Ceará: A volta por cima com o título estadual 2013

  • por Doentes por Futebol
  • 8 Anos atrás

O Ceará conquistou no último domingo o tricampeonato estadual. Com isso, o clube vem reafirmando sua hegemonia no estado, quebrada pelo Fortaleza Esporte Clube durante a década de 2000, quando o clube alvinegro conquistou meros dois títulos.

CEARA-FP

Por Gabriel Neto

Tudo começou em 2009, com a subida do time para a Série A. Assim, reacendia-se a chama da esperança do torcedor no clube. Para coroar a festa naquele ano, o Fortaleza, rival que esteve por cima durante os dez anos anteriores, caiu para a Série C. Em 2010, o Ceará fez campanha razoável na Série A e conseguiu a sua permanência. Mesmo assim, perdeu o título estadual para o Tricolor do Pici e continuou como segundo clube no estado.

Em 2013, tudo começou em festa. O Ceará vinha de bicampeonato estadual e trouxera bons reforços, como Ricardinho e Pingo. O alvinegro também contratou Ricardinho, ex- jogador da Seleção, Corinthians e São Paulo, como seu novo treinador. Iniciava-se, assim, a busca pelo acesso e títulos no ano. O clube de Porangabuçu disputaria quatro torneios em 2013: a Copa do Nordeste, Copa do Brasil, Estadual e a Série B do Brasileiro.

O ALGOZ ALAGOANO

No estadual, o Ceará não disputou a primeira fase, por conta de sua participação na Copa do Nordeste. No regional, o clube fez boa campanha, terminando em segundo lugar (por critérios de desempate, pois empatou com o ABC de Natal, cada um somando 10 pontos) no grupo que contava com ABC, Bahia e Itabaiana-SE. A equipe vinha bem até a semifinal, onde foi eliminado pelo ASA-AL diante de um Castelão lotado com mais de 52.000 pagantes, causando tristeza nos torcedores alvinegros.

Após cair no Nordestão e trocar de treinador depois de um início péssimo no estadual (saiu Ricardinho e entrou Leandro Campos, ex-técnico do time algoz do Ceará, o ASA), o alvinegro concentrou-se no campeonato local, onde buscava o tricampeonato que não acontecia há 15 anos. A segunda fase contava com alguns clubes classificados da primeira etapa, além de Ceará e Fortaleza. Assim, não havia turno e returno, somente fases classificatórias. Os seis primeiros da fase inicial passariam para a segunda fase, onde os quatro melhores fariam a semifinal e os vencedores a final.

Ao mesmo tempo, o alvinegro cearense dividiu suas atenções com a Copa do Brasil, onde o adversário foi justamente o ASA. Com derrota por 3×0 em Alagoas e vitória por 3×0 em Fortaleza, após um jogo em que tecnicamente o Ceará foi extremamente superior ao clube alagoano, a decisão foi para as penalidades e, mais uma vez, o clube cearense foi eliminado pelo alvinegro alagoano. A derrota não desceu fácil e o clube de Arapiraca ficou entalado na garganta de todos os torcedores.

Porém, com oito vitórias, dois empates e quatro derrotas em 14 jogos, o Ceará classificou-se em segundo lugar para as semifinais do Estadual.

O confronto com o Fortaleza nas semifinais revelou-se muito mais fácil do que qualquer torcedor poderia imaginar. Com duas vitórias incontestes, o Ceará acabou por fazer, no agregado 6×1, com vitórias por 3×0 e 3×1 no Estádio Presidente Vargas (o Castelão não estava em condições de uso por conta do show do ex-Beatle Paul McCartney).

A FINAL

Na final do Estadual, o adversário foi o surpreendente Guarany de Sobral, que terminaria o campeonato sem perder para o Ceará.

No primeiro jogo, no Estádio do Junco, em Sobral, equilíbrio total. O time do interior saiu na frente com gol de Marciel. O Ceará empatou com gol de Mota, levando a vantagem do empate para Fortaleza.

Assim, num Castelão com mais de 49.000 pagantes (um dos maiores públicos do ano no Brasil), iniciavam-se os 90 minutos que separavam o Ceará do tricampeonato que há tanto não vinha. O alvinegro começou com falta de atenção e, em falha de Fernando Henrique após um chute de fora da área de Luiz Carlos, o Guarany abria o placar da partida. O Ceará, no entanto, empatou poucos minutos depois com Mota, o veterano que retornava ao clube sendo decisivo para a conquista do campeonato, após receber passe de Magno Alves. Segurando o resultado em 1×1 até o final da partida, o alvinegro sagrou-se Campeão Cearense de 2013.

O time alvinegro na final do estadual:

Fernando Henrique; Eric, Rafael Vaz, Douglas e Vicente; Diogo Orlando, João Marcos, Ricardinho e Lulinha (Luiz Henrique); Magno Alves (Pingo) e Mota.

Após as boas campanhas no campeonato nos campeonatos regional e estadual o Ceará prova estar qualificado para a disputa da Série B. A equipe conta com uma boa defesa, seu meio-campo tem Ricardinho como maestro e o volante João Marcos, ídolo da torcida, e o ataque é formado pelos veteranos Magnata e Mota, que precisam de peças mais jovens de reposição. Porém, os grandes problemas do time continuam sendo as laterais ocupadas pelo fraco Eric na direita e Vicente, que, embora esteja em boa fase, é sempre uma peça de desconfiança na esquerda. Reforços devem vir para o setor. Além disso, o presidente Evandro Leitão já destacou em entrevista nesta segunda-feira que seis jogadores devem deixar o clube. Ele não revelou nomes, mas Rafael Vaz conta com proposta do Vasco da Gama e deve deixar o Ceará em breve.

Comentários