O fenômeno Di Natale

  • por Tiago Lima Domingos
  • 7 Anos atrás

di natale site e fp

Um ídolo dentro e fora dos gramados

A Udinese é um clube que se orgulha, com razão, de ter uma das melhores redes de olheiros da Itália, quiçá do mundo. O trabalho espalhado ao redor do planeta é muito bem feito, digno de aplausos. Não é raro pegarmos o elenco do clube e nos depararmos com jovens oriundos de diversas nacionalidades e continentes. Exemplos não faltam: Alexis Sanchez, Luis Muriel, Handanovic, Asamoah, Muntari, Isla, entre outros. Porém, o maior ídolo do time não chegou à Udinese nessas condições: Di Natale veio “velho”, com 26 anos, e já era conhecido do público italiano devido ao seu bom trabalho nas séries A e B jogadas no seu ex-clube, o Empoli.

di natale empoli

Foto: Reprodução – Di Natale com a camisa do Empoli, último clube antes de se tornar ídolo da Udinese.

Início e história na Udinese

Totò, como também é conhecido, chegou ao clube na temporada 2004/05 para não sair mais. Acumulou gols e presenças que marcaram a memória do torcedor friuliano, além de atitudes que o fizeram bandeira e ídolo, sendo comparado a outro grande jogador da história da Udinese: Zico. O Galinho tem até hoje uma bandeira no estádio Fruili.

Como dito, Di Natale chegou na equipe na temporada 2004/05, já sendo peça chave do time treinado por Luciano Spalletti. Começava ali, no primeiro ano de clube, a fazer história: foi na citada temporada que a Udinese conseguiu sua primeira classificação em sua história para a UEFA Champions League. Nem mesmo o time de Zico e o de Bierhoff conseguiram tal feito.

As quatro temporadas de ouro

di natale

Foto: Reprodução – Di Natale comemorando a classificação a Champions League 2012-13. Na camisa, o número de gols das últimas três temporadas no Calcio. Foram 80 em 107 jogos.

De 2004/05 a 2008/09, Di Natale não acumulou números muito expressivos no que diz respeito ao número de gols marcados. A melhor marca veio em 2007/08, quando marcou 17 vezes em 36 partidas pela Serie A. No entanto, a idade vinha chegando. Após cinco temporadas de clube, Di Natale passaria a ser usado mais como centroavante, diferentemente de anos passados, quando jogava ao lado de companheiros mais fixos (Iaquinta, Floro Flores e Quagliarella foram alguns deles). A alteração mostrou-se extremamente benéfica para o atacante.

A partir da mudança, Di Natale passou a ser um jogador completamente diferente de anos passados. Virou um atacante letal, combinando técnica com posicionamento e frieza digna dos maiores atacantes da história. Os números passaram a se tornar impressionantes tratando-se do tamanho da Udinese e em comparação a outros grandes clubes da Itália. Tão impressionante que Di Natale foi duas vezes consecutivas o artilheiro da Série A. Marcou entre as temporadas 2009/10 e 2010/11 nada menos que 57 gols em 71 partidas. Superou atacantes como Cavani, Eto’o, Totti, Ibrahimovic e Diego Milito.

Está enganado quem pensa que Totò di Natale parou por aí. O atacante continuou a marcar sem parar: foram 29 gols (23 na Série A) na última temporada e já são 25 gols (22 na Série A) na atual. Os incansáveis gols do italiano, atrelados ao ótimo trabalho do atual treinador Francesco Guidolin, fizeram da Udinese um time que brigou de igual pra igual com Napoli, Inter, Lazio e Roma na disputa por competições europeias. O clube se classificou duas vezes seguidas (2011/12 e 2012/13) para a pré-Champions League. A Udinese infelizmente caiu para Arsenal e Braga nas duas últimas temporadas. Na atual, o time vem de uma arrancada sensacional e pode desbancar Inter, Roma e Lazio, e garantir uma vaga na próxima Liga Europa, tendo um time esfacelado pela política do clube de vender os principais jogadores garimpados para poder sobreviver sem dívidas. Guidolin e principalmente Di Natale fazem história no clube.

di natale gráfico

Nota: Nas últimas quatro temporadas, Di Natale somou 102 gols em 138 partidas. Média de 0,74 gols/partida. Impressionante! Em todas as competições são 111 gols em 156 partidas. Média de 0,71/jogo.

Caráter e atitudes de um grande ídolo fora de campo

De comportamento tranquilo e pacato, fã de golfe, tênis e pescaria, Antonio Di Natale não se tornou ídolo só por ter levado a Udinese a voos mais altos e marcado gols atrás de gols. Atrás do atacante goleador há uma grande pessoa, de reputação inquestionável e atitudes incomuns nos dias de hoje.

A recusa de se transferir a Juventus

Um episódio marcante na carreira do jogador foi ele ter recusado uma transferência para a Juventus. Foi na janela de verão da temporada 2011/12, quando uma proposta tentadora para clube e jogador foi enviada pela Juve. Di Natale não pensou duas vezes: evitou uma mudança na vida dos filhos e da família. Também por amor ao clube, recusou.

O episódio Piermario Morosini

morosini

Foto: Reprodução – Di Natale e companheiros (Coda e Handanovic) vestindo camisa em homenagem a Morosini

O capítulo da morte do companheiro Piermario Morosini, de toda a carreira e vida de Di Natale, sem dúvidas, foi um marco. Morosini foi um atleta revelado pela Udinese. Acabou morrendo em abril de 2012 após sofrer um mal súbito dentro de campo em partida pela Série B Italiana. Morosini perdeu a mãe quando tinha 15 anos e o pai dois anos depois. Um ano após a morte do pai, o irmão suicidou-se. Piermario então passou a ter a custódia da irmã, uma deficiente mental que vive em uma instituição especializada.

Mas onde entra o jogador nessa história? Após a morte de Piermario Morosini, Di Natale, sensibilizado com a causa, pediu a custódia de Maria Clara, irmã de Morosini, prometendo cuidá-la até o final de sua vida. Mas quem Quem assumiu a custódia da irmã, prometendo de cuidar dela para sempre, foi Antonio Percassi, dono da Atalanta. (informação corrigida, diversas fontes davam que Di Natale detinha a custódia de Maria Clara)

Este é Antonio Di Natale. Um exemplo dentro e principalmente fora dos gramados.

Números de Di Natale no clube

157 gols com a camisa da Udinese na Serie A – Maior goleador da história do clube. O segundo colocado é  Lorenzo Bettini, com 67 gols;

15 gols em competições europeias com a camisa da Udinese – Recorde do clube;

162 gols na Serie A no decênio de 2003-2004  2012-2013 – Recordista;

295 partidas com a camisa da Udinese na Serie A – Só perde em número de jogos para Valerio Bertotto que vestiu a camisa bianconera em 334 oportunidades;

Primeiro e único italiano a marcar gols na Serie A, Champions League, Copa UEFA/Liga Europa e Copa Itália em uma mesma temporada. Foram duas vezes (2005-06 e 2011-12).

3 classificações para a Champions League. Em todas, Di Natale esteve presente.

Abaixo você pode conferir uma belíssima coletânea dos gols mais bonitos da carreira do jogador. Imperdível!

 

Comentários

Carioca e rubro-negro. Do Rio de Janeiro a Milão. Doente por futebol, é claro. E apaixonado pelo Calcio.