Depois de três anos de conquistas, Guillermo Marino anuncia sua saída da La “U”

  • por Gustavo Ribeiro
  • 7 Anos atrás
Foto: Reprodução - Guillermo Marino comemorando o título do Apertura 2012

Foto: Reprodução – Guillermo Marino comemorando o título do Apertura 2012

Nesse sábado (24), Universidad de Chile e Rangers se enfrentaram pelo Campeonato chileno. A partida terminou com a derrota de La “U” por 2X1, mas o destaque da partida foi o volante Guillermo Marino, que fez seu último jogo pelo clube. Com cinco títulos conquistados em três anos no clube, Marino se despediu saindo aplaudido pela torcida e abraçado por seus companheiros.

Com a saída de Montillo,  em 2010 e depois de uma boa campanha na Libertadores, Marino chegou ao clube chileno em agosto daquele ano. Havia passado pelo Newell’s Old Boys, onde jogou de 2000 a 2004, pelo Boca Juniors em duas oportunidades, 2005-2007 e 2009-2010, e teve uma rápida passagem pelo Tigres, do México, em 2010.

Em seus primeiros seis meses, com o técnico Gerardo Pelusso no comando da equipe, disputou dez jogos pelo campeonato nacional e um pela Copa sul-americana. Numa equipe que já tinha uma base formada, Marino foi entrando aos poucos, muitas vezes saindo do banco de reservas.

Com a chegada do técnico Jorge Sampaoli, o volante passou a ser uma das peças mais importantes no time. No título do Apertura de 2011, disputou 22 jogos, anotando 2 gols. No segundo semestre de 2011, por causa de algumas lesões e da chegada de Gustavo Lorenzetti, perdeu espaço no time titular, mas quase sempre entrava no decorrer dos jogos. No título da Copa Sul-americana de 2011, disputou 6 dos 20 jogos. No Clausura foram 10 partidas. Volante de ótimo passe, Marino se destacou pela sua qualidade no passe e sempre ajudando na armação, principalmente depois da chegada de Sampaoli, com quem tinha muita liberdade para apoiar o ataque.

Durante o ano de 2012, se alternou entre a reserva e a titularidade, mas nas finais do Apertura contra o O’ Higgins foi o destaque do duelo, marcando gol nos dois jogos. No segundo jogo, com gol aos 90 minutos, levou a partida para os pênaltis, que terminou com a La “U’ conquistando o tricampeonato. Esses dois gols entraram para a galeria dos mais importantes da história do clube.

Com a saída de Sampaoli e a chegada de Dário Franco, Marino, já com 32 anos, começou a temporada como titular e sendo um dos destaques do time. Na fase de grupos da Libertadores, no jogo contra o Newell’s (sua ex-equipe) marcou um belo gol na vitória por 2X1. Mas, com o fim do seu contrato chegando, o técnico Dário Franco começou a deixá-lo no banco, inclusive no clássico contra o Colo-Colo, não voltando mais a ser titular até sua partida de despedida. Na final da Copa Chile contra a Universidad Católica, entrou no segundo tempo na vitória por 2X1. Esse foi seu último título com pelo Clube.

Em seus três anos de Universidad de Chile e sendo um dos principais responsáveis pelo melhor momento da história do clube, Guillermo Marino, nascido em 2 de fevereiro de 1981, disputou 121 jogos, anotando oito gols e conquistando cinco títulos: uma Copa Sul-americana, três campeonatos nacionais e uma Copa Chile.

Comentários

Projeto de jornalista, mineiro, 20 anos. Viu que não tinha muito futuro dentro das quatro linhas e resolveu trabalhar dando seus pitacos acompanhando tudo relacionado ao futebol, principalmente quando a pelota rola nas canchas dos nossos vizinhos sul-americanos. Admirador do "Toco y me voy" argentino, também escreve no Sudaca FC e tem Riquelme e Alex como maiores ídolos.