Olimpia, o único campeão entre os semifinalistas

  • por Gustavo Ribeiro
  • 7 Anos atrás
Foto: Reprodução - Dos semifinalistas, o Olimpia é o único que já sentiu o gostinho de levantar a taça

Foto: Reprodução – Dos semifinalistas, o Olimpia é o único que já sentiu o gostinho de levantar a taça

De todas as equipes que conseguiram se classificar para as semifinais da Copa Libertadores, o Olimpia é o único que já conseguiu conquistar o maior torneio de clubes do continente. A classificação aconteceu depois da vitória por 2X1 sobre o Fluminense, no Defensores del Chaco. Newell’s Old Boys, da Argentina, Santa Fe, da Colômbia e Atlético Mineiro, são os outros semifinalistas.

O time paraguaio é um dos times mais tradicionais do continente, com três títulos da competição em sua história. O primeiro foi conquistado em 1979, quando foi o primeiro clube fora do eixo Argentina, Uruguai e Brasil a levantar a taça. 11 anos depois, em 1990, veio o bicampeonato. O tri só veio em 2002, quando derrotou o São Cetano na final.

O Santa Fe disputará a sua segunda semifinal na história da competição. Em 1961, o clube chegou à semifinal da competição, mas naquela época o modelo da competição era diferente e só contava com 9 equipes, que eram os campeões nacionais de seus países.

Newell’s Old Boys, o representante argentino nas semifinais, chegou à semifinal da competição em duas oportunidades. A primeira foi em 1988, quando eliminou o San Lorenzo, mas na final acabou perdendo para o Nacional, do Uruguai. Em 1992, enfrentou o América de Cali e, na decisão por pênaltis, se classificou para a final. Na decisão, perdeu o título para o São Paulo em mais uma decisão por pênaltis.

O Atlético fez sua melhor campanha em 1978, quando foi eliminado nas semifinais para o Boca Junior e River Plate. É que as semifinais eram formadas por dois grupos de três – os vencedores faziam a final. O time foi eliminado com duas derrotas para o Boca e uma derrota e uma vitória contra o River.

Comentários

Projeto de jornalista, mineiro, 20 anos. Viu que não tinha muito futuro dentro das quatro linhas e resolveu trabalhar dando seus pitacos acompanhando tudo relacionado ao futebol, principalmente quando a pelota rola nas canchas dos nossos vizinhos sul-americanos. Admirador do "Toco y me voy" argentino, também escreve no Sudaca FC e tem Riquelme e Alex como maiores ídolos.