O Olimpia da superação e suas virtudes

  • por Mauricio Fernando
  • 8 Anos atrás
Foto: Lancenet

Foto: Lancenet


Quem vê a ótima campanha do Olimpia na Taça Libertadores da América 2013, pode achar que tudo está às mil maravilhas pelas bandas do decano paraguaio. Pois se engana quem assim pensa. Salários que chegaram a três meses de atraso, renúncia de presidente, assembleia e novas eleições convocadas às pressas, dívidas e mais dívidas, problemas que não acabam mais e que a diretoria interina tenta resolver. Tudo isso só neste ano, por ai se vê a quantas andam os bastidores do maior clube da história do futebol paraguaio, com 39 títulos nacionais, três Libertadores e um Mundial Interclubes conquistados.

Comprometidos a continuarem motivados dentro de campo, respeitando a gloriosa história do Club Olimpia, os jogadores superaram todos os problemas apresentados até aqui, fazendo bonito na principal competição de clubes da América do Sul e terão o Fluminense como próximo obstáculo nas quartas de final da competição.

Foto: ABC Color - Marcelo Recanate renunciou a presidência do clube no início do ano

Foto: ABC Color – Marcelo Recanate renunciou a presidência do clube no início do ano

Com uma campanha irregular no campeonato nacional, a equipe comandada pelo uruguaio Ever Hugo Almeida – ex jogador do clube – priorizou corretamente a Libertadores, competição em que fez a terceira melhor campanha da fase de grupos, conquistando 13 pontos em seis jogos (quatro vitórias, um empate e uma derrota), liderando o grupo 7, a frente de fortes concorrentes como Newell’s Old Boys–ARG e Universidad de Chile. Nas oitavas de final, os paraguaios superaram o Tigre-ARG. Após serem derrotados por 2×1 na Argentina, a equipe classificou-se com a vitória por 2×0 diante de seu torcedor no Estádio Defensores Del Chaco, uma de suas grandes armas.

O veloz e técnico setor ofensivo é o destaque do time, que tem o segundo melhor ataque da competição com 21 gols. Outros dados interessantes que mostram intensidade ofensiva dão conta de que a equipe foi a que mais finalizou a gol no torneio, com 153 chutes, sendo 59 finalizações certas, liderando também este quesito. Vale ainda ressaltar um importante ponto que deve deixar o Fluminense em estado de alerta: nas dez partidas realizadas pelo Olimpia nesta Libertadores, contando desde a primeira fase (a chamada pré-Libertadores), a equipe marcou ao menos um gol em nove. A única partida sem marcar gols foi exatamente a primeira, empate sem gols diante do Defensor, no Uruguai. Um dos pontos fortes do ataque são as bolas paradas, já que a equipe conta com a precisão de Salgueiro e Miranda, ótimos cobradores de faltas, especialmente.

Foto: Globo Esporte

Foto: Globo Esporte


Valores interessantes se destacam na brilhante campanha até aqui. É o caso dos meias Juan Manuel Sagueiro, de 30 anos, e Richard Ortíz, jovem revelação da base do clube, de apenas 22 anos. Os dois dão o ritmo ofensivo e articulam as principais jogadas da equipe. Salgueiro já tem três gols e quatro assistências nesta Libertadores. Os talentosos meias criam para o atacante Fredy Bareiro, 31 anos, concluir com precisão. Bareiro é o vice-artilheiro da competição continental com cinco gols, um a menos que o artilheiro Jô.

Outras peças do esquema de Hugo Almeida que merecem destaque são o lateral Ariosa e o volante Aranda. O Olimpia conta ainda em seu plantel, com velhos conhecidos do torcedor brasileiro, como o meia Wilson Pittoni, ex-Figueirense e o zagueiro Julio Mansur, ex-Santos. Além de Emanuel Biancucchi, irmão mais novo de Maxi – ex-Olímpia e hoje no Vitória – e consequentemente primo de Messi.

Este é o Olimpia na Libertadores 2013, mostrando virtudes dentro de campo, e superando as adversidades fora dele, dando um exemplo de como se portar nestes momentos e honrando as tradições de um glorioso clube, que passa por uma crise, mas que, no momento, se esforça para voltar a honrar as obrigações com seus atletas e valorizá-los como eles merecem.

Comentários

21 anos, morador de Maringá-PR. Corintiano de coração, aprendi ainda a ser Liverpool, na Europa. Como Doente por Futebol, acompanho diariamente jogos, jogadores e tudo o que acontece acerca deste apaixonante esporte. Minha função por aqui será de analisar e informar tudo o que rola na América do Sul e no México. Responsável ainda pelas colunas "Craque DPF" e "Futebol na Mídia".