Lyon aceita repetir jogo após vencer com erro de juiz

Foto: S. Guiochon/Le Progrés

Foto: S. Guiochon/Le Progrés

Um fato inusitado ocorreu na semifinal da Copa da França feminina de futebol, no último domingo.

Lyon e Montpellier disputavam a vaga na final por meio da disputa de pênaltis, após empate em 1×1 no tempo normal. A japonesa Rumi Utsugi, do Montpellier, precisou bater duas vezes seu penalti. Na primeira, ela converteu o gol, mas a bola tinha saído da marca da cal antes da cobrança. Na seguna tentativa, Utsugi do Montpellier, chutou a bola na trave e, na volta, ela pegou no braço da goleira e entrou. O gol, porém, não foi aceito pela arbitragem.


Após tal erro, quando a disputa estava em 2×2, a equipe de Lyon, bicampeã europeia, venceu por 6×5. 

O presidente do Lyon, Jean-Michel Aulas, sugeriu a repetição da partida, ideia a princípio aceita pelo mandatário do Montpellier, Laurent Nicollin, que afirmou que a decisão agora seria da FFF (Federação Francesa de Futebol).

A árbitra realmente errou, por desconhecimento da regra, no lance. Em seu blog (http://sportv.globo.com/platb/blog-do-gaciba/), o ex-juiz e atual comentarista de arbitragem Leonardo Gaciba, em post de 09 de maio, afirma que a nova recomendação da FIFA é que o lance só acaba quando cessam todos os seus efeitos. Portanto, a bola tocar na trave e no goleiro/goleira antes de entrar é perfeitamente válido.

Em comunicado oficial, divulgado nesta terça, o Lyon recorda de outro gesto de Fair Play, acontecido em 1999, quando o Arsenal propôs ao Sheffield United a repetição de um jogo da Copa da Inglaterra. 

Na ocasião, a equipe londrina tinha vencido por 2×1, após um lance em que o time adversário parou esperando a devolução da bola por parte do Arsenal, que teve um lateral após o goleiro do Sheffield chutar a bola para fora para atendimento de um atleta. A partida acabou acontecendo dez dias depois.

Comentários

Sergio Rocha é torcedor do Madureira e sempre teve o sonho de escrever sobre esportes em geral, embora tenha optado pela carreira de engenheiro civil. No "currículo", cadernos recheados de resultados esportivos e agendas da década de 90, quando antes da internet acessava rádios de diversos locais do país buscando os resultados esportivos do Acre à Costa Rica. Além de fanático por futebol, é fanático por praticamente todos os esportes, e no tempo livre que sobra sempre busca os últimos resultados esportivos do PGA Tour ou dos futures da ATP. Além disso, coleciona quadrinhos da Disney e é louco por astronomia.