Final do DF: Regulamento publicado diz uma coisa e mídia fala outra.

Em Brasília, quando se fala na decisão do Candangão 2013, a informação é de que o Brasiliense joga por dois empates contra o Brasília, por ter feito a melhor campanha (26 pontos x 25 pontos) nas fases preliminares da competição.

Isso é o que diz a mídia, os jogadores, dirigentes, sites de clubes, mas… não é o que o regulamento diz.

O Regulamento Específico (REC) do campeonato brasiliense de 2013, datado de 08 de novembro de 2012, que está disponível no site da Federação Brasiliense de Futebol, informa que, nas finais do campeonato, caso duas equipes empatem no saldo de gols das duas partidas, os critérios de desempate seriam, pela ordem:

1. Maior número de vitórias na fase de classificação dos dois turnos.
2. Maior saldo de gols na fase de classificação dos dois turnos.
3. Maior número de gols pró na fase de classificação dos dois turnos.
4. Pênaltis

Foto: Reprodução - Recorte do regulamento

Foto: Reprodução – Recorte do regulamento

Tal regulamento pode ser encontrado no endereço (http://www.fbfdf.org.br/modulos/campeonatos/Regulamentos/view.asp?Doc=Reg1Div2013).

O primeiro jogo, realizado domingo, no Serejão, acabou 1×0 para o Brasiliense, gol do veterano Baiano. Caso o Brasília derrote o Brasiliense por um gol de diferença na grande final, a ser disputada no Estádio Nacional, as equipes ficariam empatadas na final, tendo que obedecer, portanto, aos critérios constantes no artigo 6º do regulamento.

Foto: Adalberto Marques/Agência Estado - Baiano fez o gol da vitória na primeira partida

Foto: Adalberto Marques/Agência Estado – Baiano fez o gol da vitória na primeira partida

Na fase classificatória do primeiro turno (Taça JK), o Brasília teve cinco vitórias e o Brasiliense, três. Na fase classificatória do segundo turno (Taça Mané Garrincha), a situação se inverteu: 5 vitórias para o Brasiliense e 3 vitórias para o Brasília. As equipes, assim, empatariam no primeiro critério de desempate, tendo, ambas, 8 vitórias na fase de classificação dos dois turnos.

Adotando o segundo critério, o saldo de gols de Brasília e Brasiliense na Taça JK foram, respectivamente, de 7 e 2. Na Taça Mané Garrincha, foram, respectivamente, de 4 e 8. Dessa forma, o Brasília teria um saldo acumulado nas duas fases classificatórias de 11 gols, contra 10 do Brasiliense. Esse gol a mais no saldo, então, faria a equipe jogar pelo empate no confronto.

No site do Brasiliense, após a vitória por 1×0 na primeira partida, a manchete desta segunda-feira foi: “Jacaré sai na frente da decisão: título se perder por até um gol de diferença no próximo sábado”. Da mesma forma, todo o resto da mídia informa que o Brasiliense poderia até perder por um gol, já que venceu o primeiro jogo.

Foto: Reprodução - Recorte do site do Brasiliense

Foto: Reprodução – Recorte do site do Brasiliense

Em 18 de janeiro de 2013, a FBF emitiu um adendo ao regulamento, tratando de data de inscrições de atletas. Tal adendo pode ser consultado emhttp://www.fbfdf.com.br/images/stories/docs/adendo_001.pdf

O site da Federação, bastante transparente, publica vários documentos oficiais, por exemplo termo de concordância de substituição de juiz, mas não possui publicado nenhum outro adendo. Assim, parece claro que o regulamento apresentado em 08 de novembro de 2012 é definitivo.

No site http://www.candangao.com.br/, em matéria de 07 de maio de 2013, que trata do pleito do Gama em relação à vaga na série D do Brasileirão, o recorte apresentado de outro artigo (artigo 23) é igual ao do REC disponibilizado na internet, o que reforça a tendência de que tal regulamento seja o oficial. 

Podemos concluir então que, segundo o Regulamento Específico da Competição (REC), publicado no site da FBF, o Brasília jogaria por dois empates na grande decisão, por ter melhor saldo de gols nas fases classificatórias dos dois turnos.

Uma vitória simples do Brasília, então, daria o 9º título à equipe, depois de 26 anos da última conquista. Um empate daria o 8º título candango ao Brasiliense, todos conquistados no século XXI.

Com a palavra, a Federação.

Comentários

Sergio Rocha é torcedor do Madureira e sempre teve o sonho de escrever sobre esportes em geral, embora tenha optado pela carreira de engenheiro civil. No "currículo", cadernos recheados de resultados esportivos e agendas da década de 90, quando antes da internet acessava rádios de diversos locais do país buscando os resultados esportivos do Acre à Costa Rica. Além de fanático por futebol, é fanático por praticamente todos os esportes, e no tempo livre que sobra sempre busca os últimos resultados esportivos do PGA Tour ou dos futures da ATP. Além disso, coleciona quadrinhos da Disney e é louco por astronomia.