao lado do elenco principal. Márcio Azevedo chegou como titular do Metalist, mas fez apenas sete partidas, sendo que se machucou na última. Apesar de ter sido sempre titular desde que chegou, fica difícil de avaliar. Dudu, que não está lendo, sofreu com lesões no Dinamo Kiev. Promessa da base do Cruzeiro, voltou aos campos apenas no último fim de semana. Foi o primeiro jogo do meia em 2013, que não atuava desde dezembro. Também não mostrou muito o zagueiro Douglas, contratado pelo Dnipro junto ao Vasco na janela de inverno. Ele foi titular em todos os jogos que fez, mas já acumula uma expulsão por reclamação, típica de brasileiros. Quem não deu para ver mesmo foi Ismaily, lateral contratado pelo Shakhtar no meio da temporada. Com 23 anos e revelado pelo Desportivo Brasil, Ismaily sequer estreou pelo Shakhtar. O time também contratou Maicon Oliveira, 25 anos, que já jogou por Mogi das Cruzes e Zorya Lugansk. Maicon jogou apenas 14 minutos e não deve ter o contrato renovado para o próximo ano.

Para a próxima temporada, a expectativa é de que mais brasileiros cheguem na Ucrânia. Algumas especulações de jornais colocam o Metalist atrás de Rhodolfo, do São Paulo, e Maikon Leite, do Palmeiras. O Shakhtar estaria interessado em Vágner Love, enquanto o Dinamo Kiev tentará trazer Nilmar, como tentou no ano passado. Enquanto a janela não abre, a expectativa é mesmo em cima do vice, que jogará a próxima Champions League. Aguardemos os três próximos fins de semana.

Comentários

Palmeirense, 23 anos. Acompanha futebol em qualquer canto. Fã da ótima geração belga.